REPRODUÇÃO — Catherine Chalmers

O AMOR É ESSA COISA BARATA

O amor é essa barata morta que comeu veneno quando entrou pela fresta do ralo na área de serviço e correu para cozinha que recém havia sido limpa.

O veneno novo parecendo uma casinha preta onde a barata entra.
O lugar perfeito para a barata morar é onde está o veneno que ela come.

O amor é essa barata que entrou na casinha perfeita e comeu veneno achando que era o jantar e saiu correndo, o estômago queimando, se é que barata tem estomago.

E andou sem rumo pela cozinha já ficando tonta e andou em círculos e foi ficando zonza e lenta e que agonia.

O amor é essa barata tonta envenenada no chão da cozinha que você vê e bate com a vassoura e tenta pisar com o as havaianas e erra porque ela está tonta mas não está morta.

O amor é essa barata tonta envenenada que você bateu com a vassoura e pisou.

O amor é essa barata morta envenenada e pisada sozinha no chão da cozinha.

O amor é essa barata morta no chão da cozinha que se vira e sai correndo quando você vai jogar no lixo.


Se gostou do texto, recomenda. Só clicar no 🖤

Você pode seguir minha publicação:

E acompanhar no Instagram e no Twitter!

Like what you read? Give Ana Mira a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.