amortecida

las estaciones de los sueños, by dan-aha kim

hoje acordei e, pasmem, não enlouqueci. levantei com um pouco de ressaca e tomei banho sem me concentrar em nada a não ser ficar limpa. calço a mesma meia do dia anterior. a única coisa que me preocupa um pouco agora são os vasos sanguíneos dilatados no meu rosto por causa da friagem que peguei no interior. voltei ontem para o rio de janeiro e, pasmem novamente, não chorei. sou bombardeada constantemente por qualquer situação porque tudo me afeta, mas ando sentindo de menos e estou tentando entender se isso é bom. não quero parecer frígida. vivo sofridérrima andando pelas ruas de botafogo procurando algum lugar para sentar me concentrando em manter a cabeça no lugar. quero qualquer canto que pareça um pouco com o que não tenho: calma.

sou enxerida e me meto em tudo, sinto tudo. minha cabeça trabalha arduamente em cima de imbecilidades e então começo a sofrer por coisas que não me dizem respeito. semana passada insisti em gostar de um homem que não me quer. veja só, trepamos três vezes e mais nada, casual porque somos modernos & jovens & podemos tudo. ouvi minha avó dizer “a gente tem que gostar de quem gosta da gente, quem não gosta a gente deixa pra lá”. bem assim. como boa neta, aceitei o conselho e desisti. conheço só as cuecas furadas dele e não tem como amar quem não se sabe muito a respeito. o melodrama da rejeição foi bom enquanto durou, me fez ler poesia, escrever e cantar músicas-para-mulheres-que-precisam-se-sentir-poderosas no chuveiro.

meto o dedo em minhas feridas pra ver se vivo. quando estou curada minha criatividade se ofende como se precisasse de certa dor comedida para funcionar. maldita sanidade-têresinha, quero meu eu dissimulado de volta. na verdade, não passo de uma comunidade de mais de 50 trilhões de células, um número fácil de dizer, mas incomensurável quando se pensa a respeito. e todas elas sentem muito. tenho um encontro daqui uma hora e parece tudo parado aqui dentro. quero aquelas coisinhas no estômago, mas estou ocupada enquanto minhas células me enganam que sou contida e adequada. que miserê é esse? e ainda sou péssima em biologia.