+ Conheça a In-Q-Tel

O que o GOOGLE MAPS e a CIA tem em comum? A CIA.

Era uma vez uma empresa chamada "Keyhole Inc". Seus engenheiros criaram um software que mais tarde seria incorporado a outro após a compra de suas instalações por uma empresa mais conhecida - o Google. Através de uma pequena mudança no marketing, o programa viria a se chamar "Google Earth". Isso, o mesmo que gerou o Google Maps.

O que nem todo mundo sabe é que a Keyhole nada mais era do que outra pequena parte de uma venture de tecnologia chamada In-Q-Tel. Uma empresa que seria apenas mais uma… não fosse o braço corporativo da CIA.

Isso significa que, no fim das contas, a linha que separa o público do privado nesta situação específica é, no mínimo, muito suspeita. Afinal, a Agência Central de Inteligência tem alguma influência na maior ferramenta de busca de informações da internet, que sabe quem buscou o que e quando. Se o fato de espiões investirem em redes sociais populares não for suficientemente perturbador para você, imagine que de posse certas informações buscadas na internet por usuários comuns ou mesmo apenas ditas por pessoas importantes no cenário internacional fosse possível predizer o que pode acontecer no futuro, utilizando-se teorias matemáticas complexas (aliás, tema de "Guerra Civil 2" da Marvel)? Não só é possível como inclusive já foi feito como também foi aperfeiçoado e monetizado.

Qualquer hora dessas experimente o Recorded Future. Esta ferramenta criada por uma divisão da In-Q-Tel busca informações, dizeres, citações, etc. por todas as redes sócias e meios de comunicação disponíveis, analisa os dados e monta até gráficos para você poder predizer acontecimentos mundiais antes de acontecerem. Eventualmente, coisas bizarras aparecem como a sugestão de o Irã estaria influenciando o movimento Occupy Wall Street. Mas de modo geral, é um aplicativo até interessante.

Aparentemente, a In-Q-Tel está envolvida em todo tipo de confecção de produtos tecnológicos cujo objetivo é coletar e analisar informações do público em geral e privado para… para o que mesmo? Imagino que tipo de dados pode estar vindo do que as pessoas dizem em tempo real no YouTube, Twitter, Flickr ou Amazon. É claro que você pode confiar que sua vida particular está segura nos servidores do Google ou Wordpress, para citar apenas alguns, mas eu não teria tanta certeza. Especialmente com seus relacionamentos especiais com a Agência Nacional de Segurança, responsável por espionar o tráfego eletrônico dentro e fora dos EUA.

Se toda a leitura até agora não aguçou o seu apetite, deixe-me chamar suas atenção: o CEO da Keyhole é um homem chamado John Hanke. Caso esse nome ainda não te diz nada, deixe-me atualizá-lo no que ele anda se metendo ultimamente: ele é o criador e um dos donos do POKÉMON GO.

Aposto que isso chamou a sua atenção. Porque o mesmo programa que você dá permissão pra saber onde você está, que você dá permissão para escanear imagens da SUA CASA, SEUS ARREDORES e até SEU TRABALHO é do cara que (para fins práticos, não sejamos ingênuos) também trabalha para o governo dos EUA. E por fim, mas não menos importante, os termos de adesão do POKÉMON GO, que você nunca lê, dizem explicitamente:

"Nós cooperamos com agências do governo e companhias privadas. Podemos revelar qualquer informação a seu respeito ou dos seus filhos. Nosso programa não permite a opção 'Do not track' ('Não me espie') do seu navegador".

Olhe pelo lado bom, há alguns anos atrás a CarrierIQ, que tinha entre seus donos um ex-Diretor da CIA e hoje pertence à AT&T, rastreava você sem o seu consentimento. Ao menos hoje eles tem a moral de esfregar na sua cara.

Like what you read? Give Agente Sømmøs a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.