Mas, que orgulho é esse? [LGBT]

Sobre Orgulho de ser LGBT

Quando eu me declarava hétero e frequentava religiosamente a igreja evangélica eu seguia a maior parte dos ensinamentos LGBTfóbicos e acreditava que qualquer sexualidade LGBT se tratava de um comportamento sexual, do qual qualquer pessoa poderia mudar.

Como fui crescendo e me tornando jovem adulto a minha sexualidade foi atenuando cada vez mais, o que antes eu achava que era uma simples “admiração” pelo sexo masculino foi se intensificando ao ponto de me fazer imaginar o sexo com outro homem.

Quando a gente fala de sexualidade a gente diz também de sexo em si, é simples, sua sexualidade é definida de acordo com seu desejo por sexo pelas pessoas(ou a falta dele). É na puberdade que os hormônios sexuais afloram, não dá pra fugir dos seus sentimentos, embora você possa fingi-los.

Obviamente eu não entendia o sentido de alguém ter orgulho por ser LGBT, essa expressão de “Orgulho Gay” pra mim sempre pareceu vazia, porque a gente é acostumado a usar essa palavra de forma vazia desde sempre, quando falamos que temos orgulho de algo, não necessariamente sentimentos algo tão forte quanto a comunidade LGBT diz sentir, e a gente sente vergonha de dizer que sente orgulho de algo que fizemos porque a palavra orgulho pode ter uma leitura um tanto quanto negativa (ás vezes a usamos como o antônimo de humildade). Eu não entendia de onde vinha esse sentimento, e porque usavam essa expressão. Até eu me entender, me aceitar e começar a lutar pela minha felicidade.

Hoje eu sinto que ter orgulho de ser da comunidade LGBT é orgulho de resistir, nossa vida é uma resistência. As pessoas nos matam simplesmente pelo fato de existirmos e se ainda existimos nós temos muitos motivos para nos orgulharmos. Me orgulho pelo abraço dessa comunidade que embora ainda passe por muitos conflitos internos, conseguiu resistir a tanto ódio e rejeição.

Tenho orgulho por ter gratidão a geração passada, que não teve a internet e mesmo assim não se calou para viver em um mundo mais justo, a geração que foi mesmo expulsa de casa e teve que se virar sozinha pra conseguir sustento e disseminar a informação correta do que é ser LGBT. Hoje se temos oportunidades de falar sobre esses temas é porque muita gente morreu no passado para que conseguíssemos por em pauta de que a sociedade está se matando por que não se aceita como ela é e sempre foi, diversa. Como não se orgulhar disso?

Como não se orgulhar que em meio a tanta dor e sofrimento e sangue, a pena de morte nós estamos mostrando que existimos?!

As empresas e suas marcas estão nos enxergando (mesmo em função a marketing ou afins), a informação está aumentando e o nosso direito de viver como um cidadão normal está cada vez mais perto.

Orgulho de ser quem somos, diferente de antes, quando por vergonha vivíamos em armários acorrentados e guardados por infinitos cadeados. Eu quero ver esse mundo colorido pela nossa sexualidade, pela nossa capacidade de amar e aceitar o próximo como ele é. Quero ver essa bandeira de arco íris hasteada o ano inteiro e as pessoas terem a liberdade de manifestar sua orientação e gênero como elas são.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.