Os 4 grandes tipos de scam no mundo das criptomoedas

De BitConnect até Empiricus

Foto originada de um instagram sobre trading

Aqueles envolvidos de uma maneira ou outra com criptomoedas provavelmente já ouviram a frase: “Não invista o que você não está disposto a perder”. A frase é um bom conselho, porém investir o que eu estou disposto a perder não significa que eu quero perder meu investimento. Como então garantir rendimento positivo? Cada um tem sua fórmula, mas a verdade é que não existe maneira infalível e certeira de ganhar dinheiro. No entanto, existem formas de prevenir até certo ponto a perda de dinheiro, e a melhor delas chama-se educação. Ao educar-se sobre seu investimento, é mais fácil fazer decisões sensatas, diminuindo o risco. Com isso em mente, a seguir vou discutir 4 grandes tipos de scam no mundo das criptomoedas, visando ajudar o leitor a identificá-los, e subsequentemente, ignorá-los.

#1: O scam tradicional

Os scams tradicionais são aquelas propostas que oferecem retornos muito altos em pouco tempo, pedindo para você investir agora para não perder a oportunidade. A maioria da população já consegue identificá-los, mas eles ainda têm sucesso com algumas pessoas. Eles são caracterizados por muitas promessas, pouca informação, e falta de profissionalismo. Alguns possuem uma camuflagem um pouco melhor, mas em sua maioria são bem explícitos. Um exemplo é a foto de capa deste artigo, que faz propaganda no instagram prometendo um retorno de 15x em 7 dias. Mesmo parecendo absurdos para a maior parte de nós, esses scams atacam nossas emoções, e despertam sonhos de dinheiro rápido e fácil.

Exemplos: Contas como essa no instagram: @investor_mary_smith. Consultores de investimento e “experts” em trading de criptomoedas online, pedindo envio de dinheiro e prometendo trazer lucros altos.

Como evitar: Fique atento com qualquer um prometendo retornos altíssimos e imediatos. Faça também uso do seu instinto — se algo está cheirando mal, não invista seu dinheiro ali. Outro indicador são os meios usados para marketing: a “empresa” em questão tem um site? Quem está por trás? Ela é regulada? E o mais importante: dinheiro fácil não existe.

#2: O scam que não sabe que é scam

Esse scam já é mais difícil de identificar, porque nem aqueles por trás do scam sabem que eles têm um scam em mãos. Normalmente são aquelas empresas que querem fazer demais, e estão tão otimistas em seu potencial que acabam vivendo uma ilusão. O exemplo clássico desse scam são grande parte das ICOs. Na verdade, os projetos e empresas não são realmente um scam, mas eles acabam por convencer você a investir, e seu dinheiro acaba virando pó. Eu pessoalmente acredito que a maioria das ICOs que faliram não agiram maliciosamente, mas os líderes do projeto simplesmente acreditaram tanto em uma ideia, que não tomaram cuidado com os riscos e imprevistos. Como é possível captar dinheiro antes de ter qualquer coisa concreta por meio de uma ICO, as empresas não têm ideia das barreiras que vão encontrar, e convencem o investidor com um whitepaper, gráficos bem estruturados e muito otimismo.

Quando estava em Londres no começo do ano, tive a oportunidade de participar de alguns eventos de alto nível sobre blockchain, e outros, nem tanto. Em um deles, participei de uma apresentação de um novo projeto que creio que se enquadrava nesta categoria 2 de scam. A CEO prometia revolucionar os sistemas financeiros, e planejava criar uma corretora descentralizada, uma stablecoin, uma plataforma para criação de smart contracts (à la Ethereum), e oferecer serviços para criação de títulos tokenizados. E quando perguntei sobre o time de desenvolvedores, recebi a resposta de que eles tinham apenas um. O plano dela era fazer a ICO e então contratar mais integrantes para o time.

