Pai meu e eu

Senhorio do hermetismo do senhor;
antológico antagonismo icônico.
Poeta e desvairado homem acrônico;
a todo tempo sobre o fado de meu pai e condutor.

És o que resta de uma humanidade completa;
teu ser integérrimo me ampara,
rumino tudo o que já me falara
e quando eu ter-te-ei sucedido, terei também cumprido uma de minhas metas!

Diferentemente de Urano e Chronos,
tal qual a sucessão de Chronos e Zeus…
Ei de entender os passos teus 
e reproduzi-los sem troca de tronos…

Trago a herdança, na abundância a herança:
Do nascimento, do antagonismo, da bonança…
Do conhecimento, do romantismo, da mudança…
Espero isso, como também algo mais trazer!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.