Por que mudei de nome nas redes sociais?

Sabe quando você pensa que a melhor opção é nascer de novo? Foi mais ou menos o que eu fiz. Sem a complexidade de nascer de novo, é claro.

Eu tenho depressão, transtorno de ansiedade generalizado, síndrome do pânico e alguns transtornos obsessivos compulsivos. Estou em tratamento, apesar de ter adiado em um mês, por conta de alguns problemas. No geral, o que eu posso dizer é que a minha vida saiu da linearidade que era antes (casa > escola > casa) para uma serpente de emoções (casa > faculdade > bar > cinema > casa > bar > cinema > casa > bar > casa > cinema). Na verdade, se formos definir minha vida e humor dos anos 0 até os 18, podemos definir como:

Uma pessoa tímida, sem muitos amigos que não sai de casa para nada e, quando sai, fica encostada na parede das festas, sem saber o que fazer. Apesar de ter um plano para a vida, esse plano é sujeito a falhas, ou seja, ao mundo externo.

Se formos definir minha vida e humor dos 18 até os 25 anos, podemos definir como:

Uma porra louca. Perdão… Uma pessoa que gosta de sair, se divertir, conhecer novos amigos, descobriu que tinha ansiedade, está em tratamento, mas vez ou outra decide sair e começa a passar mal. A lista de doenças vem crescendo a cada dia…

Eu comecei a fumar com 18 anos, ainda não consegui parar. Já tentei ficar uma semana sem fumar e a vontade que eu tinha era de pegar um AR-15 e sair atirando em todo mundo. Eu quero parar de fumar, com essa raiva bem menor…

O motivo que me levou a criar uma nova identidade na internet (não tão nova, afinal, é meu terceiro nome) foi como se fosse uma chamada para acordar. Imagine que eu seja versões de um software (inclusive, passei a utilizar versionamento semântico em tudo). A primeira versão disponível para o público é a 0.1.0, ou seja, eu bebê.

Changelog (Histórico de Mudanças)

