Bonjour da Cidade dos Contos

Domingo de manhã ainda em Norwich, East Midlands da terra de nossa Majestade. Um fim de semana prolongado em Inglaterra que resultou em mais uma viagem: Olá Paris.

Assim sem data previamente pensada, sem pedir férias ou arranjar complicações.

Estava a guardar este destino para quando tivesse namorado. Como se Paris só fosse bonito na moldura. Paris não é clichê.


Há as pessoas que idealizam, mas eu gosto mesmo é das que acordam e fazem.

Hoje acordei e percebi que alguém vive a mesma experiência que eu e juntos combatemos a solidão.

Dois sozinhos juntos deixam de estar sozinhos. E por não sermos um casal não comprometemos o nosso espaço de decisões a solo.

Este equilíbrio não é fácil porque nem toda a gente consegue conviver com as nossas esquizitisses. Mas nós conseguimos!

Descobri que Norwich é uma cidade muito maior do que alguma vez pensei. Com um toque medieval que não perdeu identidade e desenvolveu sem destruir o small business.

Algo já muito incomum na maioria das cidades em Inglaterra.

Os Starbucks, Zara, Costa, local Tesco Express e Sainsbury’s destroem as carteiras e a individualidade dos locais. Tornando todos os sítios iguais como se viver aqui ou a 200milhas seja o mesmo.

Nas outras cidades não há o John do talho, o café da Magguie ou as fish and chips do Matt. Mas em Norwich ainda há. Temos o Buddys para beber um chá, um mercado do tempo medieval diário, um cinema tradicional e um Castelo. Tudo isto equilibrado com a street art moderna e as grandes cadeias de shopping mundial.

É, eu sei que estes nomes não vos dizem nada mas significam que há mais para viver em Norwich do que numa cidade cópia a cada esquina de Inglaterra e ainda podemos vestir prada se assim o quisermos.