Johan Cruyff e suas ideias sobre futebol vão ficar para eternidade

Foto: Divulgação

Para os amantes do bom futebol, o dia 24 de março de 2016 começou triste com a morte de Johan Cruyff aos 68 anos, vítima de um câncer no pulmão. Contudo, não podemos nos prender apenas a dor, temos que agradecer por tudo que esse gênio nos ensinou sobre o futebol — como jogador e treinador. Sua revolução é vista até hoje, apesar de algumas mudanças, mas a base é a mesma.

Figura central na Laranja Mecânica da Copa do Mundo de 1974, Cruyff mostrou ao mundo que a Holanda jogava um futebol diferente e que iria influenciar nas décadas futuras. No carrossel holandês ninguém marcava posição, tinha um uso do passe refinado e da técnica precisa.

Apesar do encantamento que a Holanda provocou, acabou sendo vice-campeã do mundo em 74, na Alemanha, e em 78, na Argentina, nas duas vezes para os donos da casa. O destino quis assim e quem ama futebol, sabe que isso é um mero detalhe. Uma vez ouvi uma história de que só é lembrado quem é campeão, mas, o lendário camisa 14 mostrou ao contrário. Ele não tem o rótulo de campeão do mundo e é um dos maiores jogadores que o Mundial teve.

Como jogador, tornou o Ajax um dos clubes mais respeitado do futebol europeu. Não atoa, venceu três vezes a Copa dos Campeões da Europa, hoje a Champions League, em 1971, 1972 e 1973. No Barcelona, como jogador, seu título mais importante foi o Campeonato Espanhol de 1973–1974. Contudo, revolucionou novamente, desta vez como técnico.

Cruyff implantou o embrião vencedor que o Barcelona é no futebol atual. No fim da década de 80, o ex-jogador assumiu o comando técnico e transformou o clube em uma potência fora da Espanha. O gênio, assim como os grandes nomes da história, pensava à frente do seu tempo. Venceu a primeira Champions do Barça e ajudou a influenciar treinadores como Frank Rijkaard, Pep Guardiola e Luis Henrique, que ajudaram ou ajudam a seguir este estilo do clube catalão.

Nesta data, ele foi embora, mas será lembrado e reverenciado para sempre. Cruyff não só mudou o futebol, mas também nos fez enxergar uma nova maneira de assisti-lo e entende-lo. Em sua cabeça era fácil, mas tornou isso didático para os simples mortais.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Yago Rédua’s story.