É notável a eficiência do Inbound Marketing na América do Norte e, consequentemente, o crescimento dele no Brasil. Como já citei em outro artigo, falar sobre Inbound não é o futuro, mas sim o presente — o que já está acontecendo.

Dados sobre o mercado Brasileiro — HubSpot, 2015

O seu consumidor não é mais eficazmente impactado por propagandas de tv, spot em rádio e nem mesmo quando aquele vídeo de 30 segundos interrompe ele no youtube.

Pesquisas apontam que 86% das pessoas pulam os comerciais de TV e 84% dos usuários entre 25 e 34 anos, saíram de um site por causa de uma propaganda intrusiva e irrelevante.

É óbvio que não dá para ignorar esses dados.

Quando o consumidor percebe que tem um problema, ele busca formas para resolvê-lo, basta a sua empresa estar lá no momento certo para ajudá-lo nisso.

A regra do Inbound Marketing é clara: não é a sua empresa que vai atrás do seu cliente. É o seu cliente que vai atrás da sua empresa.

E qual é o próximo passo para isso acontecer depois de atrair o consumidor com marketing de conteúdo? Converter o usuário do seu site ou rede social em lead.

O que é lead? Qual sua importância?

Chamamos de leads aquelas pessoas que preenchem formulários dentro do seu site, dando as informações sobre ele para você (nome, e-mail, telefone, cidade, cargo, etc) em troca de alguma oferta ou material rico.

Podemos chamar de lead todo usuário que consentidamente entregou os próprios dados para a sua empresa.

Portanto, podemos enxergar um lead como um potencial consumidor do seu produto, visto que ele está interessado por assuntos do segmento da sua empresa.

Ao conquistar um lead é preciso saber cuidar daquelas informações e conseguir nutri-los da melhor maneira (casando conteúdo e contexto) com automação e segmentação de email marketing.

Antes de explicar sobre como nutrir a sua base de leads é preciso explicar como conquistá-los. Mas o mais importante é você entender que um lead só pode ser considerado como tal quando ele mesmo fornece os seus dados para sua marca.

Já falamos nesse artigo, que quando você “rouba” ou paga por uma base de emails já formada, esses usuários jamais serão classificados como leads, já que não deram a permissão necessária para a sua empresa enviar qualquer tipo de email para ele.

Portanto, é importante ressaltar que é extremamente ruim para suas campanhas de email marketing utilizar emails comprados. Entenda que quando você envia um conteúdo sem permissão, você envia spam e não um conteúdo segmentado.

Mas afinal, como conquistar um lead?

Para te explicar como conquistar um lead verdadeiramente qualificado — ou seja, que pode ter intenções de comprar o seu produto — é preciso entender cada pequeno etapa.

Vamos lá?

1) Landing Page

Como o próprio nome já diz, uma Landing Page é uma página de aterrissagem, ou seja, é onde o usuário vai “cair” para se tornar um lead.

Por ser uma página que o único objetivo é fazer o visitante ter uma única ação (conversão em lead), a landing page deve ter alguns importantes critérios no momento da sua criação:

  • Ser específica para uma única ação;
  • Conter um texto explicando o que é aquela página;
  • Conter uma imagem fácil de entender;
  • Ter um formulário para o usuário preencher;
  • Oferecer alguma coisa em troca dos dados como: ebooks, whitepapers, descontos, produtos, webinar, etc.

É importante que a landing page não tenha nenhum outro tipo de distração que impeça o usuário de converter.

Por exemplo: se você está oferecendo um ebook e quer que o usuário converta, não ofereça um whitepaper também. Por mais que um material complemente o outro, crie uma landing page específica para cada um, se não, a atenção do visitante será disputada.

Quer ver um exemplo?