Como a fotografia pode empoderar outras pessoas

A fotografia tem o poder de nos empoderar, mas também de empoderar outras pessoas.

“Os dois dias mais importantes em sua vida são o dia em que nasceu e aquele em que descobriu o porquê”
Mark Twain

Vivemos em tempos que exigem de nós um entendimento cada vez maior, do porque fazemos as escolhas que fazemos todos os dias.

É comum chegar um momento da vida que vamos refletir sobre o nosso propósito nela. Talvez esse momento nunca chegue para alguns, mas não vem ao caso.

Desde os meus 16 anos eu tenho pensado sobre o meu e talvez posso ter chegado a algum com o Antility — criar movimentos com uma rede de pessoas para um impacto social positivo no mundo. Parece complexo, né?

É um pensamento constante — e também sobre quanto mais oferecemos, mais recebemos de volta. É um ciclo positivo. Ajudar os outros com o nosso melhor, para então parte do meu propósito estar completo.

Mas e aí, como a sua fotografia empodera você e como pode empoderar os outros?

O que é bom para a comunidade afinal?

@danmagatti

Recentemente eu li um trecho do “The Meditations” do Marcus Aurelius — em que fala sobre a ideia de que fomos colocados na terra para ajudar os outros. Como seres humanos, o nosso dever é servir o “bem comum”. Nossos amigos e familiares.

O meu dever é poder empoderar o máximo de pessoas possível. Tento fazer isso com minhas fotos, meus textos, com todas atividades do Antility, as conversas em cafés e bares, os bate-papos em agências, escolas e empresas.

Cada pessoa tem um potencial. A coisa mais triste é quando você vê que a paixão e o potencial de alguém não está sendo desenvolvido. Penso em todos que estão à margem da sociedade e os projetos que não tem ninguém para se quer olhar ou acreditar neles. Existe tanto amor e criatividade para ser compartilhado com o outro, mas eles não tem saídas para suas ideias. Parte disso é o que acaba levando elas para o lado ruim da coisa.

De qualquer forma, lembre-se que como fotógrafo você não é um indivíduo sozinho — você é parte de uma comunidade de fotógrafos muito maior. Claro, a ação de fotografar é uma busca individual. Entretanto, uma vez que você passa a mostrar seu trabalho, publicando fotos nas redes, você precisa dos outros. Você precisa de uma audiência. Você precisa de outros para acreditar no seu trabalho de forma coletiva.

Se não existissem outros fotógrafos ou pessoas no mundo, duvido que alguém iria tirar fotos. As fotos só são boas se você pode compartilhar com outros. Então com suas fotos, pense em como você pode ajudar a beneficiar as pessoas ao seu redor. Suas fotos inspiram e empoderam outros fotógrafos? Ou elas são sem fundamento e procura apenas mostrar sua própria vaidade?

Ensine os outros

@danmagatti

Penso que uma das melhores formas de empoderar outros fotógrafos é ensinando aos outros. Você pode começar ensinando seu filho, seu pai, sua mãe, um amigo ou qualquer outro que está começando a mergulhar neste novo universo.

A melhor coisa sobre ensinar fotografia é que isso te ajuda a voltar ao básico. Começar do básico na fotografia — você precisa se perguntar questões fundamentais: “Por que eu tiro fotos? Qual é realmente a melhor forma pra eu tirar fotos? O que eu estou tentando dizer com minhas fotos?

Quase toda pessoa que eu conheço que está começando na fotografia — eles estão obcecados com equipamentos e configurações técnicas. Eu sinto que muitos fotógrafos precisam de um guia para saber que ótimas fotos são sobre a imagem, a emoção e a alma da fotografia. Conforme a tecnologia evolui, vai chegar um dia que um iPhone vai ter uma imagem de qualidade muito próxima a uma câmera de última geração. Então quando não for mais preciso se preocupar tanto com questões técnicas, ficaremos com a composição, a luz e a alma da foto.

Não só isso, mas também aprendemos quando ensinamos. Eu sempre acabo aprendendo mais com quem está começando do que com os picas da fotografia. Isso é muito porque os iniciantes perguntam questões sobre a fotografia e sempre existe uma vontade de aprender. Os fotógrafos picas acabam ficando presos nas suas prisões de sabedoria. Eles acham que já aprenderam tudo, logo perdem a humildade e a vontade de aprender novas ideias e conceitos.

Empodere o seu tema

@danmagatti

Uma das razões que eu amo fotografar na rua (apesar de não estar focando tanto nisso hoje em dia) é porque me permite interagir com estranhos. Gosto de elogiar e reconhecer as pessoas que conheço por lá. Muitas pessoas são como fantasmas, elas vagam pelas ruas e são invisíveis para os outros. Mas quando paramos, reconhecemos alguém e mostramos a eles um pouco de amor, eles sentem uma profunda gratidão. E quem sabe, quando estão voltando pra casa, estão com aquela sensação boa de ser um pouquinho mais reconhecido como ser humano em uma sociedade de passagem.

