Qualquer um pode ser um UX Designer, verdade?

Photo by Headway on Unsplash

Quando uma determinada profissão torna-se popular, destaque em manchetes ou está em alta, é comum que as pessoas queiram migrar para ela. Pelas promessas por grandes salários, ou pela expectativa de se fazer algo novo, ou por puro idealismo — as razões são diversas.

Mas a pergunta que me faço, como profissional da área, é: será que UX / Product / Interaction / Call-it-what-you-want Design é para todos?

Minha primeira reação ao me fazer esta pergunta foi: eu poderia ser um médico? Poderia ser um piloto de avião? Poderia ser um músico?

A resposta simplória é: SIM. Qualquer um tem a capacidade mental de se tornar o que quiser, e o que vai determinar seu sucesso é sua dedicação em aprender algo novo, sua resiliência e paciência para recomeçar, do zero (isso mesmo, DO ZERO, mesmo que você já seja um Designer Gráfico).

Mas a realidade é mais complexa, e estes pontos acima dependem de diversos outros fatores que vão muito além de capacidade cognitiva.

Aí volto a me perguntar: eu — de fato e sinceramente — gostaria de ser um médico? E talvez esta seja a pergunta que você deve se fazer, pois isto vai determinar se você vai conseguir atravessar o vale obscuro e cheio de desafios do recomeço.

Eu adorava o seriado House. Para os que não sabem, é uma analogia a Sherlock Holmes (House — um trocadilho com Homes, uma forma relaxada de se pronunciar Holmes, e Dr. Wilson é uma representação de Watson), da vida de um médico que gira em torno de desvendar mistérios da natureza humana como um médico-detetive genial. É muito atrativa. Porém, não é a realidade, e acredito que isto não seja novidade para você.

O mesmo acontece em minha profissão de Product Designer, e em qualquer outra. Lá atrás eu vi também vídeos que me motivaram, pessoas contando de suas rotinas, palestras sobre o dia-a-dia em suas empresas (só a parte cool, óbvio…) e é claro que isto me cativava, mas a verdade é que trabalho é trabalho, e sempre haverão momentos em que você vai se questionar ou se sentir frustrado.

Falando nisso, se você deseja saber um pouco sobre como alguns de nossos alunos superaram os desafios de se ingressar em uma nova área, como se prepararam os processos seletivos (portfolio, currículo e entrevistas) e como é o dia a dia de cada um, agora atuando como UX/UI Designers, confira esse Hangout:
Hangout Alunos Aela

Já se sentiu perdido em sua profissão? Eu também. Já se questionou se estava trabalhando na profissão certa? Várias vezes! Já quis desistir e trocar de área? Não tenho dedos nas mãos para contar quantas vezes.

E, o que quero ao te contar estas coisas é que você deixe de romantizar a profissão (qualquer profissão!) e entenda os reais motivos pelos quais você quer migrar de área.

Seguem algumas coisas que não te contam sobre ser um UX / Product Designer:

  1. Sonha em trabalhar em grandes times? Em muitos casos e projetos você vai ter de resolver problemas sem apoio, pois muitos stakeholders ainda não entendem como funciona ou não tem dinheiro para apoiar suas iniciativas — e não importa seu nível ou o país em que você vive, isto sempre acontece;
  2. Sonha em trabalhar em grandes corporações ou empresas de grande porte? Seu sonho pode se tornar um pesadelo se você não gosta de processos morosos, burocracia ou hierarquia, pois quanto mais gente para gerenciar, mais processos são necessários;
  3. Sonha em trabalhar em empresas famosas de tecnologia? Saiba que em muitos casos você será “só mais uma” carta no deck deles e seu impacto nos projetos muitas vezes será mínimo. Este é um dos motivos que eu, particularmente, gosto de startups e projetos menores;
  4. Gosta de startups? Entenda que a falta de estrutura não é para qualquer um, e ser “dono” do seu lado do negócio pode ser extremamente desafiador.

Estes são apenas alguns pontos a se considerar, mas existem diversos outros, e muitos deles vão ser realidade para outras profissões também. O importante é você entender que Designers, Médicos, Programadores, Pedreiros, Banqueiros, todos enfrentam desafios e precisam trabalhar para provar seu valor.

Portanto, não baseie suas escolhas no que você vê em vídeos de Youtube ou stories de Instagram, pois lá é "tudo lindo, todos são felizes e bem sucedidos", e muito do que se vê são apenas "histórias de sucesso" visando alimentar o ego de um ou gerar likes para outro — isto quando o objetivo não é te vender falsas promessas…

Com isto, a palavra chave que quero deixar para você é: aptidão:

Aptidão
1. disposição inata ou adquirida (para determinada coisa)
2. série de requisitos necessários ao exercício de determinada atividade, função etc.

Sim, você pode nascer com algumas qualidades que vão te ajudar e facilitar sua vida ou pode se tornar apto a fazer algo através de esforço e estudo, mas é preciso entender que tudo o que eu falei anteriormente vai determinar se você será capaz ou não de trilhar este caminho.

Portanto, faça a si mesmo as seguintes perguntas para saber se você está apto a ser um UX / Product Designer:

  1. Gosto de lidar com problemas mais do que encontrar soluções? (Sempre haverão mais problemas do que soluções);
  2. Estou disposto a nunca mais ter zona de conforto e sempre precisar correr atrás de conhecimento? Pois, essa área de tecnologia está em constante evolução;
  3. Estou disposto a lidar com pessoas, mesmo que eu não “goste” de lidar estas?
  4. Gosto de tecnologia? (UX pode ser para TI ou não, mas sempre terá tecnologia envolvida).

Último ponto

Um ponto final para você que quer entrar na área, pois tenho visto isto na grande maioria dos iniciantes que tenho lidado: você não decide “vou correr uma maratona” e no dia seguinte corre 40km em 2h. Você não decide “vou aprender a tocar violão” e um mês depois está tocando como o Paco de Lucia.

O ponto é: tenha paciência no processo. Não comece rápido demais e queime a largada! (Sim, você pode se queimar aplicando para jobs sem ter conhecimentos sólidos ou pode se frustrar por tentar abraçar o mundo e não conseguir evoluir na velocidade surreal que você porventura esperava).

Se tornar um Designer após 1 ou 2 anos de estudos já é algo muito rápido, algo que raramente acontece em outras profissões, e ainda assim vejo pessoas desesperadas para aprender e conseguir um trabalho, sem consistência e planejamento, logo após iniciar estudos.

Conheça a história da Fábia Coelho, aluna do Bootcamp Master Interface Design, que migrou do Design Gráfico para UX Design e conseguiu 2 oportunidades de emprego em um curto espaço de tempo, através do portfólio que desenvolveu durante os primeiros níveis do Bootcamp.
Entrevista com a Aluna Fábia Coelho

Confira diversas entrevistas dos alunos do Bootcamp Master Interface Design que migraram para UX/UI Design em nosso canal do Youtube: bit.ly/entrevistas-alunos-mid.


Tenha paciência! E espero que estes pontos te ajudem a entender se realmente ser um UX ou Product Design é algo para você.

E, caso você decida se tornar um UX Designer e precise de ajude para caminhar essa jornada eu e o Felipe Melo estamos aqui para ajudar vocês!


Você deseja migrar para UX Design? Durante a semana do dia 23/05 a 02/06 participe do Workshop Online e Gratuito “Migrando para UX”. Descubra os passos necessários para decolar sua carreira e conheça as diversas oportunidades no mercado nacional e internacional.