Final de Shigatsu wa Kimi no Uso — Anime e Mangá

Fala galera, venho aqui comentar sobre o final de Shigatsu wa Kimi no Uso. Vamos comentar sobre o ótimo final dessa ótima obra.

Música tocada na apresentação do Kousei:

Nesta semana tivemos o final de Shigatsu wa Kimi no Uso, tanto o anime e a tradução do mangá acabou ao mesmo tempo, dando assim o tempo necessário para fazer esse post em tempo hábil. Antes da obra acabar eu nutria uma grande expectativa pelo final, até mesmo pois comentamos aqui no blog o mangá Koe no Katachi e acabamos vendo um final bem decepcionante que fez a obra perder pontos em sua avaliação geral. Eu tinha medo que Shigatsu sofresse do mesmo mal no final pois gosto muito da obra e ela já tinha me conquistado desde o seu primeiro episódio, mas felizmente o anime e o mangá brilham em seu final, nos recompensando por tudo que acompanhamos no decorrer destes. O autor Naoshi Arakawa teve bolas para não cair na tentação dos mangakás de fazer um “happy ending” no final da obra e construiu o final condizente com tudo que vimos no desenvolvimento da história e dos personagens. É o tipo de final que irá fazer os leitores se lembrarem do anime e do mangá daqui a muito tempo, diferente de vários outros mangas e animes que não têm um final bom o suficiente e caem no limbo do esquecimento com o passar do tempo. O final foi bem carregado emocionalmente, senti vontade de abrir uma cerveja depois de ver tudo isso.

Infelizmente a Kaori acaba morrendo no final e antes disso acontecer ela deixa uma carta para o Kousei ler depois dele ter feito a melhor performance de sua vida. Dentro da carta temos a revelação que a Kaori já conhecia o Kousei desde quando ele era pequeno e ela foi completamente influenciada pela música dele, deixando a aula de piano para passar a tocar violino visando ser a acompanhante do Kousei no palco. Ela falou que mentiu sobre gostar do Watari para se aproximar dele, mesmo ela não tendo sentimentos pelo Watari e sabendo que a Tsubaki gosta do Kousei (ela fala na carta que a Tsubaki gosta dele). Por fim, ela termina a carta falando que ama ele mesmo com todas as características da personalidade dele que ela não gosta. O final do mangá mostrando o Kousei com a Tsubaki (Kousei x Tsubaki — ela acaba tomando coragem para assumir os seus sentimentos que o Kousei sabe que existem por causa da carta) chegando a uma nova primavera sem a Kaori e assim eles seguem suas vidas, mostrando na sala de música aonde o Kousei toca um retrato com uma foto da Kaori pequena com o Kousei passando atrás sem perceber. A apresentação também foi muito marcante, tocando a música Balada nº 01 de Chopin, ele conseguiu colocar toda a sua vida dentro da performance no piano, tanto é que no episódio foi mostrado simbolicamente ele tocando junto com a Kaori no violino em um ambiente sem nada apenas com o céu azul da manhã em cima, o dia vai passando para tarde e noite com a Kaori tocando e desaparecendo (essa parte me arrepia só de lembrar!) e no final mostra ela sumindo e se desintegrando em um brilho que vai para o céu, terminando a performance com ele dizendo adeus para ela (no mangá ele é ovacionado de forma frenética pelo público).

Depois de ter lido o manga e assistido o anime por completo cheguei a conclusão que essa obra não fala apenas do amadurecimento do protagonista e sim de como a música faz parte de nossas vidas e os efeitos que esta tem sobre a nossa história de vida pessoal. Tanto o anime como o mangá focaram muito mais na parte pessoal dos musicistas do que na parte técnica como vários outros animes e mangás de música fazem. Isso é uma abordagem válida pois a situação pessoal e emocional do artista influencia de forma proporcional a forma que ele expressa suas habilidades artísticas, é uma coisa que está casada com a outra. Na obra inteira isso ficou claro nas performances da Emi, da Nagi, do Takeshi, da Kaori e principalmente do Kousei, eles estavam injetando na música todos os seis anseios e emoções. A última performance do Kousei dos dois últimos episódios (antepenúltimo e penúltimo capítulo do mangá) foi o ápice de tudo que vimos na obra,ele resumiu toda a vida dele e a sua gratidão pela Kaori ter entrado na vida dele e por toda a dedicação das pessoas próximas a ele e até mesmo seus rivais em alcançá-lo com suas performances musicais, tanto que todas as pessoas que influenciaram ele musicalmente apareceram em flashes no início da performance. E não foi só ele o influenciado, todos foram influenciados pela música dele inclusive a Kaori quando ela era pequena, tudo aconteceu de forma recíproca, mostrando assim que no mundo da música mesmo os grandes artistas e músicos tiveram algo relacionado que marcaram as suas vidas e fizeram aprimorar as suas habilidades. Podemos dizer que depois de tudo isso o Kousei se tornou um músico completo.

