O casamento #julianaejhony2014

Sobre o dia do meu casamento, em detalhes.

Dia 02 de maio de 2014, o dia planejado para ser o nosso casamento.
E foi, claro!

Como a inspiração para os meus posts vieram a partir desse dia, nada mais justo que começar contando como ele foi.

Para esquentar, veja o clipe feito pela Love Birds Films.

http://vimeo.com/99860684
Geralmente, em blogs de casamentos, a história é contada toda fantasiada, mostrando detalhes da decoração, detalhes do making off, etc.
Vou tentar fazer algo diferente. Quero contar como tudo foi escolhido, como tudo aconteceu. Então, se você que está lendo e foi um dos nossos convidados, talvez saiba de detalhes que nem imaginou.
O post vai ser grande, mas prometo que vai valer a pena.

Agora vamos lá…


As cores

Quando comecei a pesquisar inspirações para as cores da decoração gostei bastante de preto com branco, estava decidida que seriam essas cores. Porém, quando fui comprar os papéis e enfeites para confeccionar os convites mudei de ideia e ficaram nas cores amarelo, branco e dourado.

Nosso convite foi assim:

Convite dos padrinhos.

A decoração

Tentamos combinar tudo com o convite, já que ele foi o primeiro contato que os convidados tiveram com o tema/estilo do casamento.

Igreja Santa Isabel, Curitiba -PR.
Mezza Notte Eventos, Santa Felicidade.

Making off

Começamos o dia indo nos “embelezar”. O Jhony (meu noivo) foi para uma barbearia bem bacana aqui em Curitiba com seus amigos.

Quando fomos alugar a roupinha de pinguim dele (haha), ganhava um voucher para se arrumar nessa barbearia. Achamos muito legal a ideia, pois assim ele poderia se arrumar com os amigos e ter um making off bem legal para lembrar estilo "clube do bolinha".

Jhony em seu dia
de “princeso” na
Barbearia Clube.
Uma prévia da
galera que foi se
arrumar com ele.
Gatão, não?
R: Sim, demais! (resposta que ele me deu quando leu o post e pediu pra por huahuahuahua)

Eu fui para um hotel, onde me arrumei apenas com meus pais. Resolvi não chamar mais pessoas pois queria que fosse um momento só nosso.

Minha mãe fingindo
fechar meu vestido pra foto ficar bonita.
Quem realmente fechou
foi minha querida maquiadora Andréa.

Meu vestido, sapatos, buquê e make

Como eu sei que o vestido é o que mais as mulheres tem curiosidade de saber, vou contar um pouquinho sobre ele.

Antes de escolher experimentei cerca de 30 vestidos, para saber qual modelo ficaria melhor no meu corpo. As lojas de aluguéis aqui em Curitiba estavam caríssimas, os vestidos eram usados e não encontrei nenhum exatamente do jeito que eu queria. Então, eu encomendei do Ateliê da minha maquiadora Andréa Veronesi.

A primeira ideia seria um vestido com bolero, pois tinha medo que precisasse ficar puxando ele a noite toda, mas quando provei sem o bolero tive a certeza de que ele era dispensável. E gente, esses vestidos não caem de jeito nenhum e não precisei ficar arrumando.

Usar ou não usar véu? Decidi não usar. Como sou baixinha (1,53 de altura), ele iria me deixar menor ainda.

Meu vestido, Maggie Sottero modelo Willow adaptado.

Escolher o meu sapato seria um parto, pois calço 33. Porém, graças a minha maquiadora consegui achar o modelo perfeito no seu ateliê.

Sapatos Laura Porto, muito confortáveis.

Aliás, eu peguei muita coisa com uma pessoa só: vestido, sapato, maquiagem, cabelo, roupa da daminha e roupa do noivo. O que me rendeu uma preocupação a menos por saber que tudo estava em boas mãos.

Agora, o meu buquê.

Queria algo diferente e que mostrasse minha personalidade. Quem me conhece há mais tempo sabe que eu sempre gostei de coisas mais artesanais, antigamente eu até bordava (pretendo voltar, mas esse será outro post).

Então, pesquisando, encontrei uma opção que achei DI-VI-NA chamada patchwork.

Meu buquê da
Mari Salles Patchwork.

E para combinar com o meu buquê super alegre, escolhi uma maquiagem colorida com tons de rosa e roxo ❤.

Make.

Hora de ir para a igreja

Primeira coisa que eu tenho que contar:

Meu noivo esqueceu os sapatos em casa. Na hora de se arrumar, teve que voltar até em casa buscar o sapato certo.

O problema foi que, no making off, ficou com o tênis aparecendo (huahuahua).

Opssss,
onde está
o sapato?

