Não sei vocês, mas a minha “ficha” de ter virado adulta foi cair somente depois que sai da casa dos meus pais. Na verdade tudo já havia começado quando eu e meu marido (na época namorado) compramos nosso apartamento, mas eu ainda não havia me acostumado com essa ideia.

Desde que começamos a namorar já falávamos em termos a nossa casa, um dia fomos em uma feira de imóveis, vimos que com esforço conseguiríamos pagar um apartamento e compramos. Isso virou um ponta pé inicial para que a nossa vida mudasse completamente e para que nossos objetivos pessoais passassem a ser coletivos, até mesmo a vida financeira que precisava ter um novo rumo ou então, não teríamos como arcar com todas as despesas do apartamento.

Falando no apartamento… compramos na planta e é aquela coisa: você só paga boletos infinitos, faz a maior correria com a papelada do financiamento e não vê nada até que finalmente recebe as chaves.

A entrega das chaves, pra mim foi um marco. Era hora de correr atrás de pisos, móveis, decorações, etc e eu sinceramente não sei como conseguimos fazer tudo o que fizemos, só sei dizer que trabalhávamos muito, umas 12 horas por dia ou mais. Junto com tudo isso estávamos organizando o casamento, até que o grande dia da festa e da mudança chegaram ao mesmo tempo.

Nos primeiros dias tudo é muito estranho. Eu ainda estava com aquela saudade da casa dos meus pais, sentindo falta da companhia deles e mais um infinidade de dúvidas que inevitavelmente pairam sobre as nossas mentes neste momento, mas calma o pior é quando chegam as contas (haha!): luz, água, condomínio, telefone…

Meu Deus porque tanta conta? Meus pais pagam tudo isso?
Como conseguem se organizar com esses vencimentos?
Não quero mais brincar de casinhaaaaaa!

Pois é, isso é apenas a vida te mostrando que agora já era. A hora de virar adulto chegou e é agora, não tem como deixar para depois.

Sempre senti essa necessidade de ter um canto meu, onde eu “mandasse”, onde as coisas seriam do jeito que eu quisesse casada ou não, afinal a mulher sempre manda na casa (huahuahua). Não é verdade?

Mas relaxa, logo você se acostuma, no começo provavelmente as coisas serão um pouco mais difíceis até pegar o jeito e aprender a controlar mais as contas. Porém as contas não serão o único problema a ser enfrentado, a convivência também não é nada fácil.

Ao decidir morar com outra pessoa é preciso ter em mente que a paciência será imprescindível para que a convivência dê certo, afinal cada pessoa possui suas manias e por mais tempo que um casal esteja junto, tenha certeza de que ao dividirem a mesma casa irão descobrir coisas que nem imaginavam um do outro. Lembre-se também de que quando você morava com seus pais muitas das tarefas domésticas não precisavam ser necessariamente feitas por você, mas na sua casa elas precisarão ser feitas, não é mesmo?

Por isso deixo três conselhos:

  • finanças: é importante que o casal tenha controle de todo o dinheiro que entra e saí da conta bancária de ambos, se não conseguirem ter esse controle em contas separadas, façam uma conta conjunta e em uma planilha listem todos os gastos, despesas, recebimento e façam um cálculo para definir se precisarão dar uma segurada no dinheiro em casa mês (já falei sobre isso aqui).
  • convivência: tenha paciência e conforme as situações "chatas" forem acontecendo conversem e com isso definam quais comportamentos deverão ser mudados para que haja harmonia no dia a dia.
  • afazeres domésticos: dividam as tarefas, vale até fazer um cronograma diário do que cada um deve fazer, se não a carga maior pode ficar para uma pessoa só. Ah… mas é claro que mesmo assim a mulher fará mais coisas do que o homem, acho que é instinto, não tem jeito (falarei melhor sobre isso no próximo post).

Mas eu ainda acho que o pior é o lado financeiro do casal, dizem que existe um momento da vida que atingimos a estabilidade, eu rezo todos os dias pra que ele chegue logo ☺.

Se você está se preparando para o dia de virar adulto, boa sorte e se você já está nessa, não se preocupe irá sobreviver.


Você irá gostar de ler:

Curta nossa página no Facebook clicando aqui.

A Vida depois do Sim

Esta é uma coleção com dicas, inspirações e reflexões para vida a dois. — Por Ju do Vale

Ju Do Vale

Written by

Formada em Design, especialista em UX, Primeira Dama do Jhony, mãe da Lily e criadora do canal Meu AUmigo Cão no Youtube.

A Vida depois do Sim

Esta é uma coleção com dicas, inspirações e reflexões para vida a dois. — Por Ju do Vale

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade