O orgasmo feminino IV: O poder de possuir seu próprio orgasmo

“A masturbação é uma forma primária de expressão sexual. Não apenas para crianças que estão descobrindo sua sexualidade ou entre namorados ou para pessoas idosas que acabam sozinhas, ou pra qualquer pessoa que queira sentir prazer. A masturbação é o caso de amor em curso que cada um de nós tem com nós mesmos ao longo da nossa vida “ — Betty Dodson, de seu livro Sex for One.

Eu vou fechar esta série com a minha dica de # 1 DIY (faça você mesma)para fechar a lacuna do orgasmo feminino ….. masturbação. Eu intencionalmente salvou esta recomendação para o último porque eu queria primeiro destacar as normas sexuais mais amplas que contribuem para o espaço do orgasmo ao invés de colocar a responsabilidade de soluções exclusivas em mulheres individuais.

Para definir o contexto, é importante saber que não há apenas uma lacuna de orgasmo feminino, mas também há uma lacuna de masturbação feminina. Dos homens com 30 anos, 93% relatam ter se masturbado em qualquer ponto da vida, enquanto apenas 80% das mulheres relatam o mesmo. No entanto, vários estudos mostram que as mulheres são infinitamente mais propensas a atingir o orgasmo durante a masturbação do que no sexo com o parceiro, tornando-se uma maneira mais acessível para as mulheres explorarem sua capacidade orgásmica. Embora eu não possa provar isso, estou convencida de que a lacuna da masturbação feminina tem muito a ver com a lacuna do orgasmo.

Em uma cultura que historicamente buscou o domínio sobre os corpos femininos, não é surpreendente que a masturbação feminina não seja encorajada. As mulheres que exploram seus corpos, tem uma capacidade incrível de prazer e podem acessá-lo à vontade, sem assistência masculina, são uma grande ameaça ao status quo. Desta forma, tomar posse de sua energia sexual através da masturbação é revolucionária e vira o roteiro na narrativa sexual que as mulheres são alimentadas. O corpo feminino e a sexualidade são tradicionalmente valorizados através da lente do olhar masculino, levando a uma ênfase na aparência e objetivação sexual. Se internalizado, isso pode levar a uma sensação de desencarnação e desconexão da experiência sentida. Isso pode remover as mulheres do fato glorioso de que somos todos seres sexuais soberanos cuja sexualidade é antes de tudo um presente incrível para cada indivíduo para desfrutar e cultivar a alegria dele — em vez de apenas valorizar o prazer que pode doar a um parceiro. Desta forma, é revolucionário que as mulheres conheçam profundamente o potencial de prazer dos seus corpos e aproveitem com frequência. A maneira de fazer isso é através da masturbação, ou como eu prefiro chamá-lo, de auto-prazer.

Então, por que, há uma lacuna de masturbação? Infelizmente, ainda há muita vergonha e tabu em torno da masturbação feminina. A linguagem reflete a cultura em que existe e está dizendo que existem inúmeras frases comuns para a masturbação masculina, mas não são equivalentes para as mulheres. É comum ouvir sobre meninos descobrindo a masturbação, mas não tanto para as meninas, que mosta como um processo de desenvolvimento normal para homens, mas não para mulheres. Além disso, a partir de uma idade jovem, as mulheres são alimentadas por força de uma narrativa em torno do amor e do sexo, onde o príncipe encantado entra e oferece segurança, felicidade e muitos orgasmos. Como resultado, muitas mulheres esperam que os homens deem o seu primeiro orgasmo. Infelizmente, isso não é realista, pois a maioria dos homens não está preparada com conhecimento preciso sobre os corpos femininos. Se as mulheres estão fingindo orgasmos, seus parceiros sexuais não têm a oportunidade de aprender e o ciclo persiste. A tendência de “terceirizar nosso orgasmo” pode ser vista quando as pessoas perguntam se alguém “gozou ou não ”. É essencial que possamos possuir o nosso orgasmo. Nós somos todos responsáveis ​​pelo nosso próprio orgasmo — por aprender como os temos e como comunicar o que funciona melhor para nossos parceiros sexuais escolhidos.

