10 desafios de UX que Você vai enfrentar em breve, segundo Jakob Nielsen

Jakob Nielsen na UX Conference Las Vegas em Fevereiro de 2018

Os 10 desafios de UX para os próximos anos foi tema que um dos maiores especialistas em User Experience da atualidade, Jakob Nielsen, escolheu para ministrar um keynote durante o UX Conference de Fevereiro de 2018, em Las Vegas. Durante o evento, ele apresentou suas ideias e direções sobre o futuro do UX. Nielsen falou sobre como os papéis de UX vão evoluir e como o envolvimento de UX pode (irá) resolver muitos desafios grandes para o mundo.

Nilsen destacou suas previsões para os próximos anos em termos de UX, mas se você espera previsões de interfaces, ele já foi claro dizendo que isso é algo que não pode ser previsto. Na primeira parte, ele fala dos desafios a longo prazo, pensando em um período de 25 anos. E por que esse período de 25 anos? Porque muitas coisas inovadoras da tecnologia demoram mais ou menos esse tempo entre os primeiros protótipos e o uso totalmente difundido. Na parte dos desafios a curto prazo, o período é de 5 anos.

O mouse, por exemplo, foi inventado há 20 anos, mas era um trambolho pesado e desconfortável, assim como os tablets. Há 25 anos atrás, os tablets eram extremamente pesados e custavam 11 vezes o que um iPad custa hoje. O termo “User Experience”, por exemplo, foi cunhado há 24 anos por Don Norman, mas antes disso já existia, mesmo que de forma primitiva. As coisas que há 25 anos atrás estavam em fase de pesquisa, hoje tem uso popular, então é um período que podemos considerar para pensar em mudanças grandes.

Desafios a longo prazo (25 anos)

Desafio nº 1: Produtividade de trabalho

A produtividade é algo diretamente relacionado à riqueza das nações e aos ganhos das pessoas. Nenhuma empresa pode pagar mais do que seus funcionários produzem, ou vai falir. Então se quisermos evoluir, temos que produzir mais. Quando os setores da indústria e agricultura dominavam a economia global, a questão da produtividade estava resolvida, mas agora que o trabalho intelectual vem crescendo economicamente, isso se tornou um problema.

Nós não estamos avançando na produtividade do trabalho intelectual, principalmente por culpa dos computadores, pois estamos sofrendo para lidar com design ruim. Além disso, há pouco suporte para coisas como tomada de decisões e apoio à criatividade.

Desafio nº 2: Empoderar a população através dos computadores

Hoje em dia, apenas 5% da população mundial usa de forma realmente avançada os computadores, usando dados de várias fontes de informações para tomada de decisões. A maioria das pessoas sabe fazer somente tarefas muito simples, e se sente oprimida pela tecnologia de forma geral, simplesmente não consegue transformar a tecnologia em uma ferramenta de empoderamento.

Desafio nº 3: Incluir os usuários idosos

Esse desafio é uma continuação do anterior, pois em grande parte, a dificuldade de uso acontece porque os computadores são complexos e difíceis de usar, já que não são criados para funcionar da mesma forma que a maioria da população pensa. Eles são projetados para as mentes dos engenheiros do topo do mercado, e não para a população geral. Os usuários idosos também são negligenciados, o que preocupa, pois a população, em geral, está cada vez mais velha,visto que a longevidade tem aumentado. Em contrapartida, os produtos são pensados apenas para o público jovem.

Desafio nº 4: Segurança acessível

Com o avanço da tecnologia, o fator da vulnerabilidade da segurança também cresce, e não é criando mais processos e senhas com letras, números e caracteres especiais que o problema será resolvido. Para se resolver o problema da segurança, o fator humano deve ser levado em conta. As pessoas não têm a capacidade de se lembrar de senhas gigantes e complicadas, então acabam anotando em papéis e guardando em suas gavetas. O fator humano é o mais crucial na questão da segurança da informação.

Desafio nº 5: Uso correto da Metodologia UX

Outro desafio importante é ter a metodologia UX correta sendo usada de forma ostensiva em todos os tipos de design, pois ainda encontramos muitos erros de usabilidade sendo cometidos várias e várias vezes. Embora nós saibamos como evitar esses erros, na prática não acontece. Mesmo grandes empresas especializadas em UX continuam cometendo erros básicos, pois não seguem as melhores práticas.

Precisamos ter o escopo completo da metodologia em todo o ciclo de vida de um produto, design centrado no usuário desde o princípio, qualidade de testes de usabilidade, enfim, todas as práticas indicadas de forma ostensiva.

Desafios a curto prazo (5 anos)

Nielsen também destacou alguns desafios que a UX deve enfrentar agora em um prazo mais curto, pois são coisas que já estão acontecendo e já estão nas mãos do usuário. Também são desafios que já estão nas mãos de equipes de UX no mundo todo, ou devem chegar em breve.