O que quero mostrar é o seguinte: Todas as ideias apresentadas por ela eram muito boas, mas eram apenas ideias. Eles não tinham um time formado, e nem um Proof of Concept, que significa que não há como saber sobre os inúmeros imprevistos iminentes com o desenvolvimento do projeto. A CEO estava segura de que estava sentada em uma mina de ouro e que ia ter muito sucesso, e com isso, nem ela sabe que provavelmente os investidores na ICO vão se dar mal. É um scam que não sabe que é um scam. Desejo boa sorte a eles, mas prefiro ficar com meu dinheiro. (Tire suas próprias conclusões: DGCAMP).

Projetos que se enquadram nesta categoria 2 podem ser alguns dos mais perigosos. Isto porque eles não são realmente um scam, mas podem te fazer perder muito dinheiro.

Exemplos: Parity, The DAO, Tezos*.

*Tezos não falhou completamente ainda, mas a falta de antecipação dos problemas pós-ICO trouxe várias complicações e uma queda enorme em preço, classificando-a para esta categoria.

Como identificar: Mais uma vez, usar o instinto é importante aqui. No entanto, é muito fácil cair no otimismo da empresa e acabar investindo. Lembre-se de que ICOs na maior parte das vezes não possuem nada concreto, apenas pequenos testes e ideias. Certifique-se da origem dos projetos, passe a conhecer o time, e estude se as ideias apresentadas são plausíveis. Fique atento com otimismo exagerado e metas inatingíveis e procure saber sobre os competidores e aqueles que vieram antes pelo mesmo caminho. Leia bem as informações providas sobre o projeto, busque opiniões de outras pessoas e avalie se a empresa não está querendo fazer coisas demais.

#3: O scam camuflado

O scam camuflado é aquele que não é identificado como scam imediatamente, como são os scams da categoria 1. Esses scams são mais elaborados, possuem identidade visual muito boa ou exemplar, e uma ideia interessante e viável. Muitas vezes os whitepapers são curtos, inexistentes ou pouco técnicos.

Esses tipos de scam são bem perigosos, por serem difíceis de identificar, especialmente no início. Scams desta categoria são mais sutis do que aqueles da categoria 1, e ao invés de apresentar uma ideia que permite usuários ficarem ricos muito rápido, esses scams prometem ganhos que parecem possíveis à primeira análise, e querem manter o usuário engajado, ao invés de receber um pagamento e desaparecer.

Eles são tipicamente pirâmides ou ponzi schemes, e às vezes até podem ser inicialmente lucrativos para os primeiros participantes. Geralmente buscam muitos usuários, e o projeto tem duração um pouco mais longa, ao invés de uma estratégia hit-or-miss para fazer dinheiro rápido.

Exemplos: Tether, Bitconnect, OneCoin.

Fique atento: Atlas Quantum, uma plataforma brasileira, e WhaleLend, são projetos novos que não foram confirmados como scam ainda, mas merecem atenção redobrada do usuário antes de investir, podendo ser um scam de categoria 2 ou 3. Torço para estar errado.

Como identificar: Busque mais informações por parte de outras pessoas sobre o projeto. Leia o whitepaper, e se ele não existir, já fique mais atento. Analise o modelo apresentado e veja se as afirmações realmente fazem sentido. Procure saber se a empresa é regulamentada. Por último, pergunte a si mesmo: tem cara de pirâmide?

Bônus: O órgão regulatório de valores mobiliários nos Estados Unidos, a SEC, criou uma fake ICO para educar investidores sobre os perigos de scam no mercado. Vale a pena dar uma olhada: HoweyCoins.

#4: O scam que é só metade scam

Scams desta categoria são scams apenas em parte, porque geralmente você ganha algo em troca com eles, mas ainda assim sai perdendo. Esses são os livros, cursos e workshops que prometem muito e entregam pouco. Eles geralmente atraem compradores prometendo revelar segredos e métodos para ganhar muito dinheiro.