Óbvio que ele só me contou isso no dia seguinte, se não eu mataria ele por Whatsaap.

O que me deu a certeza de que ter levado as alianças comigo para o hotel foi a melhor coisa a ser feita, assim não corri o risco dele esquecer elas também.

Alianças Vivara.

Eu odeio atrasos. Então, me adiantei em tudo que deu e fiquei pronta bem cedo.

Pra passar um tempo, saí na rua tirar algumas fotos com a nossa fotógrafa, Larissa Guimarães.

Deixa eu falar um pouco da Lari.
Ela é uma querida! Conheci seu trabalho pela internet e ela foi a primeira fotógrafa que visitamos. De primeira adoramos ela, não apenas pela qualidade das fotos, mas principalmente por todo o carinho que ela sempre demonstrou e pela afinidade que sentimos.

Rua do centro
de Curitiba.

Para economizar o meu transporte até a igreja foi no carro do meu pai, assim ele ganhou um dia de motorista particular.

Mesmo assim cheguei antes de todos os nossos convidados na igreja, até antes do noivo. Sim! Eu estava lá, escondidinha dentro do carro vendo todo mundo chegar com minha tia de companhia.

Enquanto isso meus pais recebiam os convidados.


Madrinhas especiais

Eu adoro detalhes e não poderia deixar de ter um especialmente para nossas madrinhas. Queria que elas se sentissem especiais, de modo que todos que as vissem soubessem que, dali para frente seriam muito mais que amigas.

Sendo assim, pedi para que minha cerimonial colocasse no pulso de cada uma delas um corsage.

Corsage: Um pequeno buquê de flores usado no pulso de uma mulher em ocasiões especiais, tornou-se também uma prática habitual como demonstração de carinho e afeto.
Madrinhas colocando
o corsage.
Mamãe também usou um.

A cerimônia

Quando decidimos por uma cerimônia religiosa eu já tinha algumas igrejas em mente, porém passei cerca de um mês ligando para todas elas em busca de uma data disponível e nada de conseguir, sem contar que elas eram muito grandes para o nosso número de convidados que foi em torno de 150 pessoas.

Foi então que lembrei de uma igrejinha linda que eu passava em frente todos dias, a Santa Isabel. Liguei e consegui a data perfeita, corri para conhecer e o tamanho também era o ideal.

Igreja Santa Isabel.
Todos os bancos tinham lencinhos para os convidados enxugarem suas lágrimas de felicidade :)

Os primeiros a entrarem na igreja foram os nossos padrinhos, vou apresentá-los:

Carol e Flávio: estão presentes na minha vida há quase 10 anos. Conheci a Carol no ensino médio e, de lá para cá estamos sempre acompanhando a vida uma da outra. Não nos vemos sempre, mas pra ser uma amiga de verdade não precisa ver todos os dias, basta estar no coração ❤.

Eu e o Jhony fomos padrinhos do casamento deles, e agora foi a vez deles serem os nossos (veja como foi o casamento deles aqui).

Carol e Flávio.

Gabi e Jacoh: não são um casal, mas são grandes amigos. A Gabi é como uma irmã para o Jhony e o Jacoh é um amigão desde a infância. São pessoas que eu amei desde o primeiro dia que ouvi falar e quando os conheci, entendi o por que eles eram tão especiais.

Gabi e Jacoh.

Elaine e Maykon: conheci o Maykon na faculdade e ele já namorava a Elaine, mas eu só conheci ela um tempão depois. O que importa é eu dizer que o Maykon é como um irmão, sempre esteve do meu lado torcendo por mim, me dando conselhos e puxando minha orelha.

Em novembro será a nossa vez de ser padrinhos desses queridos.

Elaine e Maykon.

Caju e Japa: eu conheci o Jhony indo de penetra no aniversário da Caju, não tinha nem como ela não ser madrinha né. E o Japa é o amigo mais doido, que nós temos. Em troca de serem nossos padrinhos, ela nos fará bolos de chocolate eternamente e ele se comprometeu em ser o tiozão dos nossos filhos (mas vai demorar hehe).

Depois foi a vez dos nossos pais.

Meus sogros,
Sr. Elizeu e
Sra. Deumira.
Meu pais,
Sr. Reinaldo
e Sra. Eliane.
Chorei com essa foto dos meus pais agora.

Logo em seguida o noivo. Digam "oh" para o noivo…

Ohhhhhhhhh que gato.
Noivo com a mãe.

Agora a vez da daminha fofa. Quando eu cheguei para entrar, ela estava lá chorando e imagino que morrendo de medo, mas foi bem tranquilinha.

Maysa, nossa
daminha e sobrinha.

