Dois Roteiros para Curtir o Último Final de Semana do Comida di Buteco

Não perca a chance de experimentar novidades incríveis a preços bastante acessíveis

Ainda dá tempo de organizar a sua caravana! Em ritmo de despedida, os 60 botecos que integram a etapa carioca do Comida di Buteco estarão de portas abertas neste fim de semana em busca dos votos que elegerão o melhor petisco da cidade.

A edição da vez desafiou os cozinheiros a apresentarem petiscos que contenham um cereal, e o preço máximo permitido por quitute é de R$ 25,90. E a turma fez bonito: de canquijiquinha à quinoa, os participantes conseguiram manter firme o intuito de celebrar a botecagem carioca, e mais do que isso, preservar a tradição boemia que faz parte da nossa cultura.

Farofinha, pernil, sardinha, pão com carne assada, moela, linguincinha mineira, jiló, costela no bafo, joelho de porco… ficou com água na boca? Para dar uma mãozinha a quem ainda não participou, aí vão duas ideias de roteiros para se inspirar!

As maravilhas tijucanas

Já fazem uns bons anos que os tijucanos se consagraram no circuito da botecagem carioca. A Praça da Bandeira foi a porta entrada de turistas e cariocas de outras regiões, mas logo nomes como o Toninho do Momo e Luiza da Gema trataram de incluir seus endereços no radar dos moradores da Zona Sul e Oeste. Numa tacada só, dá para experimentar a Ciscadinha do Bar da Gema, que vem com drumetes de frango temperados com ervas, mergulhadas na farofa de canjiquinha com bacon; e a moela preparada à moda asiática do Bar do Momo, com purê de batata doce, quinoa frita e farofa de torresmo.

Em seguida, o destino pode ser o Bar Madrid, que serve uma tapa espanhola no pão especial, com base de pesto de agrião, filé mignon suíno como ingrediente principal, molho especial da casa e pimentões. Outros participantes que podem turbinar o passeio são os estreantes Noo Cachaçaria e o Barbatchê, além do Dida Bar, Mani & Oca e o Bode Cheiroso, e outra boa pedida é esticar a tour indo rumo ao Grajaú, no Bar Santo Remédio, campeão de 2015, que especialmente no domingo entre 12h e 14h oferece uma Pinã Colada de presente para as mães que pedirem o Unidos Venceremos. O concorrente é feito com discos de arroz temperados com a tradicional morcela portuguesa com paleta suína marinada por três dias e um mix de mostardas. Não bastasse a quantidade de bares, o roteiro ainda tem um benefício: dá para chegar e ir embora de metrô em stress.

Botecando na Guanabara

Aqui a Lei Seca também não será problema. Três botequins da nossa Pérola da Guanabara, a Ilha de Paquetá, integram o circuito de petiscos este ano, e as criações da vez já valem a missão de encarar a barca no fim de semana. O estreante — mas já tradicional — Zeca’s, na Praça Bom Jesus, serve o criativo Belo, Recatado e do Mar, tortinhas de massa folhada recheada com camarão na manteiga e requeijão cremoso, servido com chips de aipim gratinados com cheddar e bacon.

Na ala dos veteranos, o MM Vitória serve o Maxixe da Moreninha, carne seca e maxixe com molho da casa acompanhado de torradinha de alho e o Quintal da Regina entra com As Gostosas de Paquetá, linguiças artesanais da casa servidas com a farofa de germe de trigo e banana verde, e tomate assado. Em tempo, a sexta é de música ao vivo no quintal, olha aí o incentivo. Se a ideia for desbravar a ilha, a dica é chegar cedo na Praça Pedro Bruno, já que as 10h — do sábado e do domingo -, vai sair uma caminhada cultural até a Pedra da Moreninha, com direito a uma aula sobre a história da Ilha que inspirou o romance de Joaquim Manuel de Macedo escrito em 1843.

Outra ilha reforçou presença no circuito deste ano. Na Ilha da Gigóia, a mini-Veneza da Barra da Tijuca, a “baratona” acontece de barco e oferece três petiscos para explorar. Na dúvida, confira outros destinos do festival aqui!

Valeu a pena ler?

Por favor, clique no 💚️ abaixo para ajudar outros a encontrar esse artigo, e deixe um comentário. Obrigado por ler! 👍

Fonte: Agenda Carioca