O que você precisa saber antes de focar a sua carreira em Mobile Design

Em mais um episódio do Aelacast, o Jônatas Vieira, o Matheus Santos, e eu, Felipe Melo, tivemos uma conversa bem bacana sobre as tendências e as necessidades da área de mobile design.

Você acredita que é mais difícil pensar em interfaces menores? Você está pensando em focar a sua carreira nessa área? Escute o episódio e leia as nossas dicas!

Quando o primeiro iPhone foi apresentado pelo Steve Jobs em janeiro de 2007, ficou todo mundo meio em choque. Ele abriu o navegador Safari naquela telinha, deu zoom e saiu clicando em um site totalmente pensado para desktop, e também navegou em aplicativos e viu vídeos, em uma época em que o YouTube ainda estava engatinhando.

Olhando com os olhos de hoje, visualizar um site completamente bolado para desktop na tela do celular é uma experiência no mínimo ruim.

Enquanto de um lado as áreas de UX e UI Design estão evoluindo cada vez mais para entregar uma experiência melhor para o usuário, de outro lado, as tecnologias também estão evoluindo de forma exponencial. Se você está pensando em migrar a sua carreira para esse mercado promissor, nós separamos algumas dicas para nortear o seu trabalho.

O mobile é uma parte importante de todo projeto

Em alguns projetos, logo nas etapas iniciais de planejamento, a necessidade de se pensar em mobile surge logo. Aliás, em vários projetos, a necessidade é mobile first, ou seja, é a prioridade número um.

É claro que é importante analisar as necessidades do cliente, do projeto e do usuário, além de avaliar eventuais dados que já existem sobre os acessos, com ferramentas como o Google Analytics.

Mesmo que não seja necessário criar um app mobile, a responsividade tem que entrar na frente na fila de prioridades da equipe de web, em todas as etapas do projeto.

E aqui vai um puxão de orelha: design responsivo não é “scale”. Dependendo da complexidade do produto, na versão mobile não dá pra ter tudo. É preciso ajustar o projeto para as necessidades e complexidades de cada dispositivo e da forma como o usuário interage com cada um.

O seu objetivo, como designer de interface, deve ser transformar a experiência de uso em algo que aproveite os melhores recursos disponíveis para determinado dispositivo.

Fique de olho nas tendências do futuro

Como já comentamos no começo do texto, a tecnologia está fazendo surgir novos formatos de interface, com formas diferentes de utilização e interação do usuário. A evolução de tecnologias como a Siri, da Apple, que está chegando ao mercado com capacidades incríveis de inteligência artificial no recém-lançado HomePod; e a própria Alexa, que está presente no dispositivo Echo da Amazon com inúmeras possibilidades de interação com o usuário já mostram essa tendência crescente.

Muito em breve, pode acontecer do portfólio de um designer de interface ter muito pouco ou quase nada de interfaces visuais. Então, é importante que o seu portfólio demonstre a sua capacidade de construir interfaces, com foco na experiência, e não necessariamente ter um estilo definido. A não ser que o seu foco de carreira seja realmente a área de visual design.

Eu vejo uma tendência muito forte do design se consolidar como algo que é capaz de solucionar problemas, e isso fica muito claro quando pensamos nas áreas de interface, design thinking e até mesmo em business design.

Como começar a dar os primeiros passos em Mobile Design

Para começar a trabalhar com mobile design é preciso muita prática, além de testar e validar muitas interfaces.

Você pode criar interfaces fake, mas não precisa refazer o Facebook ou o Spotify… Você pode escolher uma interface complicada que é utilizada em larga escala mundialmente, como por exemplo, alguns módulos do SAP.

O Jônatas deu uma dica muito boa durante esse podcast, que é o DailyUI, um site cujo objetivo é transformar você em um designer de interfaces melhor ao longo de 100 dias. Cada dia você recebe por e-mail um desafio simples diferente, para melhorar seus conhecimentos e seu trabalho em UI. Você vai ser desafiado e motivado a criar interfaces todos os dias e compartilhá-las utilizando a hashtag #DailyUI. Um excelente projeto para quem está estudando, não é?

Além disso, do ponto de vista da programação, é bem mais fácil para a equipe e para o projeto que os processos de UX sejam os primeiros a ser produzidos, para aí sim, se definir os trabalhos de back-end. Além disso, é importante sempre testar as interfaces diretamente do celular, pois as máquinas virtuais não dão uma real noção do uso, já que clicar com o mouse é bem diferente de clicar com o dedo.

Outra coisa legal é que você tem na sua mão uma ferramenta incrível para ficar de olho nas últimas tendências, que é a internet. Comece a acompanhar os eventos de lançamento do Google, Apple, entre outros, além de observar quais são os aplicativos, sites e produtos premiados, elogiados pela crítica e campeões de download.

E aí, você já está começando a dar os seus primeiros passos para focar a sua carreira em mobile design? Qual é a sua maior dificuldade?

Ouça o episódio do nosso podcast, anote as nossas dicas e deixe suas dúvidas nos comentários!