A melhor teoria que você vai ler sobre o novo álbum de J. Cole

A capa do quarto LP do rapper da Carolina do Norte (Foto: Reprodução)

Analisando o documentário/prévia do 4 Your Eyez Only, quarto álbum do J. Cole que sai dia 9, exatamente dois anos depois do anterior, certeza que vem outro clássico por ai. E já tenho minha teoria para o que pode ser. Se 2014 FHD foi um grande dane-se para as expectativas e demandas da sociedade, parece que este representará o mesmo, mas o dane-se será dado para o cenário atual do rap.

Duas músicas aparecem neste documentário. Em uma, provavelmente intitulada False prophets (ouça ao lado), Cole claramente destrói Kanye West em seu primeiro verso. A música, como o próprio possível nome diz, critica a mensagem que os rappers passam, como se perdem ao longo da carreira e a imagem que representam para a juventude. Na outra faixa (ouça abaixo), a qual não arrisco o nome, mas parece ser a intro, ele diz que está de volta para destruir esses rappers que são isso, aquilo e aquilo outro, colocando seus contemporâneos em categorias que visam e significam tudo, menos provocar pensamento e discussões necessárias e evoluir como pessoa.

Todas as 10 músicas do álbum devem seguir esta linha de ir contra o panorama deste gênero musical, servindo, então, como um alerta para a juventude americana que idolatra certos artistas e também como uma verdadeira bomba que não deve deixar pedra sobre pedra no rap game.

Estaria Jermaine se preparando para jogar uma bomba em seus contemporâneos?

Quer mais? Acredito que o nome, 4 Your Eyez Only, refere-se à falsidade e falta de identidade dos rappers que estão na mira de J. Cole. O estilo de vida e a mensagem que oferecem não é real. É apenas para os seus olhos. E, antes que o hip-hop volte a ser um poderoso sistema de transformação da sociedade, precisamos que pare-se de comprar o que está ai. A mudança começa debaixo. Não adianta ter um Kendrick e um J. Cole para cada quarenta Kodak Black e Lil Uzi Vert. O público tem o poder, e talvez esse álbum sirva para abrir os olhos dos ouvintes.

É como J. Cole diz em um trecho do vídeo: agora que ele está nesse patamar, no topo do rap, é hora de usar a plataforma para difundir uma mensagem que signifique algo. Criticar a sociedade para quem quer ouvi-lo falando sobre isso até que poderia ser bom, mas não tão original e poderoso quanto apontar a arma para o rap em si e quebrar as sustentações que por muito tempo só serviram para difundir algo atrativo somente para os olhos, e não para a mente e a alma. A matéria prima sai na sexta que vem.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.