Dia desses ouvi que a pior coisa sobre ser um sem teto é o fato de você não ter dinheiro. Pelo contrário, a pior coisa é se tornar um fantasma e passar a ser ignorado por outros humanos, ser exilado, evitado e tratado como um animal e não um ser humano que vive em uma sociedade.

Sentimentos positivos

@danmagatti

Tem muita negatividade e merda no mundo. Fofocamos, espalhamos mentiras, odiamos e temos inveja de outras pessoas que são mais bem sucedidas do que nós; estamos excessivamente obcecados com as coisas que os outros dizem da gente e rapidamente esquecemos dos sentimentos positivos que acontecem na mesma proporção.

A vida é muito curta pra merda e negatividade. Espalhe sentimentos bons. Se você não tem nada positivo ou construtivo para dizer, por que dizer afinal, né queridx?

Nas redes sociais eu sempre tento empoderar outras pessoas compartilhando o que eu gosto em suas fotos e o que poderia ser melhorado. Isso tudo vem de um lugar de amor e afeto, não superioridade e arrogância.

Os sentimentos negativos se reproduzem em si mesmos. A realidade é filtrada pela nossa noção pré-concebida de como interpretamos o mundo e o que queremos para ele.

Se inspire

@danmagatti

O que mais me deixa puto é quando escuto alguém dizer: “fotógrafo X está superestimado. Eu odeio o trabalho daquele fotógrafo, por que ele é tão bem sucedido?” Ao invés de odiar outra pessoa e seu trabalho, a melhor coisa é reconhecer o seu sucesso e usar isso pra se inspirar.

Se você ver uma pessoa (que você acha que o trabalho não é bom) — não seja um babaca. Reconheça que você também pode fazê-lo ser grande e “bem-sucedido”.

Uma das coisas que eu amo sobre ser brasileiro e ter crescido aqui é o senso de que apesar de toda a merda, podemos nos tornar ou alcançar aquilo que buscamos. Claro que isso não é uma verdade pura (sorte, fatores sócio-econômicos, raça tem um papel importante) — mas certamente é um ponto de partida para ter um sentimento positivo e superar obstáculos pelo caminho que escolhemos percorrer.

Também não sigo a ideia de que somos pré-destinados a algo. Eu acredito que temos o poder de mudar nossas vidas e a única coisa que nos prende é o medo de ir adiante.

Ainda assim, hoje em dia, temos muito potencial não desenvolvido. O Netflix e outras infinitas distrações é como uma droga para as massas — nos esparramamos pelo sofá abraçados ao estado de comodidade ao invés de começar algo novo ou buscar novas formas criativas de fazer o que já fazemos. A maior parte do tempo estamos mais interessados na vida dos outros do que na nossa própria.

Viva o seu potencial

@danmagatti

Eu sei. Muito de nós tem situações de vida difícil. Tem um emprego que não paga bem. Tem um relacionamento complicado. Alguns de nós somos pais e mães solteiras. Temos determinadas condições de saúde. Trabalhamos mais de 80 horas por semana. Temos questões mentais ou físicas. Não somos ‘talentosos’. Tivemos uma infância fodida.

Não importa o que seja — nada pode nos distanciar de desenvolver o nosso potencial. Somos as próprias barreiras de bloqueio. O problema não é que os outros não acreditam na gente; o problema é que nós não acreditamos em nós mesmos.

Eu sempre procuro acordar pensando em como fazer meu dia ser diferente (lembrando que vou morrer e a vida é incerta para um caralho). Isso ajuda a guiar minha vida para fazer o que é realmente importante pra mim — focar em trabalhar com marketing de causa, fotografar, escrever, produzir texto com informação que vai empoderar os outros, ao invés de se preocupar com emails, redes sociais e fazer mais dinheiro.

Então, busque o seu potencial sempre. A merda é foda mesmo, mas a vida é curta — você quer criar um impacto positivo no mundo, empoderar os outros ou morrer com uma casa de 3 quartos abarrotada de coisas e um super-carro na garagem?

Parte de nós nasceu para empoderar os outros. Então não gaste nem um segundo sequer da sua vida. Faça o seu melhor todos os dias e divida isso com todo mundo.


texto inspirado por @ekim e estendido para outros contextos de reflexão.

obrigado por chegar até aqui. escreva algo ou deixe uma nota para que eu possa saber o que achou. se gostou, aperte o ♥ e então você ajuda mais pessoas a encontrá-lo também.

vamos conversar? fala comigo no facebook
quer saber mais sobre mim?
http://danmagatti.com