Star Wars: Episódio VII — O despertar da Chatice

Antes de iniciar a leitura, entenda as regras da casa.

O texto é uma opinião pessoal, não-técnica, sem fanatismo, então antes de me xingar entenda que trata-se de uma O-P-I-N-I-Ã-O! Não sou cinéfilo, nem crítico de cinema, nem diretor, nem escritor, nem nada de nada, estou escrevendo isso apenas para mostrar o que EU senti do filme. VOCÊ tem o direito de concordar ou discordar.

Regra Nº1: Contém Spoiler. Se ainda não assistiu o filme, leio o texto depois.
Regra Nº2: Não me xingue e não corrija meus erros de português. O importante é o contexto, não a norma culta da língua.

Começo o texto opinando: De Zero (0) a Dez (10) este filme é nota 3 e olhe lá.

Star Wars é talvez o maior sucesso de bilheteria da história até agora e uma das mais cultuadas sagas da história do cinema. Ao longo de 38 anos o filme conquistou fãs no mundo todo. É uma história como outra qualquer do cinema, tem aventura, tem romance, tem mocinho, tem bandido e final feliz. Quando foi lançado em 1977 ele foi criado para ser uma ruptura no cinema e foi feito para conquistar o público jovem, da criança ao adolescente. Ele não foi feito para o público adulto da época.

Comercialmente isso foi uma jogada GENIAL e arriscada, como eu já escrevi, foi uma ruptura no formato de filmes para cinema, foi criado para entretenimento puro e para perpetuar, tanto que, por 22 anos a Lucas Arts lucrou com a venda de produtos da série, filmes, quadrinhos etc. até o lançamento do fraquíssimo EPISÓDIO I em 1999 e suas sequências. (Tópico para uma nova discussão…rs).

Fato é que com o anúncio de que Star Wars episódio VII seria lançado, houve uma verdadeira comoção de âmbito mundial. O frenesi foi imenso e me coloco nisso, também fiquei super empolgado com a ideia de darem seguimento a Saga, mas ao mesmo tempo em que bateu a empolgação, também vieram as lembranças da primeira tentativa da Lucas Arts em trazer Star Wars à vida com a "explicação" da história nas sequências I, II e III. E pior, agora a Disney está na jogada e isso significa sucesso comercial.

Dito e feito! Chegou o dia de assistir ao GRANDE LANÇAMENTO de 2015, O Despertar da Força e como esperado as forças disneyanas entraram em ação. MATARAM uma história épica em troca da busca por novos fãs. Comercialmente, nota 10. Tem um novo público, as crianças e adolescentes amam o filme [tal qual em 1977], mas para mim de uma geração mais velha foi uma verdadeira tragédia. Conseguiram fazer um filme sem graça, sem emoção, sem sal e absolutamente "flat" (Não há picos de emoção nessa porcaria de filme, há apenas espasmos de um passado que os novos fãs nem vão entender).

Vamos aos breves fatos:

Desde o 1º filme da série, ainda que sempre tenhamos nossa torcida para os mocinhos, a grande verdade é que gostamos mesmo dos vilões.

Créditos: pcworld.com

Darth Vader e os Stormtroopers sempre foram e sempre serão um verdadeiro sucesso na venda de souvenirs. Ninguém quer bonecos do Luke, do Han Solo, da Princesa Leia. O sucesso está nestes vilões…o restante só queremos para completar time, é como aquele moleque perna de pau que é sempre escolhido por último na pelada do final de semana.

Neste novo filme o vilão é um baita de um FROXO, não tem nenhum apelo, não é intrigante e continua sendo uma versão mal feita de Darth Vader. Capa, Capacete e voz de robô. Ele sequer consegue ter um pouquinho de personalidade como teve o Sith. [que também foi um belo fracasso, mas ainda tinha seu charme]. Parece um menino de 16 anos que saiu da puberdade e ainda se masturba umas 6 vezes por dia tomando banhos de 40 minutos. Na escola dos vilões tenho certeza que ele levava bicuda na mochila e pagava lanche. Isso!!!!! Um vilão que sofria bulling. [Talvez seja o que vamos descobrir no próximo filme].

Os picos de emoção só ocorrem quando há um retorno ao passado.

Créditos: Jovem Nerd

A história e seus novos personagens são pobres de empatia, não há laços com o público, pouco importa quem é filho de quem ou o que eles farão. São extremamente chatinhos, parecem um jogo entre Cabofriense x Bragantino. No filme o coração só bate um tiquinho quando:

  • Eles encontram a Millennium Falcon
  • O Han Solo aparece com o Chewie
  • Eles encontram a princesa/general Léia

Estou tentando lembrar de mais algum pico de emoção, mas está difícil, foram duas horas de lenga lenga. Nem a morte do Han Solo foi tocante.

Nenhuma das lutas foram interessantes, na verdade foram bem meia-boca. As batalhas das naves também…Pffff. Ao menos conseguiram fazer um Droid bonitinho.

O final mais criativo das galáctas (Fiquei perplecto)

Acreditem ou não, neste caso temos que dar os parabéns. Os roteiristas fizeram um excelente trabalho. Criaram uma nova Estrela da Morte tamanho família que faz adivinha o que??? Adivinha??? Hã??? Última chanceeeeeeeee.

Acertô Mizeravi, fizeram uma nova estrela da morte que tem um raio que destrói planetas e "não é apenas só isso". Na compra de uma Death Star 3.0 você ainda ganha um final em que ela é DES-TRU-Í-DA, isso mesmo, não é pegadinha não. Refizeram os antigos finais. [Talvez para reconquistar a nova safra de seguidores Disney]. Na minha opinião deveriam colocar o lobinho Edward lá e fazer com que ele se apaixone pela Rey, só para irritar a chatinha da Bela. [Só acho].

Mas há alguma coisa boa no filme? Claro que há…paguei meia-entrada :)