A arte do mangá é satisfatória quando o Kousei está tocando piano pois ela consegue criar um clima de apresentação musical que faz os leitores imergir na obra graças ao enquadramento diferente e ao largo uso de simbolismos que a obra apresenta nas performances. É claro que a arte é boa apenas nesse ponto, fora das performances a arte é fraca e até mesmo na parte em que a Kaori toca o violino, a mão dela é desenhada de forma torta em algumas ocasiões (embora a parte que ela é retratada se desintegrando simbolicamente no mangá é fenomenal). Falando agora do anime, as cores são muito bem usadas nas performances musicais (e nas partes mais marcantes fora das apresentações também) embora seja um uso simples e explicado dentro do enredo, é algo que adiciona qualidade a obra. A animação do anime no geral segue altos e baixos, nada que não possa ser consertado em uma versão blu-ray. Comentando mais sobre o último episódio do anime, a animação foi simplesmente espetacular, parecia que estava vendo uma animação de um filme animado. Tudo foi foda em relação a animação da Kaori tocando violino de forma simbólica na última apresentação do Kousei no anime, o dia passando para a noite e a Kaori ficando transparente e desaparecendo dá a entender tudo sobre a influência que ela teve em sua vida desde quando ele a conheceu e a sua despedida da vida do Kousei (entre aspas, pois dentro do coração dele ela ainda estará viva). A coloração e o brilho da animação do anime estava absurda nesse momento e faz com que esse episódio seja um dos mais requintados em termos de animação nos últimos anos. Penso que esse anime foi o que melhor representou alguém tocando um instrumento musical dentre qualquer anime de música, o CG do piano estava muito bem encaixado aqui (a A-1 Pictures sabe muito bem usar o CG dentro de seus animes). O som e a trilha sonora foi usada de forma primorosa aqui, méritos para o diretor de som Jun Aketagawa (Nodame Cantabile, Aldnoah.Zero entre outros) que fez um ótimo trabalho aqui.

O final de Shigatsu wa Kimi no Uso acabou sendo um pouco aberto pois a única certeza que temos no final é que o Kousei e a Tsubaki irão ficar juntos, não temos detalhes de como será essa nova fase de colegial do Kousei e o seu relacionamento com a Tsubaki, a sua interação com a Nagi e os seus dois rivais Takeshi e Emi (tem boatos que um OVA será produzido, espero que conte mais sobre o futuro deles). Nesse ponto a obra lembra Oyasumi Punpun (não vou dar spoiler aqui, quem leu vai entender) Mas isso é uma prova que dá para fazer finais abertos bons, pois Shigatsu wa Kimi no Uso se manteve fiel a sua proposta até o fim e encerrou o desenvolvimento de seus personagens de forma satisfatória (com exceção do Watari). A obra no geral tem algumas falhas como a arte porca do mangá, a enrolação do drama antes da performance do Kousei em que ele se liberta do fantasma de sua mãe, as partes cômicas que não se encaixaram muito bem em algumas cenas e aquele pseudo romance entre o Watari e a Kaori, que embora tenha sua razão para existir e esteja relacionado até mesmo com o título da obra, enche o saco durante o anime por causa de sua superficialidade durando até perto do final da obra. Mas ainda assim eu considero ótimos o anime e o mangá de Shigatsu wa Kimi no Uso e as qualidades acabam encobrindo as falhas da obra, terminando com um final excelente que caberia fácil em qualquer top dez de melhores finais de anime. Tenho muitas coisas a comentar ainda mas vou deixar para uma futura review que irei fazer do anime e do mangá. Por enquanto, deixo a minha nota da obra aqui.

Classificação do anime: Ótimo

Classificação do mangá: Ótimo

Nota do anime: 9

Nota do mangá: 8.5

Post anterior dos episódios comentados até o episódio 16.

Trilha sonora do anime no SoundCloud


Bônus:

Breves comentários adicionais do mangá:

No mangá aparece o público ovacionando o Arima Kousei depois da apresentação. A música dele consegue alcançar a todos sem exceção como mostrado nas imagens acima. O anime e o mangá não mostraram quem ganhou a competição pois isso é algo que ficou óbvio, até a parte do futuro dele em relação ao colégio que ele iria foi esquecido com essa apresentação brilhante.

Esse post foi publicado originalmente no blog Selected Animes. Se você gostou do post, dê uma passada também lá.