Só tivemos uma daminha e queria que o vestido e o que ela levasse em mãos fosse bem o jeito criança e principalmente, o jeito dela. Escolhemos um buquê de marshmallow e o vestido foi ela mesma quem escolheu e ficou um arraso.

Ah! Ela não levou as alianças, nós resolvemos homenagear um dos nossos padrinhos, o Jacoh e então ele quem levou até o altar e acabou sendo uma maneira bem legal que nós encontramos de agradecer por sua amizade (ele incusive disse que até chorou de tanta emoção).

Entrada da daminha.

Nessa hora eu já estava ali ó, do lado esquerdo da porta.

Esperando a
hora de entrar.

Agora é minha vez, me pergunte se eu estava nervosa.

Ju, você estava nervosa?

Não! Eu não estava. Pra falar a verdade, eu passei o dia todo tranquila. Não me estressei em nenhum momento, não fiquei nervosa nem nada. Só deu um frio na barriga.

Afinal, eu sabia que minha cerimonial era muito boa e chata nos detalhes como eu.

Então a cerimonial nos mandou entrar e… a porta emperrou. Ela não abria de jeito nenhum.

Porta empacada
quem nem mula.

E o noivo lá… ansioso.

Mas conseguiram abrir e lá fomos nós. Eu entrei sorrindo e dando oi para um monte de convidados. Não me pergunte por quê.

Entrada com meu pai.

Músicas escolhidas para a cerimônia:

Padrinhos: You’re My Best Friend – Queen
Pais:
All of my love – Led Zepplin
Noivo:
Everlong – Foo Fighter
Daminha:
A Whole new World – Tema Aladim
Noiva: Marcha Nupcial
Benção das alianças:
Iris- Go go Dolls
Assinaturas:
Here Comes The Sun – Beatles
Saída:
I’ll Be There For You


O celebrante

O Padre da igreja que escolhemos, há 1 mês da data chegou pra mim e disse que não poderia fazer nosso casamento. Porque bem no dia ele iria viajar e que então, EU TINHA QUE ARRANJAR OUTRO PADRE.

A minha vontade era de socar a cara dele. Sério!

Por que não avisou antes? O casamento estava marcado há 1 ano, e faltando 1 mês ele me avisa…

Mas foi bom. A mãe de uma das minhas madrinhas (a tia Rose) conhecia o Diácono Lauro. Ela me disse que ele era muito bom para casamentos. Liguei para ele desesperada, mas ele foi super tranquilo e aceitou o convite na hora.

Não sei se vocês sabem, mas o Diácono é um homem casado e a igreja exige que tenha filhos e que não tenha sido divorciado. Na minha opinião, é uma pessoa muito mais preparada para falar de casamentos, pois vive a experiência no seu dia a dia.

Ele inclusive disse que o Jhony deve me esperar em casa com o jantar pronto. Estou esperando meu jantar até hoje…

Diácono Lauro.
Cerimônia
descontraída.
Bênção das
alianças.
Eu Jhony, te
recebo Juliana
como minha
esposa…
E te prometo ser fiel,
amar-te e respeitar-te…
Então vos declaro,
marido e mulher!
Aheoooooo.

Noivos se exibindo…

Enquanto os convidados corriam para a recepção nós fomos tirar algumas fotos em uma vinícola muito linda, cheia de luzinhas de natal.

Vinhos Durigan.
Mezza Notte Eventos.

Recepção

Agora, vamos para a parte divertida! Mas antes, irei contar quais foram os critérios de escolha do local:

1- Queríamos que nossos convidados comessem bem.
2- Queríamos que nossos convidados se divertissem muito.
3- Queríamos que a pista de dança fosse o centro das atenções.
4- Bom custo X benefício.

Então escolhemos o restaurante Mezza Notte em Santa Felicidade, ele era perfeito para tudo o que queríamos.

As cores da decoração combinavam com nosso convite.
Pista de dança.

Para agradecer a presença dos nossos convidados, fiz uma plaquinha que foi colocada em todas mesas com o texto:

Momentos especiais são compartilhados com pessoas especiais.
Queremos agradecer a alegria de sua amizade, a qual desejamos manter para sempre. Agradecemos por estar aqui.
Nos vemos lá em casa!
Plaquinhas.

Também fiz porta guardanapos de papel, escrito "bom apetite".

As lembrancinhas foram feitas por mim e meus pais.

Doce de leite
no potinho.

O topo de bolo foi feito pela nossa madrinha, Carol.

Com celular
na mão, óbvio.

Agora um pouquinho da mesa de doces:

Pirâmide de maracujá,
exigência do noivo.
Plaquinhas feitas
por mim com o
nome dos docinhos.

Antes de entrar no salão de festas fizemos uma seção de fotos com os pais e padrinhos.

