O que eu aprendi em 367.993 cursos.

As aulas inaugurais da Perestroika geralmente começam com alguma dinâmica pra galera se conhecer. De todos os cursos que fiz, só perdi essa aula uma única vez, porque estava viajando, e foi o curso que menos interagi com as pessoas.

No Friends Of Tomorrow (FoT), curso de Futurismo, rolou uma dessas dinâmicas e cada pessoa tinha que se apresentar contando algo sobre sua vida enquanto uma vela de aniversário, daquelas que parecem fogos de artifício, estava acessa.

Apagou a vela, acabou o tempo.

Me lembro que contei algo assim:

"Olá, pessoal. Meu nome é Weverson e sei que algumas pessoas gostam de investir em imóveis, outras preferem investir em casamento, outras em viagens e por aí vai. Eu, prefiro investir nos cursos da Perestroika…"

Como pode imaginar, a galera começou a rir bastante e alguns ficaram surpresos quando contei que aquele era o meu sexto curso, em menos de três anos, só na Perestroika. Eu verdadeiramente acredito que cursos são os melhores investimentos.

Um tempo depois, resolvi fazer post no Facebook perguntando sobre o que as pessoas gostariam que eu compartilhasse e a Sabrina Abreu, jornalista super criativa que tenho o privilégio trabalhar, me disse:

"Conta o que aprendeu em cada um dos seus 367.993 cursos :)"

Não foram 367.993, mas já foram alguns. E, confesso, tenho um orgulho danado de ser reconhecido por isso.

Meu propósito de vida é colaborar com a evolução das pessoas. E eu acredito que só vou conseguir fazer isso se eu estiver extremamente comprometido com a minha própria evolução.

Pra mim, os cursos representam isso: evolução contínua.

Gosto, particularmente, de fazer cursos que não estão diretamente relacionados com o meu trabalho. Só para ter uma ideia disso, na prática:

Sou formado em design gráfico, me especializei em gestão de marcas e sou co-fundador de um e-commerce de moda. Já fiz cursos de inteligência emocional, branding, treinamento comportamental, inspirações para liderança, eventos, empreendedorismo criativo, coaching, PNL (Programação Neurolinguística), empreendedorismo de moda, storytelling, programação, escrita afetiva, escrita criativa, futurismo e participei de vários eventos de e-commerce, design e negócios.

Acredito que todas essas áreas são essenciais para criar e contar histórias. E é isso que acredito que marcas e negócios fazem: criam e contam histórias.

Algumas pessoas, consideradas especialistas, preferem focar apenas em uma área e buscam ser as melhores naquilo. E tá tudo bem. Respeito e admiro essas pessoas. Eu prefiro seguir outro caminho nessa busca constante por pontos de vistas diferentes.

Acredito verdadeiramente que é esse encontros de ideias diferentes que faz você (ou sua marca) ser único.

Sempre que começo a me sentir parado no tempo, meio perdido ou sem motivação, já sei que preciso aprender algo novo.

E, quando estava quase terminando de escrever esse texto, evoluindo com meu curso de Coaching, escutei a seguinte frase:

“O (conhecimento) que te trouxe até aqui não é o que vai te levar para um próximo nível.”

O que te trouxe até aqui não é o que vai te levar para o próximo nível. Só pra reforçar mesmo.

Faz sentido pra você?

Nos próximos textos, quero compartilhar um pouco mais dos aprendizados que cada curso trouxe para minha vida.

Pra isso, quero seu feedback: esse texto foi útil de alguma forma? Como? Pode responder ali nos comentários e aproveitar pra mandar suas sugestões de temas para novos textos.

Sabendo que você está curtindo esses textos e descobrindo as dúvidas que você tem, vou ficar ainda mais motivado para compartilhar o que venho aprendendo e saberei quais temas são mais relevantes por aqui. Combinado?

Valeeeu! ;)