  • 0.1.0 — Nasci, como não há nenhuma versão desse sistema anterior, não há bugs reportados.
  • 0.1.1 — A consciência provavelmente ainda estava em desenvolvimento, só lembro do que fiz a partir dos 8 anos de idade. Fiz algumas merdas
  • 0.1.2 — Comecei a descobrir sobre minha sexualidade. É estranho, todo mundo que é X gosta de Y, eu sou X e gosto de X. Nasci com bug, vou permanecer calado.
  • 0.1.3 — Ainda não cheguei na adolescência, ou melhor, no sistema americano já sou adolescente, tenho 13–14 anos. Comecei a manter contato com as pessoas pela internet (MSN, IRC, Bate-papo UOL…).
  • 0.1.4 — Estou em busca, cada vez mais, da minha independência. Não a encontro, devem ter perdido o código. Começo a ficar ruim na escola, as notas começam a cair drasticamente. Fico de recuperação em várias séries.
  • 0.1.5 — Por conta do MSN Plus (alguém se lembra daquele demônio?) as conversas do meu MSN ficaram salvas em arquivo TXT e terminaram sendo indexadas pelo buscador do Windows. Meus pais descobrem pela 1ª vez que eu sou nasci com bug.
  • 0.1.6 — Decido contar para alguns poucos amigos de confiança que eu gosto de X e de Y, o que é uma mentira. Conto para os meus pais que eu gosto de X e de Y, o que era uma mentira. Eles não reagem muito bem…
  • 0.1.7 — Fico à ponto de reprovar o segundo ano e termino-o em um colégio maravilhoso do esquema “pagou-passou”. Meu primeiro contato, sem usar, com drogas. Tinha uma plantinha de maconha plantada no colégio e uma menina usou loló na minha frente, virou uma pedra e eu jurei que ela tinha morrido. Fiz amizade com skinhead que me chamava de Renato Russo (WTF?).
  • 0.1.8 — Vou para um colégio muito bom, reprovo. Termino o meu ensino médio no Ensino Médio modalidade Educação de Jovens e Adultos com uma nota um pouco acima da média.
  • 0.1.9 — Entro na faculdade, desisto 2 períodos antes de terminar o curso.
  • 0.1.10 — Entro na segunda faculdade, que fica próxima à um bar. Começo a frequentar mais o bar do que a faculdade.
  • 0.1.11 — Resolvi experimentar uma substância, que é muito boa (por sinal). Ela acorda em mim, que já estava adormecido, a ansiedade. Começo a ser usuário frequente dos hospitais cardiológicos de Recife.
  • 0.1.12 — Começo tratamento com um psiquiatra.
  • 0.2.0 — Por causa dos remédios, minha timidez parece nem existir mais. Viro comunicativo, faço amizades, etc. Descubro que beber e tomar remédio calmante permite “economizar” na bebida. Descubro também que a ressaca no dia seguinte é mil vezes pior.
  • 0.2.1 — Saio muito, bebo muito, faço muita merda (que não ouso postar em público).
  • 0.2.2 — Saio da faculdade, entro na terceira faculdade, desisto, entro na quinta, desisto, entro na sexta e… desisto. Gasto uma fortuna nos cartões dos meus pais com itens que eu nunca vou precisar na minha vida. Ele pede chargeback (reembolso) e eu fico com cara de golpista em toda a internet. Entro em detalhes depois.
  • 0.2.3 — Perto de ser liberado do tratamento com o psiquiatra, descubro que estou com uma DST. Tem cura, tem tratamento, mas é uma DST. Tive que fazer exames de HIV, minha ansiedade atingiu um pico que eu nunca vi antes. Todos os exames deram negativo. Tranquilizei-me e jurei (pra mim mesmo) mudar.
  • 0.2.4 — Viro praticamente um monge. Começo um relacionamento estável (que já dura mais de dois anos, com algumas brigas no meio do caminho). Tento controlar minha ansiedade, meu psiquiatra surta e para de me consultar, eu surto junto.
  • 0.2.5 — Procuro outro psiquiatra, minha mãe procura outro. Sou obrigado à ir do que a minha mãe achou. É caro pra caralho, e em 6 meses me dá alta. Não mudou em nada minha vida.
  • 0.2.6 — Fiz muita merda. Procuro outro psiquiatra, minha mãe acha outro e vou nesse que ela recomendou. Até acho legal e estou fazendo o tratamento com ele(s) — são dois, ao mesmo tempo, na verdade.
  • 0.2.7 — Começo tratamento psicológico para ajudar a me entender melhor.
  • 0.2.8 — Fiz algumas merdas.
  • 0.2.9 — Começo a entender algumas coisas da minha vida, refletir sobre todas as versões (erros) passados. Começo a definir metas, planos e levar em consideração todos os problemas externos que podem barrar tais planos. Defino metas não loucas (do tipo: comprar uma Ferrari), começo a estudar sobre minha vida.
  • 1.0.0-Alpha-1 — Estou em fase alfa. Obviamente que cometerei alguns erros, mas vou me adaptando até chegar numa versão que eu, meus amigos, meus familiares e as pessoas que eu conheça digam: você mudou pra melhor. Enquanto isso, vou aprendendo com meus erros, mudando minhas questões e cuidando da minha saúde mental e física.

Por sinal, acredite se quiser, eu estou fazendo de verdade um changelog da minha vida e colocando na internet. Obviamente que sem detalhes muito específicos, não quero que a minha encha-se de stalkers.

Não adianta eu querer me mudar com uma mudança drástica, é por isso que a primeira coisa que mudei foi a forma com que as pessoas me conhecem na internet. De “Yeltsin Lima” para “Yeltsin Seal”. Não, não é sobrenome inventado, mas não é meu último sobrenome (é o do meio).

É isso. Espero que eu tenha explicado direitinho. ❤