Não existe futebol sem torcida, inclusive no futebol feminino

Fim de olimpíada, medalha de ouro do futebol feminino novamente fica no quase, com isso um roteiro se repete irritantemente desde Atlanta em 1996 quando o futebol feminino estreou nas olimpíadas. Todos acham que as meninas são talentosas e guerreiras, que os resultados atingidos ( mesmo sem o ouro nas olimpíadas ou o título mundial) são muitos positivos apesar do pouco apoio, que a CBF, o governo, as empresas ou o papa se for preciso devem investir nas atletas… mas para quem estiver observando esse roteiro pela primeira vez, aviso de antemão, em uma, talvez duas semanas ninguém mais lembra do futebol feminino.
Cobrar apoio é importante, principalmente da CBF, que é dos citados acima, quem tem a obrigação de estimular o futebol feminino. Empresas só vão entrar quando perceberem que terão a certeza do retorno financeiro, e o governo… bom, melhor não depender de qualquer governo que seja pra isso. Mas essas olimpíadas por terem sido realizadas no Brasil teve um fator novo, a seleção lotou todos os estádios que jogou. Rio, São Paulo, Belo Horizonte e Manaus, a torcida brasileira apoiou incondicionalmente as meninas. E após o último jogo ao qual as meninas perderam o bronze pro Canadá, Formiga e Marta deram declarações precisas e comoventes: “esperamos que a torcida brasileira não nos abandone, pois nós não vamos desistir nunca”. Frase concisa que só poderia ser dita por quem vive o futebol e entende de algo aparentemente lógico mas que esta ficando quase que imperceptível: não existe futebol sem torcida. Soma-se o cansaço de esperar ajuda da CBF que nunca vem.
É nesse ponto que eu quero aprofundar, as olimpíadas por si só lotam as arquibancadas de todos os esportes, no Brasil tivemos uma ocupação de 91% dos espaços disponíveis. Mas ninguém vai ter falsas esperanças que todos os jogos de tênis de mesa ou badminton estarão com suas arenas lotadas após as olimpíadas. Infelizmente os jogos de futebol feminino também não estarão cheios. Algumas perguntas são inevitáveis: Quantos jogos de futebol feminino você foi? Você realmente gosta de futebol feminino, ou só acha injusto a falta de apoio? Já assistiu alguma partida sem ser da seleção? E se por um milagre os dirigentes da CBF e suas federações investissem parte dos milhões que a entidade lucra na realização de campeonatos mais longos que dessem estabilidade para as atletas, você iria? Faça essa pergunta a si mesmo e responda com sinceridade, pois se desde 1996 os resultados e as reclamações são os mesmos, por que dessa vez você iria frequentar os jogos das meninas? Se a resposta for não, você esta legitimando a CBF não investir no futebol feminino. Todos os esportes precisam de uma popularização pra se manter, ou então são mantidos por uma classe rica que o pratica, como a Vela e o Automobilismo. O Vôlei é um ótimo exemplo de como investiu na popularização do esporte para se consolidar.
Não estou eximindo a CBF de seus erros e muito menos botando a culpa na torcida, mas ta na hora de fazermos nossa parte, parar de ficar só na reclamação e mostrar que realmente existe uma torcida ávida pelo futebol feminino, que vai nos jogos que já existe, mas que espera ansiosamente por organizações de campeonatos mais longos e com mais equipes. Digo isso porque é o que esta em nossas mãos, o que podemos fazer por nós mesmos é ser torcida, e cá pra nós é uma tarefa prazerosa, ir a campo para torcer é uma delícia. O outro argumento é que não da pra contar e esperar nada de uma entidade como a CBF. Questionem em seus clubes, grandes e pequenos, os times de bairro, as escolinhas, o motivo de não terem um time feminino. Promovam peladas pela cidade, estimulem mais mulheres a jogar futebol, pois é sempre bom lembrar que até outro dia o Estado proibia a prática deste esporte pelas mulheres. Mas principalmente, escutem os apelos de Marta, Formiga e cia e não as abandone. Elas já estão cansadas de abraços, apoio e estádios lotados durante as olimpíadas e logo no primeiro campeonato local na sequência notar o total ostracismo. O Futebol tem uma essência, é a torcida, sem isso o esporte fica sem sentido.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.