Outra razão pela qual muitas mulheres podem não se masturbar é uma vergonha. A vergonha pode ser o resultado de uma cultura sexual negativa / pai / religião / trauma, etc. É normal sentir algum grau de vergonha em relação à sua sexualidade e conseqüentemente, a masturbação pode ser um gatilho da vergonha. Então, para combater a vergonha e se sentir confortável com o sexo solo, é imperativo cercar-se com conteúdo e informações positivas para o sexo. Se você ainda se sentir um pouco estranho com a masturbação, também pode ser útil para obter instruções específicas sobre como começar uma “prática” de masturbação A “Mãe da Masturbação” é a artista feminista e educadora sexual, Betty Dodson, não poderia recomendar melhor. Ela escreveu um livro-obra sobre o tema chamado Sex for One e tem toneladas de recursos em seu site, incluindo uma técnica de masturbação projetada para se traduzir em orgasmos mais fáceis durante o sexo com parceiro (se você estiver interessado clique aqui ). Dodson considera o sexo solo como um ato de meditação e auto-cuidado extremo e você vai se sentir toda vertiginosa, capacitado e feminista sobre ser uma “auto-amante”. A vergonha some quando está sozinha, então, ouvir outros falando abertamente e positivamente sobre a masturbação ajuda a dissipar a vergonha persistente.

Se você precisar de motivação adicional para priorizar a masturbação, considere uma parte essencial do seu plano de bem-estar. A masturbação (orgasmo) libera um cocktail de endorfinas e hormônios positivos que criam menos estresse e maior saúde. Como resultado, os orgasmos estão associados a inúmeros benefícios para a saúde, incluindo redução do estresse, aumento do humor, alívio da dor, melhora do sono e até aumento da confiança corporal (mais sobre tudo isso aqui). Outro benefício é que ele reduz o seu fogo sexual à medida que a energia sexual engendra mais do mesmo. Uma vez que muitas mulheres hoje sofrem de baixa libido, esse aumento no desejo pode beneficiar sua parceria sexual atual ou atender suas necessidades sexuais se você estiver solteiro. Além disso, a masturbação oferece uma maneira segura de explorar suas fantasias e turn-ons, o que ajuda você a conhecer mais intimamente seus desejos e preferências sexuais. Este conhecimento permite que você compartilhe mais claramente suas necessidades com seu parceiro. E por último, mas não menos importante, a masturbação é a melhor maneira de aumentar suas capacidades orgásmicas, quer você esteja buscando um orgasmo pela primeira vez ou procurando aprofundar seu repertório. Você pode então trazer seu orgásmico virtuoso a todos os parceiros que tenham a sorte de sair com você.

Eu acredito que a lacuna do orgasmo será fechada por mulheres independentes que conhecem seus corpos e vias de prazer e comunicam esse conhecimento aos seus parceiros sexuais. As mulheres que adotam seus orgasmos, são menos propensas a se contentar com o sexo ruim que prioriza exclusivamente o prazer masculino. Isso mudará as expectativas sexuais em nossa cultura e, finalmente, tornará a reciprocidade e o prazer mútuo a norma.

* Eu quero ficar claro que minha intenção com esses artigos não é implicar que o orgasmo é o objetivo final do sexo ou pressionar as mulheres para que tenham orgasmos. Na minha opinião, o orgasmo não é o objetivo do sexo, mas sim um prazer mútuo. Em vez disso, meu objetivo com esta série é simplesmente encorajar um contexto onde o orgasmo feminino é mais viável e acessível e colocado em igual importância que o orgasmo masculino.

Leia os outros textos dessa série:
Orgasmo feminino parte I: Repensando as preliminares
O orgasmo feminino parte II: Por que não estamos falando sobre ereções femininas?
O orgasmo feminino parte III: Mulheres Primeiro

Texto originalmente escrito aqui. Traduzido por Fernanda Aguiar. Poderá conter erros de tradução.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.