Sementes

“Ninguém caminha sem aprender a caminhar, sem aprender a fazer o caminho caminhando, refazendo e retocando o sonho pelo qual se pôs a caminhar”. Paulo Freire

Durante a caminhada do Projeto de Sistematização aprendemos um “tanto”. Aprendemos que, talvez, o mais importante seja acreditar e fazer junto. Ajustar as velas com cuidado com quem caminha junto e com os princípios que unem e junto o povo.

Entre as apostas construídas estão as análises de dados secundários e de materiais produzidos pelos NEAs, os seminários regionais de sistematização, o II Seminário de Educação em Agroecologia e as oficinas de sistematização realizados em parceria com os núcleos de agroecologia e as organizações que atuam nos diferentes territórios.

Para além dos produtos gerados e esperados, acreditamos que os processos tecidos ao longo da caminhada tiveram grande significado nessa trajetória. Como sementes que encontram a terra, estas atividades são potenciais frutificadores de muitas outras reflexões e ações muito além do previsto em projetos e planejamento.

A análise dos dados secundários e dos materiais produzidos pelos núcleos nos aproximaram um pouco mais da complexidade e riqueza do trabalho que os NEAs realizam. Seguindo a caminhada, foram realizados cinco seminários regionais de sistematização, sendo um em cada região (Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul). Estes momentos foram espaços de formação sobre a sistematização de experiências, que buscaram possibilitar a troca de experiências sobre a sistematização entre os núcleos e parceiros regionais, exercitar coletivamente o uso de diferentes ferramentas e estratégias de sistematização, definir conjuntamente as experiências que seriam aprofundadas pelo Projeto e elaborar planos de sistematização para os três casos definidos.

Seguindo nas semeaduras, foram construídas — a muitas mãos — as oficina de sistematização. Cada Núcleo vivenciou uma imersão no processos de sistematização de sua experiência, construindo coletivamente o seu Rio do Tempo, além de outras muitas reflexões. As oficina foram também momentos de planejamento, do concreto e do sonhado.

Nesse último ciclo de ações, seguimos como sempre: participando e contribuindo com os NEAs e com as Articulações de Agroecologia as atividades que forem possível: Caravanas, Seminários, Oficinas, reuniões… Como momentos finais e de culminância desses processos temos a Oficina de Escrita Científica e Produtos de Comunicação e o I Encontro Nacional dos Núcleos de Agroecologia.

“Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa que lançamos hoje no solo da vida. Se for para semear, então que seja para produzir milhões de sorrisos, de solidariedade e amizade.” Cora Coralina

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.