Jornalismo digital: adaptações em tempos de crise

JORNALISMO ULBRA
Aug 4, 2017 · 5 min read

Política, economia e jornalismo. As crises pelas quais o Brasil passa abrangem diversas esferas da sociedade. São inúmeras profissões e milhares de trabalhadores atingidos. A cada dia, sobe o número de desempregados no país, e para os veículos de comunicação, a realidade não é diferente.

Nos últimos cinco anos, a imprensa começou a noticiar a própria tragédia: a demissão em massa de profissionais da área e o fechamento de diversas emissoras de rádio e jornais. De acordo com o projeto produzido pela agência Volt Data Lab, A Conta dos Passaralhos, o ano de 2015 foi o mais complicado para os jornalistas. O estudo levantou dados entre janeiro de 2012 e junho de 2017 em que foram registradas 7.993 demissões nos veículos de comunicação, sendo 1.867 apenas de jornalistas.

JORNALISMO DIGITAL COMO POSSIBILIDADE

O jornalismo digital já é uma possibilidade para os impressos, visto que o público consome cada vez mais conteúdo online. A praticidade de ler informações por smartphones, tablets e notebooks faz com que os veículos centralizem as notícias nas plataformas digitais.

O jornal gaúcho Zero Hora conta com 87 mil assinaturas no digital. O investimento é uma forma de se adequar à mudança de comportamento do usuário. Segundo a Diretora de Redação dos Jornais do Grupo RBS, Marta Gleich, o site recebe muito mais publicações que o jornal impresso. “O digital tem todas as possibilidades da multimídia. Muitas matérias têm vídeos, áudios, infográficos animados e galerias de fotos. Isso o papel não possibilita”.

Para que tenha sucesso na internet, a matéria precisa ser divulgada nas redes sociais, e ZH tem um grupo de profissionais que trabalha apenas com isso. Esse engajamento permite maior interatividade com o público e análise de preferências. Na redação, também há softwares que contabilizam os acessos no site. Com isso, é possível traçar o perfil do leitor e trabalhar nas métricas. “O digital, em vez de limitar ou restringir, faz com que o jornalismo se desdobre e chegue a mais pessoas”, acrescenta Marta.

O editor-chefe do Diário de Canoas, Djalma Júnior reconhece os benefícios da plataforma, mas acredita que a maioria dos veículos não consegue encontrar uma forma de se manter apenas com o digital “Nós temos um bom retorno dos nossos leitores nas redes sociais, mas é difícil fazer publicidade no online. Isso ainda não chama tanta atenção quanto no impresso”.

Laura Medina e o YouTube

Enquanto os jornais impressos se esforçam para se estabilizar no meio digital, profissionais recém-formados e jornalistas experientes estão procurando emprego longe dos grandes veículos. O trabalho autônomo proporciona mais liberdade e até mesmo comodidade, muitas vezes pelo fato de se trabalhar em casa.

A jornalista Laura Medina atuou na televisão durante 30 anos, quinze deles na RBS TV. Na emissora, foi editora-chefe e apresentadora do programa Vida e Saúde por 12 anos. Laura se despediu da TV aberta em abril de 2016, mas não parou de produzir o programa, apenas alterou a linguagem para adequá-lo a uma nova plataforma.

Atualmente, é no YouTube que a jornalista publica os vídeos semanais do programa. O canal Vida e Saúde com Laura Medina tem um público variado, já que a plataforma digital disponibiliza o conteúdo para diversos países. “Muita gente veio da televisão, mas eu também tenho um público novo. A maioria é mulheres de 30 a 60 anos. Algumas não têm familiaridade com o YouTube, então eu faço uma mobilização para que elas possam se inscrever no canal”.

Laura divide o programa com o jornalista Moisés Machado. O novo formato mistura humor e conscientização, trazendo uma introdução mais descontraída para as entrevistas com os especialistas. As chamadas do programa normalmente são na casa da jornalista. “A minha casa possibilita alguns cenários, e, além disso, é mais seguro”.

Mauro Dahmer e o jornalismo independente na Web

Assim como Laura, o comunicador Mauro Dahmer também saiu da televisão para se dedicar à web. Ele decidiu focar em projetos autorais após sair da MTV — veículo em que trabalhou por 12 anos. “A empresa começou cortando custos da redação, mas toda estrutura corporativa continuou cara. Isso levou os grandes veículos a perderem o espaço”.

Após sair da MTV, Mauro criou o canal Pense Novo TV para aproximar os jovens do então candidato a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. O canal foi alimentado antes das eleições municipais de 2012 com coberturas jornalísticas, programas ao vivo e documentários. Para formar a equipe, Mauro reuniu jornalistas como Bia Abramo (Folha de São Paulo) e Pedro Alexandre Sanches (Carta Capital). “Até ali não usavam jornalistas em campanhas políticas. Eles trabalhavam como publicitários. E eu, ao criar esse canal, dei espaço para eles exercerem sua função e noticiarem acontecimentos que não fossem ligados ao Haddad”.

O fechamento de jornais e o enxugamento das redações preocupam os profissionais que estão tendo dificuldades no mercado. Para amenizar essa situação, grupos de jornalistas realizam projetos para reintegrar os colegas. Um exemplo é o Reinventa Jornalismo, que promove encontros quinzenais na Associação Brasileira de Imprensa, no Rio de Janeiro. O objetivo dessas reuniões é incentivar a busca por novos rumos na carreira, trazendo jornalistas independentes para abordar assuntos como empreendedorismo e criatividade.

O projeto Reinventa pode ser conferido nesse link. O jornalista que tiver interesse no assunto pode se cadastrar na newsletter e receber conteúdo exclusivo sobre jornalismo independente.

Reportagem: David Ferrás, Michele Mueller, Mônica Chaves e Wesley Andriel

Arquivo 11

Espaço destinado à publicação dos trabalhos desenvolvidos…

JORNALISMO ULBRA

Written by

Curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil (Canoas/RS).

Arquivo 11

Espaço destinado à publicação dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos do curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil (Canoas/RS).

JORNALISMO ULBRA

Written by

Curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil (Canoas/RS).

Arquivo 11

Espaço destinado à publicação dos trabalhos desenvolvidos pelos alunos do curso de Jornalismo da Universidade Luterana do Brasil (Canoas/RS).

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch

Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore

Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store