Abacaxi Fabuloso #1

Falando um pouco da minha arte

Eu tava com problemas pra fazer meu trabalho final numa disciplina da faculdade. Eu queria fazer uma idéia já rejeitada anteriormente, que era basicamente uma visão meio tosca sobre o não-objeto (tinha juntado plástico bolha, bolas de pingue-pongue, calculadora e uma buzina). Como não tinha pensado nada melhor eu fui comprar as coisas pro trabalho. No ônibus…


Há um tempo atrás eu fiz um jogo que não é bem um jogo. Eu queria fazer algo que fosse interativo mas que não tivesse um objetivo definido como um jogo. Daí pensei em formas simples, como círculos, triângulos, quadrados…

E então isto surgiu. São objetos que possuem características e regras próprias e cada objeto interage de uma maneira com outros objetos ao redor. Achei um comentário meu sobre o aplicativo num rascunho de um post no Medium:

Houve certa vez que eu estava obcecade com pontos geométricos e abstração em geral. Ainda tenho essa obsessão, mas antes era pior. No auge dela dei forma a um “jogo” no Construct 2 envolvendo pontos, quadrados, triângulos e círculos. O jogo não tem título.
Apesar de ser essencialmente abstrato, o jogo envolve certas regras nunca explicitadas por mim que imaginei serem facilmente descobertas por quem ficasse um tempo interagindo. Cada elemento possui sua própria personalidade e interage de uma maneira diferente com outros ao seu redor. Por que os assignei assim e não de uma outra maneira? Responder a isso seria como indagar por que há vida na Terra e não em outro lugar. Pensar nas possibilidades não concretizadas é tão complicado quanto pensar na razão da possibilidade real.
Apenas veja! Veja os pontos se tornarem um e serem devorados por triângulos pacientes! Veja os círculos sumirem diante da placidez de um quadrado. E veja o triângulo azul! E mexa-o…

No ônibus eu me lembrei dessa ideia esquecida (o projeto é de 2014) e quase voltei pra casa ali mesmo. Só pra não perder a viagem comprei umas coisas (incluindo duas calças que não tinham nada a ver com nada disso) e fui pra casa testar se o treco ainda funcionava.

O link funciona perfeitamente e o arquivo no Construct 2 também. Salvei o arquivo no pendrive e fui pra aula. A turma excepcionalmente cheia, cada um preparando seus trabalhos finais, cheguei no computador e testei os arquivos: funcionaram perfeitamente.

As apresentações foram bem interessantes. Teve gente que tocou baixo, fez performance, gravou vídeo… (Aqui eu admito que deveria ter prestado mais atenção nas outras pessoas, mas uma leve ansiedade de apresentar logo me fez ter autoconsciência excessiva)

Então eu apresentei. Tentei explicar um pouco de como cheguei até o resultado presente. Falei um pouco de regras, algoritmo e aleatoriedade. Me perguntaram sobre qual programa eu usei pra criar. O professor perguntou se tinha um tempo pré-definido. Respondi que não, mas em dois minutos os elementos se estabilizam se nada for feito embora a natureza do projeto não delimite o tempo (poderia deixar passando o negócio pra sempre). E assim terminei a apresentação e finalmente entrei de férias da faculdade.


No Twitter me perguntaram o porquê de eu querer saber a cor favorita de vocês. Não vou responder ainda, exceto no momento certo (ie quando eu tiver pelo menos um assinante de cada cor).


Texto publicado originalmente numa newsletter. Quem quiser assinar, pode se inscrever neste link.

Like what you read? Give Eurritimia a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.