Museu Lasar Segall — São Paulo

Para minha crítica estética, decidi visitar o museu Lasar Segall idealizado por Jenny Klabin Segall — viúva de Lasar — foi criado como uma associação civil sem fins lucrativos, em 1967, por seus filhos Mauricio Segall e Oscar Klabin Segall. Está instalado na antiga residência e ateliê do artista, projetados em 1932, por seu concunhado, o arquiteto de origem russa Gregori Warchavchik.

Além de seu acervo museológico, o Museu constitui-se como um centro de atividades culturais, com programas de visitas monitoradas, cursos nas áreas de gravura, fotografia e criação literária, projeção de cinema, e ainda possui uma ampla biblioteca especializada em artes do espetáculo e fotografia.

O estabelecimento é aconchegante, com áreas externas, acentos para descanso e lanchonetes para fazer uma pausa. Trás uma sensação muito boa aos visitantes com salas climatizadas e música ambiente.

Ao entrar na exposição me deparei com um mosaico do artista feito com pequenos auto retratos posicionados lado a lado numa parede de mais ou menos dois metros.

O que mais me intrigou na exposição foi um quadro que estava na sala seguinte, que retratava a emigração para o Brasil e foi pintado com óleo e areia sobre tela. Era muito comum Lasar usar tons de marrom e bege para fazer suas obras, já que os personagens retratados estavam quase sempre a bordo de barcos.

Navio de Emigrantes — 1939/41

A maioria de suas obras faziam uma crítica direta aos estrangeiros chegando ao país, com diferentes técnicas em cada quadro retratado. Assim como o óleo sobre tela, a técnica de litografia sobre papel era muito usava assim como no quadro chamado ''Vítimas do Pogrom''.

Mesmo com muitas obras criticando o modo de vida dos emigrantes, Lasar Segall também procurava retratar um pouco de sua vida pessoal, assim como no quadro chamado ‘’Avô e Avó’’, também pintado com óleo sobre tela.

Quanto: Gratuito

Abertura: De quarta a segunda das 11h às 19h

Local: Rua Berta, 111 — Vila Mariana — São Paulo

De 26/06/2017 até 18/10/2018

Links Relacionados: http://www.museusegall.org.br/index.asp

Like what you read? Give Pedro Camacho a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.