O agro é negócio só para os grandes produtores?

Não, essa não seria a realidade ideal para um campo forte e competitivo, mas infelizmente essa é a realidade de boa parte do interior. Para diversos pequenos produtores, falta o básico para ser forte e crescer no meio rural, como o controle dos gastos e a falta de conhecimento. Está na hora de mudar essa realidade, se fortalecer com conhecimento de ferramentas básicas para não cair em contos de vendedores e atravessadores.

O desaquecimento da economia urbana já começa a refletir no interior, em duas frentes: primeiro, na redução no consumo de produtos gourmet e na migração de pessoas para o interior. A falta de emprego e as perspectivas pessimistas para a economia acarretará em uma debandada ainda maior de parte da população com baixa escolaridade para o meio rural.

Isso impactará, principalmente, o pequeno produtor. Mas isso não é bom? Não, pois a população que volta, geralmente, tem “baixa escolaridade”, ou seja, mais mão de obra desqualificada, sem capacidade de planejar e organizar a disponibilidade de capital de humano para fortalecer a pequena propriedade.

Em suma, além de ter mais pessoas dentro de casa, a disponibilidade de mão de obra no interior tende a aumentar, desvalorizando assim o serviço prestado aos grandes fazendeiros. O reflexo será maior descontrole das contas da propriedade pequena, mais gastos e menor rentabilidade no final da próxima safra.

Para o grande produtor é um cenário positivo, abre a possibilidade de baixar os custos da produção, pois haverá mais pessoas dispostas a ganhar um valor menor para realizar o mesmo serviço. Além disso, como o conhecimento, no meio rural, ainda está concentrado nas mãos dos grandes, ele compra a produção do pequeno em real e revende em dólar. Com o câmbio desvalorizado, torna-se uma transação muito lucrativa, ou seja, um dólar vale quase quatro reais.

É importante ter conhecimento de mercado para não cair no conto dos atravessadores. O mais importante é procurar fazer anotações para saber o custo de produção de uma saca de café ou uma caixa de gengibre. Ter controle dos custos para não perder dinheiro para os oportunistas do momento. Esse é o momento de tirar um tempo por dia para estudar gestão, mercado, tomar conhecimento de práticas novas para reduzir custos e manter a propriedade lucrativa, com pessoas qualificadas para questionar as práticas do mercado.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.