Não há problema algum com fazer marketing e atrair compradores para um produto/serviço, o problema é o tipo de marketing e conteúdo oferecido. Quando quero assistir um vídeo no YouTube, 25% das vezes sou abençoado com uma propaganda da Empiricus, que diz que eu posso “ganhar muito dinheiro com criptomoedas”, basta ter o livro deles “Criptomoedas: melhor do que dinheiro”. Este anúncio já me deu antipatia da empresa, mas ao decidir falar deles neste artigo, eu resolvi pesquisar um pouco mais. Abaixo coloco algumas citações usadas pela empresa em seu site e artigos:

“1 única moeda pode te transformar em um milionário — Mas você precisa agir antes de 19 de fevereiro de 2018” (Fonte)
“Atenção: As criptomoedas presentes neste texto tiveram os maiores lucros da história até hoje. E você também pode ganhar com elas agora mesmo. (…) Os lucros estão em dólar. Basta triplicar os valores para ter ideia dos ganhos em reais.” (Fonte)
“Você gostaria de ter uma valorização de 3.500% em sua carteira de investimentos?” (Fonte)
“Quer ser o próximo milionário do “criptomercado”? Leia com atenção este guia até o fim.” (Fonte)
“Maior oportunidade de fazer fortuna com uma criptomoeda que você já viu — Pessoas comuns podem se tornar milionárias com esta que é a novidade mais quente dos últimos anos…” (Fonte)

Empresas como a Empiricus atraem consumidores com headlines exageradas e promessas de muito dinheiro, porém são completamente legais. Isto é porque ao invés de investir (roubar) o dinheiro do consumidor, elas te incentivam a comprar o produto delas (livro, curso, etc.) gerando expectativa de lucros altos. Em troca você realmente recebe um produto, mas problema é que o conteúdo é geralmente superficial e feito para que você se mantenha engajado e compre mais material da empresa.

Este tipo de empresa vende previsões e informação superficial, e se dá muito bem em tempos de mercado bullish, quando qualquer previsão tem chance alta de sucesso. E esquemas como esse são muito lucrativos, já que a empresa faz dinheiro acertando ou errando previsões. Isto é porque para saber a previsão, o cliente precisa ter comprado o produto. Caso as previsões da empresa estejam corretas, o cliente acaba comprando mais material, que é o melhor cenário para a empresa. No entanto, se as previsões estiverem erradas, o consumidor já deu lucro para a empresa, mesmo que deixe de ser cliente. Após adquirir um cliente, a empresa já lucrou, e as previsões não importam tanto. Portanto, em esquemas como esse, a empresa se preocupa especialmente em conseguir novos consumidores, o que explica as promessas e exageros.

E você, o cliente, compra 2 livros e participa de 3 workshops apenas para perceber que não aprendeu nada de importante.

Exemplos: Empiricus; Palm Beach Research Group; Cryptocurrency: How to Make a Lot of Money Investing and Trading in Cryptocurrency.

Como identificar: Tome sempre cuidado com empresas ou pessoas usando muitas promessas e exageros para vender um produto. Familiarize-se com o provedor do serviço ou produto e busque mais informações sobre o histórico e opiniões de clientes anteriores. E como regra básica, seja cético em relação a qualquer proposta que te garante lucros altos ou que indica que a chave do sucesso é pagar por um produto.

Conclusão

O mundo das criptomoedas é ainda muito novo, e com isso existem muitas oportunidades para você, mas também existem muitas oportunidades para aqueles que querem se aproveitar de você. E deixe-me dizer que você pode sim ganhar dinheiro com criptomoedas, mas também pode perder, e a melhor maneira de aumentar suas chances de estar do lado certo destes dois é se educando. Busque entender como funcionam os projetos, empresas e moedas antes de investir, e como sempre, não invista o que não está disposto a perder.

Dinheiro fácil não existe. Faça sua parte e boa sorte!


Se quiser ler mais sobre blockchain em português, clique abaixo:

Mais artigos sobre blockchain