Por onde procuro

Na beleza dos teus olhos mergulhei
Procurando matar aquela saudade eterna
Por todos cantos procurei
Mas não encontrei sinceridade tão terna

Procurei pelos infernos de Dante
E por filmes antigos
Só encontrei falcões e perdidos códigos
Mas nada havia que nem a tua voz radiante

Nos mares mais profundos
Nem as maiores belezas da natureza
Comparam-se a pureza
Dos teus pensamentos afortunados

No fim encontrei na melodia
Uma beleza comparável a tua
Me libertando dessa procura eterna
Imaginaria e precária duma mente carente



Vai, mas volta.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.