Conheça os benefícios da cirurgia robótica

O sistema robótico de cirurgia possui quatro braços e uma câmera com visão em 3D. Ele gera imagens de alta resolução (1080 pixels), que são transmitidas de dentro do corpo do paciente para o cirurgião, ampliadas em 10x com o máximo detalhamento do plano dos tecidos.

Dessa forma, o profissional é capaz de operar confortavelmente o paciente, enquanto está sentado em um console, usando uma espécie de joystick para controlar os braços do robô. Os movimentos humanos de mãos e pulsos são reproduzidos com precisão pelo equipamento e a dinâmica é similar a de uma cirurgia aberta, com a diferença de permitir trabalhar por meio de pequenas incisões. A grande vantagem é o procedimento considerado minimamente invasivo.

A cirurgia robótica tem trazido alternativas de intervenção, que há poucos anos eram indisponíveis no país, além de muitos benefícios aos pacientes que precisam passar por ela. Para um hospital, a implementação de um programa de treinamento em cirurgia robótica está, normalmente, associada a um processo importante de aprendizado. Isso porque, na maioria das vezes, os cirurgiões em treinamento comum são supervisionados em poucos casos, o que acarreta em grandes tempos operatórios, com maior nível de complicação.

Por conta disso, o Hospital Samaritano, em 2012, foi implementado, através de processos, um modelo de treinamento de excelência, levando seus cirurgiões a um programa observacional de casos de cirurgia robótica no Florida Hospital, nos EUA, uma das maiores referências em cirurgia robótica, sob coordenação do Dr. Vipul Patel, que possui a maior experiência mundial em prostatectomia radical robótica.

Os cirurgiões utilizaram, com 4 horas semanais, durante 24 semanas, um simulador Mimic™ (Mimic Technologies Inc., Seattle, WA, USA), um dispositivo que simula os movimentos do robô. Após este período iniciou-se o processo de execução das cirurgias no Hospital Samaritano.

Foram realizadas, aproximadamente, 500 cirurgias em diversas especialidades na fase de treinamento. Os pacientes mantiveram-se em quartos no pós-operatório não necessitando de CTI, e começaram a andar e se alimentar aproximadamente 6 horas após a operação, obtendo uma excelente evolução mesmo durante a curva de aprendizado dos cirurgiões.

Os cirurgiões foram sendo habilitados pelo Dr. Patel na medida em que adquiriam as habilidades e conhecimentos necessários para a execução da cirurgia com qualidade e segurança. Desde então, o Samaritano conta com uma equipe diferenciada e especializada em cirurgia robótica, treinada no mais alto padrão de qualidade.

Fonte: Dados do Samaritano-Robótica

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.