Se você foi, mas não mostrou, você realmente foi?

São questões.

Fonte: http://cinemaetudoisso.ig.com.br/index.php/2011/06/28/conheca-o-aplicativo-de-celular-que-reconhece-o-local-em-que-foi-filmado-uma-cena-de-cinema/

Muito se fala sobre o impacto das redes sociais e dos smartphones na vida das pessoas. Estamos cansados de ler textos sobre isso e de saber os efeitos negativos que eles tem em nossa vida. Mas para mim, a pior coisa sobre esse nosso vício é o fato da gente não aproveitar o momento presente.

Na época do Orkut, nós tirávamos uma foto e demorava um pouco para ela ser postada. Tínhamos que passar a foto pro computador, editar e depois sim postar, isso se ela fosse muito boa (afinal, existia um limite de fotos a serem postadas). Agora, temos aplicativos como Snapchat, Snapgram, Periscope e etc, que têm na sua essência, o conceito do live. Ou seja, hoje podemos mostrar o que estamos fazendo naquele exato momento. Ao vivo. Isso faz com que deixemos de aproveitar aquele instante para fazer uma transmissão do mesmo.


Ano passado fui a um show e tinha uma menina do meu lado que fez uma transmissão da performance inteira pelo Facebook. Bom para quem estava assistindo esse livestream, já que não pôde comparecer ao show, mas ruim para a menina, que não aproveitou nada.

Na minha última viagem também percebi monte de gente tendo o mesmo comportamento. Ao chegar em praias maravilhosas, eu via muitos tirando fotos e fazendo vídeos ao invés de apreciar o local. Muitos não chegavam a sequer entrar na água. Como assim elas deixaram de entrar nessa água cristalina e quentinha?

Fonte: http://www.tenhomaisdiscosqueamigos.com/2014/08/15/app-tenta-salvar-shows-uso-de-smartphones/

***lembrei de quando estava em uma piscina natural, no meio do mar, no meio dos corais, o lugar mais lindo que já vi. Conversando com um cara que morava na região, ele disse: “aquelas moças estão tirando foto desde que chegaram, parece até que vão fazer um book”. Virei o rosto e vi duas garotas armadas com paus de selfie, tentando achar o melhor ângulo pra mais uma foto.***

Não há nenhum problema em tirar fotos, vídeos em alguns momentos para servir de recordação. Eu mesma amo tirar fotos das paisagens quando estou em algum lugar bonito. O problema reside, como sempre, no exagero. Ir para algum lugar e passar a maior parte do tempo mostrando aos outros onde se está, ao invés de desfrutar do local e da situação, não é muito o ideal da diversão.

Existem muitas pessoas que, se não puderem levar celular/câmera a algum evento, elas nem querem ir. Afinal, qual é o ponto de estar em uma situação onde eu não posso mostrar pra todo mundo que estou lá ? Se eu for mas não mostrar, não parece que eu fui. Existe uma pitada de exibicionismo, de querer gabar-se para os outros, uma espécie de: “olha só onde eu estou e como estou me divertindo”.

Claramente, esse é um caminho meio que sem volta da sociedade. A tendência é que nós compartilhemos mais e mais das nossas vidas ao vivo. A inclinação é que, cada vez mais, não aproveitemos o momento presente a fim de divulgar esse momento para nossa rede de contatos. E isso só agrava a nossa predisposição humana de não prestar atenção no Agora.

Então, o caminho é mesmo a auto consciência. Cada pessoa deve auto avaliar-se e perceber quando o uso do celular/câmera está ofuscando as ocasiões em ela deveria estar presente. Só assim os indivíduos poderão criar momentos que fiquem mais gravados na memória da mente que na memória do smartphone.