6 dicas essenciais para montar seu portfólio de UX Design

Nesse artigo, vamos entender mais sobre as vantagens e importância de ter um portfólio específico de UX se você deseja migrar para essa área; além de dicas essenciais para impactar os recrutadores e conseguir sua tão sonhada oportunidade de trabalho como Product Designer.

Redesign of a University Library’s Page using the wireframe given — Projeto nível 1 MID da Aluna Luka Vasconcelos

O portfólio é um documento em que profissionais expõem seus trabalhos de forma mais visualmente elaborada. É uma seleção dos seus melhores projetos que representam sua identidade profissional, como uma “vitrine” do seu potencial.

Por que ter um portfólio é importante?

O primeiro fator que precisa ficar claro é a diferença entre currículo e portfólio. Enquanto o CV é um documento padronizado e nada original, o portfólio é uma oportunidade para demonstrar seu potencial e sua personalidade de forma mais moderna e particular. Não que não haja orientações gerais para elaborar um portfólio, mas é um gênero mais maleável que um currículo comum.

Faculdade, certificação e cursos online para Designers de Interface. Qual caminho escolher? Confira nosso artigo e tire suas dúvidas sobre o assunto.

Essa mudança de gênero na apresentação profissional, reflete a evolução das interações sociais e tecnológicas dos últimos anos. As pessoas estão mais apressadas do que nunca e buscam consumir conteúdos mais visuais do que textuais — outra grande diferença do CV tradicional.

Segundo especialistas, os recrutadores levam cerca de 6 segundos para examinarem um currículo.

Pensando nisso, as empresas estão focadas em identificar rapidamente perfis de possíveis pessoas que se enquadram na cultura e dinâmica da companhia. Por isso, é necessário trabalhar bem na elaboração da sua apresentação profissional, já que pode significar a diferença entre rejeição instantânea ou ser convidado para uma entrevista.

Além disso, na área de UX Design, há um leque de habilidades e funções que podem ser relacionadas com outras áreas. Assim, o portfólio é uma ótima oportunidade para mostrar aos recrutadores outras partes e funções de um projeto que você participou, como: Design de interface do usuário, tomada de decisões estratégicas ou supervisão do desenvolvimento da web. Tudo isso pode ser relatado e com certeza te dará mais visibilidade.

Você sabe quais são as 5 soft skills que irão fazer a diferença para você como Designer? Confira aqui.
Wikipedia — Projeto nível 2 MID da aluna Inis

Portfólio UX: vantagens
Como vimos acima, ter um portfólio é importantíssimos para UX/UI Designers. E claro que é preciso elaborá-lo com qualidade. Isso traz diversos benefícios para o profissional. Além das já citadas anteriormente, podemos acrescentar:

  • Vantagem competitiva — profissionais que não possuem portfólio não são nem considerados para vagas de trabalho;
  • Boa impressão — as empresas vão te levar mais a sério e já terão uma grande percepção acerca do seu trabalho;
  • Expressar sua identidade — seu portfólio é a sua “cara”, você deve deixar exposto seu estilo de trabalho e demonstrar que tipo de profissional é.

Montar um portfólio demonstra comprometimento, profissionalismo e importância dada a suas experiências. Isso porque, é preciso tempo, estudo e dedicação para mostrar seu estilo de trabalho e projetos.

Entretanto, na hora de montar o portfólio, podem surgir diversas dúvidas em relação a sua elaboração e montagem. “Será que coloco isso, será que tiro aquilo? Onde fica melhor tal informação? Por onde eu começo?…”

Esses, e outros, são questionamentos comuns que acabam surgindo no decorrer do processo. Por isso, decidimos trazer algumas dicas e sugestões que irão facilitar na hora da elaboração.

Aqui vão 6 dicas essenciais que você deve levar em conta na hora de fazer seu portfólio:

1 — Coloque um toque pessoal

Como dito anteriormente, as empresas estão em busca de perfis que se enquadrem na cultura empresarial deles. Assim, não tenha medo de demonstrar com sutileza seu estilo pessoal. Afinal, seus projetos refletem seu comportamento, modo de pensar e agir. Isso pode até ser uma forma de se destacar entre outros candidatos.

Confira em outro artigo nosso 3 habilidades cruciais para se tornar um melhor Designer. Ou se preferir, escute nosso podcast sobre quais Habilidades do Designer que devem ser exploradas.

Veja alguns exemplos de portfólios de alunos nossos que acabaram de conquistar suas primeiras oportunidades de trabalho como Product Designers:


2-Apresente alto nível de profissionalismo, em cada detalhe.

Utilizar construtores de sites como Wix e Cargo Collective são ótimas formas de acelerar o processo de montar seu portfolio, porém é importante tomar o cuidado de registrar um domínio próprio para enviar seu portfolio com seu nome e sem anúncios ou banners desses sites.

