Qual o sabor da vida?

Qual o sabor da vida? O cheiro, o gosto, o rosto?
Sabe aquele sentimento forte que explode dentro do peito?
Não, não falo de paixão, mas sobre vontade de viver.
Não sabe não né? Não me admira que não conheças o sabor da vida, nem seu cheiro, nem gosto, nem rosto…
A vida sorri? Isso não importa, mas deveria.
Não importa por que você não a vê e nem a sente.
Aquela vontade de fazer o que não faz sentido, mas vai te fazer feliz, conhece? 
Conhece bem, eu sei. Você a sangra sempre que pode.
Essa vontade são os olhos da alma, os únicos dos quais são possíveis ver, provar e viver a vida.
Você não a vê a muito tempo, não é? Já não sabe seu tamanho ou peso, nem faz ideia de como se parece.
Não me admira que tenha sempre em mente o amanhã, pois essa é uma ótima maneira de fugir do hoje.
Você se cerca de obrigações que só servem para decorar seu caixão, e dentro dele vai estar um corpo tão vazio quanto agora.
Um corpo sem vida, não é muito diferente do que você é agora não é mesmo?
Não? Então qual o sabor da vida? Qual a sensação de ter aquela vontade dentro do seu peito? 
Ainda não sabe né? Então por que você seria melhor do que um cadáver ambulante? 
A morte pelo menos é mais honesta, por que ela é certa de vir e é certo que um morto está morto.
Mas a vida, ahh, ela é uma vadia mentirosa. Ter nascido não te faz estar vivo e muito menos viver.
Olhe para você! Uma cara surrada ou arrumada no espelho? Não importa, essa cara é apenas uma casca.
Agora olhe para você. Não, esquece essa porra desse espelho. Olhe para você. Não consegue se ver né?
Será que você está mesmo aí? Eu no teu lugar teria saído correndo. Claro, não faz sentido ficar.
Que merda, você não vê que se tornou desprezível e fez isso muito bem depois de tanto desprezar a si mesmo.
Agora está aí, ou melhor, não está. Não está em lugar nenhum.
Você pensa as vezes né? Se pergunta se tem alguma coisa errada, e sabe que tem.
Essa pergunta não serve para nada. Você vem fazendo as perguntas erradas e não entende por que as respostas não te bastam.
Qual o sabor da vida? Já se perguntou isso hoje? Ou continua perdido nas perguntas erradas?
Você não aprende mesmo né? É isso a quantos anos? Quanto tempo você não tem aquela vontade no peito? 
Você acha realmente isso normal ou mesmo minimamente aceitável? 
Você diz que é assim com todo mundo e eu digo que o mundo ficou doente.
Tente um dia, uma vez, um momento. Tente encontrar onde está essa vontade perdida.
Não digo que você vai encontrar, mas isso não importa, a busca por si só já é o suficiente para te fazer viver.
Qual o sabor da vida? Não precisa fazer sentido, basta te fazer feliz.
Não importa o sentido da vida, mas é um grande desperdício deixar esse mundo sem provar seu sabor.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.