Logo após, entramos no salão ao som da música "Party Rock Anthem - LMFAO".

Tivemos a arrecadação de dinheiro através do sapato da noiva e gravata do noivo. Muita gente acha deselegante, eu sinceramente não acho (deselegante é ir em um casamento de calça jeans).

Foram arrecadados R$ 3.000 e todo esse dinheiro foi utilizado na nossa lua de mel. Obrigada gente!

Japa todo feliz
com o dinheiro.
Meninas tocando
o fervo.

Como queríamos que tudo fosse o mais objetivo possível, decidimos o seguinte: enquanto nossos amigos passavam de mesa em mesa arrecadando dinheiro, nós passaríamos cumprimentando os convidados e tirando fotos com cada um deles.

Isso agilizou muito o processo todo.


Hora de jogar o buquê…

Fiz 3 minis buquês para jogar, parecido com o meu. Neles um recadinho:

Você será a próxima.
Segundo a tradição, quem pega o buquê da noiva é a proóxima a se casar. Esse hábito surgiu no século 14, na França, com o objetivo de trazer sorte para a amiga solteira da noiva.
Te desejo muito amor, felicidade e que venha o próximo casamento!

Abrindo a pista de danças

Nós não dançamos valsa e também não fizemos dança dos noivos. Apenas chamamos nossos convidados para a pista.

A festa foi muito, mas muitooooo animada. Queríamos a pista de dança cheia, né. Ela ficou cheia do início ao fim do evento.

Eu e meu noivo dançamos a festa toda. Para não doer meus pés, troquei o sapato por uma Melissa bem confortável.

Fiz plaquinhas com frases e photo boot pra animar o pessoal.

E assim foi o nosso casamento ❤.

Tudo saiu perfeito, não soube de nada que não tenha dado certo. A maioria das noivas sempre comenta que não foi exatamente do jeito que elas sonharam, mas pra mim foi.

Para ver mais fotos, clique aqui.


Curiosidade$:

  • Gastei apenas R$ 400 para fazer os convites, toda papelaria (placas nas mesas, placas de buffet e doces, porta guardanapos, lágrimas de felicidades e bolhas de sabão) e também o photo boot ;
  • As impressões para todo esse material foram feitas na minha impressora;
  • Fizemos 150 lembrancinhas e levamos 2 dias colocando doce nos potinhos;
  • Meu buquê ficou pronto 6 meses antes do casamento (a mais desesperada);
  • Meu vestido foi encomendado 10 meses antes do casamento e ficou pronto
    6 meses antes;
  • Foram feitos, a mão, cerca de 300 lacinhos, utilizados nos convites e lembrancinhas;
  • Devo ter economizado mais de R$ 5.000 fazendo eu mesmas todas essas coisas;
  • Devo ter economizado, no mínimo, outros R$ 5.000 pesquisando MUITO os fornecedores (foto, vídeo, decoração, cerimonial, igreja, doces);
  • Também fiz 2 kits para os banheiros, gastei cerca de R$ 120 (produtos + caixa personalizada).
  • O casamento foi em uma sexta-feira, na emenda do feriado para que: os amigos de outras cidades pudessem vir e também, por ser cerca de R$ 15,00 mais barato por convidado.
  • A empresa da filmagem é de um amigo meu;
  • Os principais fornecedores contratados (cerimonial e decoração), foram indicação do local da recepção, o que me ajudou e muito a confiar no trabalho deles.
  • Ultrapassamos cerca de 30% do orçamento previsto para o casamento (portanto, se ainda não casou, se prepare piscológicamente).

Fornecedores:

Recomento todos eles, são super atenciosos e competentes.

Cerimonial: Suelen Sourient
Decoração: Soli Decorações
Música da cerimônia: Aurelius Clarins Eventos Musicais
Filmagem: Lovebirds Films
Make, vestido, penteado e sapatos da noiva: Andréa Veronesi Maquiadora
Buquê da noiva, buquês para jogar e corsages: Mari Salles Patchwork
Roupa do noivo: Andréa Veronesi Maquiadora
Making off noiva: Slaviero Palace
Making off do noivo: Barbearia Clube
Convite, papelaria e lembrancinhas: Noiva e Mãe da noiva
Bolo falso, bolo verdadeiro e doces: Karen Ranalli
Topo de bolo: Detalhes Arte em Biscuit
Cerimônia: Paróquia Santa Isabel
Festa: Mezza Notte Eventos (salão 1)

Curta nossa página no Facebook clicando aqui.

Se gostou desse post não deixe de recomendar e de conferir mais posts na nossa coleção A Vida depois do Sim aqui no Medium.

Like what you read? Give Ju Do Vale a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.