Lembre-se que você está disputando uma vaga, e nesse momento é muito importante você apresentar ao seu possível contratante a sua preocupação com detalhes.


3-Mate a cobra e mostre a cobra, não apenas o pau!

Brincadeiras e ditados a parte, não é raro encontrar profissionais que apenas apresentam os resultados finais de seus projetos. Porém, isso é um grave erro!

É necessário colocar em seu portfólio breves explicações do trajeto que percorreu até chegar no resultado final. Mostre que você é capaz de fazer até as partes mais complicadas antes do resultado pronto. A dica é colocar:

  • O problema a ser resolvido;
  • Pessoas envolvidas no projeto;
  • Ferramentas utilizadas;
  • Fases de descoberta — como você resolveu o problema;
  • O processo usado para superar o problema: wireframes lo-hi, protótipos, esboços, personas, jornadas de usuários e pesquisa;
  • O resultado final e o que aconteceu depois da entrega.

Isso está relacionado com a estratégia de inserir storytelling no portfólio. Que nada mais é do que contar de maneira objetiva o passo-a-passo do desenvolvimento do projeto. O que te fez mudar de ideia, quais eram as condições do contexto, próximo passo, imprevistos etc.

Projeto UX/UI Nespresso — da aluna Luka Vasconcelos

4 -Adequação ao nível

As experiências de quem está começando na área de UX Design e de quem já tem um tempo no mercado são diferentes e isso com certeza afeta também o portfólio.

Então, para os Designers juniors, que não possuem muito conteúdo, é aconselhável focar em projetos fantasmas — redesign de site de uma empresa real com problemas e situações reais, para que você possa mostrar seu rasciocínio através do storytelling (como já falamos),e principalmente, as metodologias que você já possui conhecimento, mesmo que teórico.

Por mais que seja muito falado por aí que é difícil, ou até impossível, se conseguir uma vaga em uma boa empresa sem nenhum projeto real em seu portifolio, não é o que tem acontecido com os nossos alunos do Bootcamp Master Interface Design. Muitos deles nunca tinham montado um portfólio de UX anteriormente, e vinham de diferentes backgrounds, e já, nos níveis iniciais do curso eles conseguiram oportunidades de trabalho em excelentes empresas como Totvs, DogHero, Itaú, Raizen, entre outras, com apenas 2 ou 3 projetos no portfolio, feitos ainda nos módulos iniciais do curso e após recebem feedbacks dos nossos mentores.

Você pode assistir aqui entrevistas com alunos ou ler os relatos aqui, se preferir.

Wikipedia — Projeto nível 2 MID do aluno Victor Rosato

Já para Senior Designers, a dica é mostrar exemplos do trabalho da sua equipe em diferentes projetos. Quais foram as estratégias usadas, delegação de tarefas, resultados finais etc. É interessante também mostrar alguma participação que você tenha tido no processo de tomada de decisão ou na gerência desse projeto, como também os resultados obtidos após a realização do projeto.

E para quem tem o foco apenas em pesquisa, é importante mesmo assim criar um portfólio. Mas ao invés de se mostrar interfaces, você deve expor os processos de pesquisa, elaboração de personas, jonada dos usuários e fases de descobertas que você tenha elaborado.

Jornada do Usuário — Projeto aluno André Borges

5- Quantidade nem sempre é qualidade

Na hora de selecionar quantos projetos irão para o portfólio, escolha no máximo 2 ou 3 referentes a vaga aplicada. Não adianta mostrar projetos de Design Gráfico se a vaga for para UX.

Além disso, os recrutadores possuem cerca de 60 segundos, ou menos, para avaliar seu portfólio. Então, se esses forem longos e cansativos, além de não relacionados a área espsecífica que você esteja aplicando, eles não serão selecionados! Não importa o quão você ache que eles são bons.

Por fim, para resumir as orientações do portfólio, concentre-se em:

  • Estrutura com navegação clara para os projetos, sub-rubricas e processos definidos;
  • Foque nos seus melhores trabalhos (3 no máximo) e sempre busque explicar e exemplificar as etapas (storytelling);
  • Inclua uma visão geral clara e contextualizada para entendimento rápido sobre cada projeto;
  • Adapte seu portfólio para todos os possíveis leitores.
Projeto UX/UI Nespresso — do aluno Gabriel Bezerra

6 -Linkedin para Designers

O Linkedin é uma excelente rede social totalmente voltada para relações profissionais. Por isso, é essencial que você esteja nessa plataforma e exponha o seu perfil profissional, portfólio e outras experiências. Além de estabelecer contatos e conhecer pessoas da mesma área para sempre estar atualizado e inserido no mercado.

Se o seu LinkedIn não está gerando grandes oportunidades para você como Designer. Você deve ler nosso artigo Linkedin para Designers ou escutar nosso podcast para que veja as dicas essenciais para otimizar seu perfil e ver como essa ferramenta pode potencializar sua carreira.