Desafio nº 1: Inteligência Artificial

A inteligência artificial é a tecnologia quente do momento, todo mundo está de olho. E como muitas tecnologias novas, sofre do mal de tere o design centrado na tecnologia, e não no usuário. Mas se todos seguirem as lições de UX e focarem mais no usuário, teremos produtos incríveis de AI muito em breve. Caso contrário, provavelmente esses produtos estão fadados ao fracasso.

Desafio nº 2: Interfaces não visuais e experiência em múltiplos dispositivos

Este também é um desafio que já está na mesa de muitos profissionais de UX. Invés de pensar na experiência de uma única interface, precisamos ter em mente que ninguém mais usa apenas um ou o computador. E o desafio está na criação de toda a experiência conectada através de diferentes dispositivos e interfaces.

Desafio n° 3: Não negligenciar telas maiores

Além de termos diferentes dispositivos em que o usuário experiencia um produto, também temos diferentes tamanhos de telas. E não basta apenas aumentar para uma tela grande (por exemplo a interface de uma Apple TV) o que já está em uma tela pequena de um smartphone. É preciso pensar em criar uma experiência diferente, não apenas colocando mais dados para o usuário, mas realmente aproveitando o potencial do espaço maior.

Desafio nº 4: Fazer a tecnologia realmente funcionar

Fazer a tecnologia funcionar é um desafio que precisa ser resolvido a curto prazo. Nós precisamos com urgência parar de aceitar que a tecnologia as vezes não funciona direito. Nielsen cita o exemplo do Microsoft Word que existe há 34 anos e muitas vezes ainda comete erros básicos como estragar a formatação de um documento no momento da impressão. Ele dá um ultimato para todos os programadores do mundo, para que parem de lançar novas funcionalidades de software enquanto o que está no ar ainda tiver erros, e consertar esses erros.

Desafio nº 5: Evangelizar na metodologia UX

Nielsen mais uma vez é bem enfático em citar a importância de mais aceitação e entendimento, um melhor uso do UX e das metodologias. E ele cita novamente o UX como um dos desafios, tanto a curto prazo quanto a longo prazo porque acredita que a solução para todos os desafios citados passa pela aceitação e pleno entendimento de UX.

Coisas que parecem desafios, mas já estão quase resolvidas

Há muitos assuntos que estão na pauta dos profissionais de UX, mas que na visão de Nielsen já estão resolvidos, principalmente na perspectiva do usuário. Isso inclui interfaces de voz, carros autônomos e distrações ao dirigir. É claro que são problemas que estão no colo dos profissionais, mas com a metodologia aplicada corretamente, podem ser resolvidos, ou até mesmo deixarão de existir. As distrações ao dirigir, por exemplo, que infelizmente têm feito aumentar as mortes no trânsito, devem desaparecer em breve, com a popularização dos carros autônomos, pois as pessoas não estarão mais no volante.

Os avanços de UX (Spoiler: foram poucos, mas isso é bom)

De acordo com Nielsen, os avanços que tivemos nos últimos 70 anos em UX design foram poucos, cerca de apenas 10%. Mas ele mostra que há excelentes perspectivas para o futuro, pensando nos próximos 30 anos, fazendo um paralelo do cenário de UX em 1950 e uma previsão (bem otimista) para 2050.

Em 1950, havia apenas 10 profissionais de UX, que provavelmente estavam na equipe da Bell que criou a interface dos telefones, que ainda usamos hoje. Passamos por duas grandes evoluções que aumentaram a curva de crescimento: uma quanto o computador se tornou pessoal e outra quando as pessoas começaram a ter acesso à web. Na primeira, o usuário primeiro comprava o produto e depois tinha a experiência de uso. Com o surgimento da web, primeiro o usuário tem a experiência, para depois comprar.

Hoje, são mais de um milhão de profissionais de UX no mundo, em crescimento em diferentes esferas: dentro das empresas, dentro das indústrias e dentro dos países. Cada vez mais e mais a experiência do usuário está no foco das atenções. Isso tem muito a ver com um artigo nosso que publicamos recentemente dizendo que o Design e UX estão cada vez mais no centro das atenções das grandes empresas, dá uma olhada!

A previsão de Nielsen é que, em 2050, teremos 100 milhões de profissionais de UX no mundo, o que vai equivaler a cerca de 1% da população do planeta. E por que essa previsão é otimista? Porque, segundo ele, 1% da população vai pensar no que 99% vai executar, e esse 99% estará feliz, porque finalmente a tecnologia vai funcionar.

Nielsen finaliza com um recado bem otimista, dizendo que ainda não vimos nada, pois os últimos 70 anos foram insignificantes, se compararmos com a virada vai acontecer nos próximos 30, será incrível e tornaremos o mundo muito melhor.

Você quer fazer parte dessa revolução? Fique por dentro de todo conteúdo de UX, UI e Design de Interação subscrevendo para nossa newsletter:

Assista ao keynote completo que Jakob Nielsen ministrou na UX Conference Las Vegas:

Like what you read? Give Felipe Melo Guimarães a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.