Design Digital: Primeiras impressões do curso na UFC Quixadá

E mais: Como eu vim parar no sertão central

Yan Vancelis
Mar 25, 2018 · 5 min read

“O que houve com o Yan que era louco por Computação?”

“Como assim saiu de Computação?”

“O que tá acontecendo?”

Essas são algumas das perguntas que pipocaram nas últimas semanas quando decidi sair do curso de Ciência da Computação para estudar Design Digital. E não apenas isso, mudar de cidade e, consequente, de Campus. Não é difícil entender o porquê dessa surpresa, já que desde que me entendo por gente, meu negócio era estudar Ciência da Computação, até o dia que eu…estudei Ciência da Computação.

Ahh…o Campus de Russas ❤

Foram dois anos e meio estudando Ciência da Computação no Campus da UFC em Russas. Tinha tudo pra ser perfeito, afinal de contas, era o que eu queria, na minha cidade, tava em casa. Mas, as vezes as coisas não acontecem como nós desejamos, não é mesmo? Me deparei com um curso que hora me agradava, hora me deixava chateado e sem motivação.

Se por um lado eu adorava as disciplinas de programação, por outro me sentia um peixe fora d’água quando tinha que lidar com matemática. Outros fatores que não cabem ser ditos aqui também contribuíram com essa mudança. Mas posso dizer que o saldo, no geral, foi deveras positivo:

Conheci várias pessoas maravilhosas, incluindo colegas e professores, que levarei para a vida; Aprendi coisa pra caramba; Ajudei a realizar coisas incríveis…o Campus abriu um mundo para mim, literalmente. Como disse meu colega Marcos, eu acabei por me descobrir dentro do curso, e essa descoberta me fez mudar para Design Digital.

Homens Rapadura no I Vale Web Livre, em 2015; II FLISOL Vale, em 2016; III SESCOMP, em 2017

A área artística, incluindo aí design, fotografia e mídias no geral, sempre foi um hobby pra mim. Com o passar dos anos isso foi ganhando bastante espaço na minha vida, no início apenas trabalhando na identidade dos eventos que eu organizava, depois indo pra parte de Web Design, etc. Nos últimos anos aflorou também o lado do audiovisual, quando decidi que aprenderia isso também.

Design Digital era um plano B. O curso tem foco em modelagem de interfaces digitais, mas a grade abre possibilidades para vários caminhos e áreas, e quando eu comento que me descobri durante o curso de CC, eu me descobri em Design Digital.

Junto com a mudança de curso, vem também a mudança de cidade, e de realidade! Era uma experiência que eu almejava, sair de casa, viver em um novo local, com novas pessoas. Começando pelos novos colegas de casa, a nova rotina de pegar busão todo dia, algo que eu não tinha em Russas (tô dizendo que eu tinha moleza por lá), enfim, novos ares. Essa parte em especial torna a coisa toda muito empolgante.

A cidade

Eu nunca tinha vindo a Quixadá. Conhecia um total de 3 pessoas do Campus da UFC de Quixadá, na cidade esse número aumenta pra 5. A mudança não é tão grande por que, em termos de movimento, é bem parecido com meu país Russas. Em pouco mais de 15 dias, pude observar uma cidade limpa e muito hospitaleira.

No entanto, não há como negar que os aspectos naturais da cidade são inspiradores, os monólitos são muito bonitos e estão por todos os lados. Se você não conhece, já digo que sim, vale muito a pena conhecer.

Uma grande diferença (positiva) que senti foi no comércio. Agora chego no supermercado e tenho várias opções de rótulos de cerveja, facilitando meu objetivo de beber cerveja de verdade com mais frequência.

O Campus

Uow

Mais uma vez os aspectos naturais fazem toda a diferença. Por mais que o Campus de Russas seja bonito, não há comparações, o Campus de Quixadá é espetacularmente lindo. Eu já tinha visto por fotos, já sabia que o negócio era absurdo, mas só agora vendo com os próprios olhos posso afirmar com certeza que é o campus universitário mais bonito da UFC.

Academicamente falando, o Campus já tem 10 anos de existência e conta com os cursos de Ciência da Computação, Design Digital, Engenharia da Computação, Engenharia de Software, Redes de Computadores e Sistemas de Informação. Sim, todos cursos de tecnologia, o que é uma vantagem em vários fatores, incluindo corpo docente completamente da área, facilidade para implementar projetos conjuntos, enfim, tudo de bom.

Primeiro dddd. Tô falando que o negócio aqui é diferenciado!

Com pouco mais de 15 dias de curso, posso dizer que era basicamente o que eu esperava, apesar de, a princípio, ser uma mudança drástica. O primeiro semestre é muito rico em conteúdo, indo da Psicologia ao Desenho, passando por Programação, História da Arte e Multimídia, sendo que essa última já pode ser eleita minha disciplina preferida num primeiro momento, onde estamos aprendendo a escrever textos, a lidar com edição de áudio, fotografia e vídeo, e acho isso fascinante.

A grande novidade, eu acho. Vamos que vamos!

Psicologia e Percepção e História da Arte parecem se completar em vários momentos, são aulas onde nós alunos somos protagonistas e isso é excelente. Acredito que a disciplina de Desenho seja a mais “fora da caixinha” pra mim, que não desenhava há séculos. Mas a experiência está sendo muito positiva e espero ir bem. E programação, não comentarei por motivos de já sei.

Expectativas

Espero que o curso de Design Digital possa aflorar meu lado artístico de modo geral. Hoje, pretendo seguir a área de UX/UI, além de continuar programando, mas quatro anos é bastante tempo para descobrir e se descobrir.


Por enquanto é isso. Quem sabe daqui a mais ou menos quatro anos, eu não volto aqui e escrevo sobre o fim desta jornada que agora se inicia?

Quando for surgindo notas em relação aos escritos, eu as escrevo aqui :)

Yan Vancelis

Written by

designer de primeira viagem. fotógrafo nas horas vagas. programador de vez em quando. grande apreciador de bares de esquina.