Uma mixtape de Ben Lee

Não conheço nada do trabalho musical do Ben Lee, só o nome dele mesmo. Pode ser que ele esteja entre os queridinhos do mundo indie, ainda que não tenha ouvido ninguém falar sobre ele — bem ou mal. O australiano já tem uns dez álbuns espalhados por vinte anos (eu ainda estou tentando me acostumar com o fato de que 1990 não é mais “há dez anos”), mas foi apenas o último trabalho que caiu nas minhas mãos.

“A Mixtape From Ben Lee” reúne onze faixas, cada uma com um participante. O Ben, aliás, não abre a boca no álbum inteiro, deixando até que o estilo musical da maioria dos amigos (pelo menos dos que eu conheço) seja incorporado às canções. Eu sei que não conheço absolutamente nada sobre ele, como disse no início, mas é muito perceptível a característica melódica de cada banda ou artista em cada canção.

No vídeo, ele cita todos os artistas: de Zooey Dechanel a Angie Hart (vocalista do Frente!, banda one-hit wonder que regravou uma música do New Order, lembra?), dos Estados Unidos a sua terra-natal. Achei engraçado, e um pouco de exagero da parte dele, ter dito “performances vocais nunca antes ouvidas”. É praticamente impossível — nunca podemos generalizar — ninguém ter ouvido falar do Sean Lennon ou da Nina Persson (vocalista daquela minha banda favorita, lembra?), mesmo que não se conheça nenhuma composição deles, como eu em relação ao próprio Ben Lee.

Eu cheguei até à “mixtape” do Lee por meio da participação especial da Nina em “Static”, em meio a tantas outras que ela tem feito de uns anos para cá (inclusive com o marido dela, Nathan Larson, também compositor e cantor). Essa faixa, entretanto, é a que mais foge à regra: eu nunca diria que é uma música propriamente da Nina ou influência de suas bandas A Camp ou The Cardigans — tem lá suas batidinhas eletrônicas e um ar de felicidade fora da realidade. Por outro lado, outras canções como “You’re The Reason” (Zooey Deschanel, que soa muito mais She & Him), “Love Won’t Let You Down” (Sally Seltmann, que provavelmente resgatou um pouco a essência do New Buffalo, seu primeiro codinome), “Life As Unusual” (Ben Folds) e “Turn Back Now” (Azure Ray) poderiam ser consideradas parte de suas respectivas discografias.

Porém, a música que mais me encantou no álbum inteiro é, sem dúvida, “You Confuse Me”, interpretada por Ian Ball, vocalista da banda Gomez (também classificada como indie; alguém conhece?). Pode ser que as notas de piano tenho me fisgado sem cerimônias, mas o conjunto instrumento-voz-melodia me convenceu de primeira.

Quem quiser ouvir na íntegra, basta acessar sua página do Bandcamp (ou dar play abaixo). Sugiro, inclusive, fazer o download pelo próprio canal: você pode comprar o álbum no formato que quiser (MP3 ou FLAC, por exemplo) a partir de um dólar. Isso mesmo: US$ 1,00. Todo o dinheiro arrecadado vai para o “Q’ero Project”, que visa dar suporte ao povoado de Q’ero, no Peru, o último vestígio ancestral vivo que se conhece da cultura Inca.