procurando relações mais saudáveis

Arte por Flóra Borsi

Esses dias me peguei pensando se é possível atingirmos relações mais saudáveis e várias conversas com amigos próximos me fizeram pensar.

Hoje, tenho convicção que errei muito em relações passadas, sejam relações de trabalho, de amizade, de convívio, relações familiares e até nas quase “relações amorosas” que tive em minha vida, se é que posso chamar essas relações assim. E provavelmente, vou seguir errando toda a minha vida. Mas o que muda é a minha reflexão sobre os meus atos e a maneira pela qual eu vou agir diante dos atos dos outros.

Eu nunca me dei bem nessas chamadas relações amorosas e familiares — Freud explicaria —, nas outras, até que sim, sempre fui cercada de amigos, muitas pessoas diziam gostar de mim, da minha simpatia, da minha amizade, da minha atenção. Mas vez ou outra, eu sempre me questiono, seria impossível ter relações boas em todos esses âmbitos? A vida funciona como uma espécie de balança? Onde nunca todos os lados podem estar em equilíbrio (visto que têm pesos diferentes)… Enfim, perguntas que jamais terão uma resposta.

Mas voltando as relações saudáveis… Por saber da nossa imperfeição, desonestidade, defeitos, ego, egoísmos, orgulho, nervosismos e inseguranças sei que jamais existirão relações lineares mas o que eu posso tirar disso, são as coisas boas, a alteridade, generosidade, alegria, empatia, carinho, sinceridade, humildade para usá-las na busca dessas tais relações saudáveis.

Duas das coisas mais importantes na minha visão para se buscar relações mais saudáveis seria a honestidade e a comunicação. Aliadas, poderiam tornar as elações mais saudáveis. Relações pelas quais não se teriam motivos para enganar, esconder, mentir e relações que só tornariam mais forte a confiança, porque como dizem as boas línguas “o combinado não sai caro”. Tentemos, nelas, não guardar para nós mesmas as coisas que nos incomodam, as coisas que nos fazem mal, as coisas que mexem com a nossa insegurança ou aguçam a nossa ansiedade. Relações onde sejam possível nos libertarmos disso, não tenho dúvidas de que nos poupariam muitas horas de sono e do desenrolar de problemas que isso poderiam nos causar.

Não atingiríamos relações perfeitas, mas, sem dúvidas, relações mais saudáveis. Busco por isso e espero isso da vida, torcendo para que, cada vez mais, as pessoas possam buscar por isso também nessa grande complexidade de relações humanas que são diversas e cada uma delas, única.