Sobre terminar um namoro de boa

Uma indireta pra todos os nossos amigos

Eu namorei cinco anos, quase seis, e de forma geral foi muito legal. Amei pra caralho, ri pra caralho, chorei bem pouquinho em comparação com as coisas boas. De forma geral, dá pra dizer que foi um namoro 10/10. E aí acabou.

Depois de tanto tempo a gente cansa, perde a paciência e para de fazer concessões. Namoro é fazer concessões — que nem na política, mas moralmente aceitável e necessário. Chegou uma hora que a gente parou de fazer concessões e começamos a brigar. E isso era insuportável.

Depois de algum tempo levando o namoro, pensando sobre nosso relacionamento e uma quantidade considerável de brigas estúpidas por absolutamente nada, resolvemos terminar depois de um episódio de Gilmore Girls. Não fazia mais sentido.

Deixamos de nos amar? Não! Pelo contrário: terminamos porque o nosso amor é mais importante que o namoro. Não adiantava levar adiante, se o único caminho era acabar se magoando, odiando, querendo matar lentamente a outra pessoa, etc. A gente só quer ficar de boa, se falar quando tiver vontade e ficar feliz pela vida do outro.

Pra gente isso faz sentido, mas pros nossos amigos não muito…

Nosso namoro foi realmente muito legal. A galera sempre disse que a gente era “esperança no amor”, que a gente era algum tipo de exemplo ou sei lá. Muitas vezes, em outras ocasiões em que quase terminamos, brincamos que a gente tinha essa responsabilidade com as pessoas.

Quando contei pra minha melhor amiga que tinha terminado o namorado, depois de se certificar que eu tava bem, a primeiríssima pergunta dela foi:

E não! A gente tava meio apavorado com isso — com razão. Como previsto, a galera não reagiu muito bem. Não foi uma vez que ouvi que: (1) a “esperança no amor” tinha acabado, (2) que “talvez seja temporário” e/ou que (3)“isso vai se resolver”. E seguinte:

  1. Não temos nada a ver com a esperança de ninguém. Nosso amor é nosso e de mais ninguém. Quando alguém diz isso pra alguém que terminou um namoro de tanto tempo há tão pouco, não leva em consideração que sempre existem dúvidas, que é um processo dolorido e que, de certa forma, se sente responsável pela esperança alheia. E outra: nosso amor não acabou. O que acabou foi o namoro. Tudo que a gente sente pelo outro ainda tá aí, firmão, mas com a compreensão de que a dinâmica vai ser diferente (e, pasmem, melhor). Foram cinco quase seis fucking anos!!! Não dá pra dizer que deu errado porque terminou.
  2. Talvez não seja temporário. Talvez seja pra sempre, não sei. Bem complicado ter que lidar com todas as dúvidas achando que, talvez, em algum momento, quiçá, quando vê, a gente acabe por ventura voltando lá pra frente. Isso dá um nó na cabeça que cês não tão ligado.
  3. Já tá tudo resolvido, carai! Quando a gente decidiu terminar que resolvemos nossos problemas, saca? Depois de muita conversa e muito choro, a gente finalmente compreendeu que só terminando nosso namoro que íamos resolver nossos problemas.
  4. Bonus Track: a gente tá bem! Sim, dói. Sim, não é fácil. Sim, a gente chora às vezes em posição fetal no sofá enquanto enche quatro folhas de caderno com nhaca emocional, sim. Mas, de forma geral, a gente tá bem. De verdade! Então não precisa perguntar mil vezes, tá mores?

Eu entendo o quanto vocês nos amam e como se importam e gostam de nos ver felizes e juntos. Não tamo de cara com ninguém, mas queria do fundo do coração que vocês soubessem que, às vezes, esse tipo de coisa bagunça a cabeça de quem acabou de terminar um namoro.

Então, a dica que fica é: tentem ficar de boa tanto quanto a gente. E nos chamem pra sair, beber, tomar um chimarrão, jogar videogame, comer uma pizza, comer outra pizza, etc.