As vezes a gente
 se desencontra de tal forma
Como se nunca nem tivesse 
se encontrado
E as vezes 
Quase sempre 
me pergunto como 
Não haviamos se visto uma na outra antes
Já que desde quando te conheci ficou tanto de ti em mim
Assim como ficou você
em cada molécula minha.
Não me reconheço mais. 
Será que vai demorar tanto assim
Pra gente se aceitar?
Se encaixar 
Mesmo eu sendo um quebra cabeça
E você um jogo de xadrez 
Que me deixou em xeque?
Ora,me mate!
Mas antes,vamos jogar!
Vamos animar as coisas por aqui
sem nós existiria um pecado a menos no mundo
E ele seria menos rock in roll,
Menos carnaval.
me joga avontade!
Vamos se jogar em uma cama
Se jogar uma em cima da outra
Ou por baixo
Ou como preferir
Me joga em toda a tua malícia
E nos teus sonhos também
Vamos ver se coincide com os meus
Só não me joga no esquecimento
não me joga fora
Como uma carta de baralho que fica no monte 
Esperando por uma vez
Que pode ou não chegar 
Ou uma carta fraca que não serve
Me escolhe
Me faz teu ÁS 
Mas se não der 
Deixa eu ser ao menos 
sua rainha
Não desiste de mim!
Juro que fico mais forte!
Juro que me torno um bobo da corte só teu!
E juro também
que ainda nessa vida
Eu mudo
Eu ainda te faço feliz...