EXPERIÊNCIAS LOCAIS, A NOVA TENDÊNCIA DE VIAGEM

É impossível negar que viagens e experiências estão obrigatoriamente relacionadas entre si. A vivência da cultura local, as características, a culinária e as peculiaridades de cada destino são fatores muito importantes para que a experiência seja potencializada. Não é a toa que as pessoas estão deixando de fazer programas turísticos para conhecer um vilarejo e jantar na casa de uma família local, por exemplo. A tendência é imergir no cotidiano das comunidades, conhecendo o destino a fundo.

Eu AdoroViajar, mas devo confessar que nos últimos anos, a minha forma de ver e de organizar os meus roteiros mudou bastante. Hoje eu tento ir muito além dos circuitos tradicionais, tentando explorar as comunidades e costumes locais, vivenciando o lugar ao invés de me contentar com os pontos turísticos obrigatórios.

Dos inúmeros momentos que vivi durante minhas viagens, os que mais me marcaram e os que me orgulho em contar, são as experiências que considero diferenciadas.

Almoço típico em vilarejo

O meu primeiro contato com esse novo estilo de viagem foi na Capadócia, Turquia. Fomos almoçar em um pequeno vilarejo, experimentamos comida típica e vivenciamos esse momento incrível, totalmente fora da rota turística. A refeição é preparada por uma família local e os ingredientes são todos frescos, comprados no dia para o número certo de pessoas.

[gallery columns=”2" size=”full” ids=”9446,9447"]

Fábrica de cerâmica

Depois do almoço fomos conhecer alguns comércios locais. Nossa primeira parada foi em uma fábrica de cerâmica, fomos recebidos com chá de maçã enquanto um artesão nos mostrava como moldar argila. Depois de observar, eu sentei e pude fazer o meu próprio vaso.

[gallery columns=”2" size=”full” ids=”9445,9444"]

Cooperativa local

Ainda na Capadócia, fomos conhecer uma cooperativa de tapetes, projeto muito legal idealizado pelo governo da Turquia. A cooperativa foi criada para que as pessoas da região tenham emprego e não precisem migrar para outros lugares. Eu pude conhecer o lugar e depois aprender como eles fazem algumas tramas.

[gallery columns=”2" size=”full” ids=”9449,9454"]

Aula de culinária típica

Um ano depois, em uma viagem de 22 dias pelo norte da Índia, decidi me atentar a isso na hora de escolher o meu roteiro. Fiz programas turísticos, claro, mas nunca deixando de lado as experiências locais. Em Delhi, fizemos um curso de culinária indiana e vegetariana com uma moradora local. Aprendemos a fazer mais de 8 pratos diferentes, entre eles: pães tradicionais, legumes com curry, batatas e muitos molhos!

[gallery size=”full” ids=”9463,9462,9461"]

City Walk com ex moradores de rua

Também fizemos passeios por um dos bairros mais pobres da cidade, acompanhados de adolescentes locais. Todos os guias são ex moradores de rua e foram resgatados pela ONG. Depois do city walk, fomos conhecer e brincar com crianças que foram encontradas em situação de risco e contato com drogas.

[gallery columns=”2" size=”full” ids=”9464,9460"]

Safari e experiência no deserto

Ainda na Índia, mas agora no Deserto de Thar, fronteira com o Paquistão, nós tivemos uma experiência cultural incrível. Fizemos um safari no deserto e depois passamos a noite em um acampamento, assistindo shows de músicas típicas, experimentando a culinária local e dormindo em uma tenda super equipada, no meio do nada.

Desert (16)

[gallery columns=”2" size=”full” ids=”9468,9469"]

Não importa em qual país você esteja, se é rico, se é pobre, se a experiência é gastronômica, cultural ou social. O importante é sair da superficialidade do destino.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.