As pessoas mudam?

O tempo passa, a vida passa, as coisas mudam. Mas, e as pessoas?

A vida que levamos é consequência das nossas próprias escolhas, sejam elas corretas ou erradas, afinal, não existe uma sequência "linda" cheia de acertos, as vezes erramos e erramos feio.

E como essas escolhas são feitas?

Já reparou que o ser humano, mesmo que inconsciente, tem uma grande tendência a optar por aquilo que mais se encaixa aos seus gostos, afinidades e até mesmo no que é mais cômodo para ele? Pois é, sair da zona de conforto não é para todos.

Por isso, tenho o costume de dizer que não, as pessoas não mudam. O que muda é o tempo e suas necessidades.

Sabe aquele tão famoso ditado que diz "o tempo é o melhor remédio"?! Ele simplesmente está correto. O tempo cura feridas e leva coisas ruins embora, basta nos focarmos no que é melhor para nós.

Uma coisa que parecia ser a melhor 5 anos atrás, obviamente, não é a melhor hoje porque a vida mudou, as necessidades mudaram e as preferências foram se modificando ao longo de cada experiência vivida, mas em essência as pessoas sempre continuam as mesmas e por mais que prometam mudanças radicais, na hora que alguma coisa "sair do eixo" o comportamento poderá mudar.

Nossas escolhas nos ensinam a todo momento o que nos é melhor e por isso, nem sempre decidimos continuar no caminho que estamos.

Por exemplo, há alguns anos atrás eu era uma pessoa extremamente ciumenta, as circunstâncias e os fatos me faziam ser assim. Hoje, não vou dizer que não sinto mais ciúmes, mas não é algo que se sobressai na minha personalidade porque tudo mudou e não tenho motivos para deixar que o ciúmes comande a minha vida. Ou seja, não é que deixei de ser ciumenta, as experiências me ensinaram a ser sensata e a perceber no que realmente é importante gastar minhas energias.

Com isso, aprendi que viver os extremos pode ser bom para encontrar o equilíbrio e acredito que tudo acontece por um motivo. Quando as pessoas parecem mudar, na verdade isso é um sinal de que a realidade atual não serve mais para ela e não exatamente tem a ver com gostar de algo ou de alguém, os objetivos apenas mudaram e é natural que a hora de correr atrás das mudanças chegue para que seus objetivos sejam alcançados.

Portanto, não se culpe tanto se algo der errado porque a vida, infelizmente, não depende apenas de você. Também não faça de tudo para se adaptar a nova realidade de outras pessoas, não renuncie sua felicidade e muito menos seus objetivos. Apenas faça a sua parte, foque em você e tenha certeza de que a recompensa um dia chegará.


Se você gostou desse post, curta nossa página no Facebook clicando aqui e não deixe de recomendar clicando no coração ali embaixo.


One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.