2015 e a saga da formatura

Eram os primeiros momentos de 2015, os fogos ainda estavam no céu de Taboão da Serra, neste momento me mantive um pouco afastado do meu grupo de amigos. Era um momento introspectivo, era o meu mais tradicional momento de réveillons que era uma analise do ano anterior e uma projeção do ano seguinte. Infelizmente não contive as lagrimas. 2014 havia sido um ano muito difícil e 2015 era uma incógnita, sabia que seria difícil de qualquer maneira, mas não sabia quantificar.

Era inicio de 2015 e ainda faltava coisas do TCC para finalizar, mas nada que eu achasse que fosse comprometer. Foi tudo dentro do prazo, não precisei virar mais as noites igual dezembro. Tudo entregue era só aguardar a nota, a previsão era para antes do carnaval, chegou o carnaval e nada, começou um dos primeiros surtos do ano. Caso eu não me formasse eu era jubilado, tendo que pedir um reaproveitamento de matéria. Veio o primeiro alívio, minha orientadora disse que eu havia passado, mas nada da nota ter saído. Chegou o ultimo dia para o lançamento das notas e nada havia sido lançado. Entrei em choque. Mandei um e-mail e consegui resolver enfim formado.

Mas como nem tudo são flores neste ano de 2015, saiu a lista de documentos faltantes e descobri que faltava um relatório de um estágio que fiz em 2010 para eu poder pegar o diploma, tive que correr o mundo todo pois a agência não funcionava no mesmo local, eu não tinha o telefone da minha chefe, tentei mandar um email para o email antigo dela. E deu certo. Mandei um relatório, ela assinou e no dia de entregar, era o ultimo dia possível, sai do trabalho correndo, parei no Habib’s para comer algo pois tinha que atravessar a cidade e eles simplesmente não fizeram meu pedido pois não chegou a cozinha. Problema na impressora, pedi meu dinheiro de volta e sai do Butantã até a USP Leste em Ermelino Matarazzo, a seção fechava as 20h, pedi para algum amigo enrolar eles enquanto eu chegava, cheguei as 20h17 ( ainda não consegui esquecer o horário) e entreguei.

Agora sim, finalmente formado.

2015 foi um ano longo demais.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.