Os Núcleos de Agroecologia

No Brasil existem inúmeras experiências agroecológicas construídas pelas práticas de resistência de inúmeras comunidades de agricultoras e agricultores em todos os territórios. Estas experiências, ajustadas a variados contextos e distintos processos sócio-biodiversos, demonstram a possibilidade da produção de base ecológica, em contraposição ao modelo econômico excludente que prevalece no meio rural.

Essas experiências também mobilizam um número expressivo de profissionais atuantes em instituições científico-acadêmicas por meio dos Núcleos e Redes de Núcleos de Estudo em Agroecologia (NEAs e R-NEAs), fomentados através de chamadas públicas lançadas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico — CNPq, com aporte financeiro dos ministérios envolvidos com o tema.

Ao longo do tempo, os NEAs procuram garantir espaços de diálogo e o exercício da indissociabilidade entre pesquisa — ensino — extensão, em constante e permanente interação com a sociedade. A indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão relaciona-se às práticas das universidades brasileiras e é um princípio orientador da qualidade da produção universitária, previsto no artigo 207 da Constituição Brasileira de 1988.

Compreende-se que as ações de extensão adquirem maior efetividade se estiverem vinculadas a processos de formação das pessoas (processos educativos) e de geração de conhecimento. Essa indissociabilidade articula a produção de novos saberes, a intervenção nos processos sociais e a ação educativa para formar cidadãos e profissionais. As relações entre o ensino, pesquisa e extensão possibilitam ainda múltiplas oportunidades de articulação entre as instituições científico-acadêmicas e a sociedade. As comunidades e seus territórios deixam de ser meros receptáculos de conhecimentos produzidos e passam a fazer parte do processo de geração do conhecimento científico.

Já são visíveis os legados deixados pelos Núcleos de Agroecologia nas práticas de ensino, pesquisa e extensão. Seja nas universidades, nos Institutos Federais Tecnológicos ou nos Centros de Pesquisa, os NEAs vêm, nos últimos seis anos, se tornando pontos aglutinadores de pesquisas, formação e ações em agroecologia que possibilitam integrar conhecimentos e processos metodológicos capazes de aproximar os diferentes conhecimentos técnicos-acadêmicos com a diversidade de saberes tradicionais, enfatizando a participação e a construção conjunta de ações.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated ABA Agroecologia’s story.