Vasco precisa ser realista e esquecer os discursos ilusórios de Eurico Miranda

A primeira rodada do Campeonato Brasileiro da Série A começou neste fim e o torcedor vascaíno prevê o martírio dos últimos anos: lutar para não cair ou colecionar mais rebaixamentos. Esse sentimento é natural, principalmente após sofrer a goleada na estreia por 4 a 0 para o Palmeiras, em São Paulo, na tarde do último domingo (14).

O resultado é impactante e causa um pavor, em uma torcida que se acostumou com a dor - o que não era para acontecer. No entanto, apesar dos erros individuais e coletivos, o Vasco mostrou algo positivo. A equipe, por 20 minutos no primeiro tempo, dominou o meio de campo, forçou o erro palmeirense e chegou bem próximo de empatar. Faltou maturidade e calma. As mexidas táticas de Cuca não foram bem lidas pela equipe Cruz-Maltina e a goleada ganhou o tom.

Nos últimos anos, o Vasco colecionou elencos envelhecidos e de jogadores que não serviam mais para outras equipes. São Januário se tornou um reduto de peças sem inutilidades. Para esse Brasileiro, o planejamento, mais uma vez, foi ignorado e os rumos foram feitos com a temporada em andamento. No entanto, o elenco rejuvenesceu e algumas peças podem render frutos.

Milton Mendes, técnico que chegou na reta final do Carioca, precisará de tempo. Com pouco em mãos, tem colocado a sua cara no time e mostrou uma evolução. O elenco é novo e conta com alguns nomes experientes, é o caso do Nenê, Luis Fabiano, Vagner e Martín Silva. Não tem como sonhar com algo a mais, é preciso trabalhar com a realidade, que hoje é ficar na Série A.

Há quase um ano, eu escrevi aqui mesmo, que o objetivo do Botafogo, em seu retorno a elite, era permanecer na primeira divisão. A equipe superou todas as expectativas e garantiu uma vaga na Libertadores. Mas, foi consequência de um trabalho que estava sendo feito. A prioridade era seguir na Série A, o que veio depois foi bônus.

Em São Januário, o discurso é que o time pode brigar nas cabeças. É a realidade? Não. O time foge do foco e no fim a história que todo mundo conhece: vira chacota dos rivais. Se pensar jogo a jogo, ganhar os confrontos diretos e fazer valer o mando de campo, o Vasco tem chances de ficar na Primeira Divisão. Caso os jogadores acreditem nas ilusões de Eurico Miranda, o (tetra) rebaixamento é logo ali.