O que acontece com a pessoa que deve mais do que ganha? E quando o devedor é o mundo?

Aos que responderam a primeira pergunta no título da postagem, faço questão de responder a segunda pergunta, especialmente aos pessimistas de plantão do mercado financeiro: colapso global, ou seja, a esperada nova crise financeira mundial.

O alerta está no Fiscal Monitor World Economic Outlook, estudo do FMI sobre dívidas públicas e políticas fiscais das principais Nações do mundo.

O relatório do FMI publica que o mundo deve o dobro daquilo que produz anualmente, em outras palavras, nunca até agora analisado, famílias, empresas e Estados estiveram devendo tanto como agora. Segundo FMI, a dívida total do mundo bate recorde e representa 225% do PIB global ou US$ 152 trilhões.

De acordo com o estudo, dois terços deste valor, ou US$ 100 trilhões, são dívidas de empresas privadas. Mas a dívida pública também cresceu, passando de 70% do PIB mundial no início do século para 85% em 2015.

E assim como acontece com aquela pessoa que não consegue pagar as contas e junta dívidas, o mundo não tem ou terá tratamento diferenciado. Por isto, se nada for feito logo é bom ir tomando conhecimentos de algumas datas que são importantes para qualquer analista, investidor ou trader porque a este “grupo” de anos marcantes, sempre cabe mais um: 1929, 1973, 1979, 1982, 1987, 1997, 1998, 2001, e finalmente, o último até agora a entrar no grupo foi o ano de 2008.

Então, se você já entendeu o rumo do cenário é bom não se assustar quando a nova data integrar o grupo dos anos fatídicos para a economia global, afinal eu, você e todo mundo devemos participar deste momento, infelizmente.