Destino da Viagem: Índia

A disciplina de “As Artes de Viajar” abriu a possibilidade de conhecimento de diversos países, bem como estudo de destinos e culturas importantes e desejados de cada aluno. Com isso tive a oportunidade de apresentar um país maravilhoso e encantador, a Índia.

A Índia é um país com uma cultura muito rica e considerada exótica ao ponto de vista de muitos. Uma cultura milenar que mantém suas raízes firmes até hoje e que chama muita atenção pela sua diversidade de cores, contrastes, costumes e sua enorme tradição. Um exemplo disso é a religião do país, a qual se ramifica para várias vertentes, sendo as principais o Hinduísmo, o Cristianismo, Islamismo e o Budismo. Dentro desta temática religiosa, a Índia realiza o maior festival religioso do mundo conhecido como Kumbh Mela, baseado na mitologia Hindu, o qual acontece a cada 12 anos na cidade de Sangam.

A índia também se destaca pela sua arquitetura e seus templos religiosos, e mantém como referência mundial o Taj Mahal, o qual é conhecido como uma prova de amor e eleito uma das 7 maravilhas do mundo moderno. O nome “Taj”, é de origem Persa, que significa Coroa, já “Mahal” é arábico e significa lugar.

Uma grande figura indiana reconhecido por suas pinturas foi MF Husain, considerado o “Picasso da Índia”. Ele foi muito criticado pelas suas recriações nuas das deusas Hindus.

Frolicking Ganesh — M.F. Husain · 1974

Outro curioso e conhecido festival sediado neste país é o Holi, festival das cores, originalmente chamado de Holika. O povo Hindu comemora neste festival a chegada da primavera, o qual ocorre todos os anos entre os meses de fevereiro e final de março. O festival homenageia o deus Krishna e teve início como uma festa do triunfo do bem sobre o mal. No principal dia da festa, todos saem às ruas jogando tinta e água por todos os lados. Essa típica comemoração indiana deu origem e base para o evento Happy Holi que acontece em diversos países.

No final dos anos 60 na praia de Goa na Índia, os frequentadores da praia ouviam Techno, e nos países ao redor outros estilos musicais iam surgindo. Nesta época, os habitantes de Goa descobriram os efeitos da Acid Music e começaram a incrementar esse estilo misturando aos outros ritmos “vizinhos” somados a trechos de mantras indianos. O Psy Trance, estilo vertente do eletrônico, além do uso da música que detém uma repetição constante de sons, inclui eventos em lugares inusitados, com decoração psicodélicas e de longa duração. Essa repetição citada, característica do Trance, é feita com o objetivo de levar ao transe. “Essa música segue da mente direto para o corpo e o mundo espiritual encontra o mundo físico, se unindo para produzir uma sensação de felicidade e euforia”, palavras de Raja Ram, famoso Dj.

Outro ponto de grande destaque da Índia, é a sua indústria do entretenimento, sendo conhecida a partir da década de 70 como Bollywood. Um ator do cinema indiano, descrito por Satyajit Ray como o melhor de todos os atores foi Dilip Kumar. Ele estreou em Jwar Bhata (1944) e teve uma carreira que durou mais de seis décadas, interpretando diversos gêneros e papéis nos mais de 60 filmes em que é creditado. Dentre os destaques, Mughal-e-Azam (1960). E entre as mulheres ganhou destaque Rekha Ganesan reconhecida por sua versatilidade e dita como uma das melhores atrizes do cinema indiano, tendo atuado em mais de 180 filmes ao longo de 40 anos de carreira que inclui personagens femininas fortes.

Depois de uma abordagem geral sobre percepções importantes da Índia, fica claro o por que deste país ser tão admirável e atraente. A cultura indiana ainda tem muito a propiciar para todos os países do globo, mas o que mais chama a atenção é a influência que as cores e formas da Índia tem nas outras culturas, sua moda por exemplo.

Neeta Lulla, é um dos designers de renome na Índia e no exterior. Jodha Akbar, Hum Dil De Chuke Sanam, Orgulho e Preconceito, Uma Noite com o Rei são alguns dos filmes em que ela exibiu suas habilidades de design. A maioria das atrizes de Bollywood preferem usar suas roupas em vários eventos e funções de adjudicação. Neeta Lulla tem um grande número de prêmios a seu crédito, incluindo quatro prêmios nacionais para o seu trabalho nos filmes Lamhe (1991), Devdas (2002), Jodha Akbar (2009) e Balgandharva (2012). Além de prêmios como o Fashion Award Kingfisher 2005 para a contribuição para a moda; IIFA Best Costume Design Award 2009 para a Jodhaa Akbar; Movie Award Bollywood — Melhor Figurinista 2003, para Devdas; Prêmio Cine Zee para Melhor Figurinista 2003, para Devdas; Movie Award Bollywood — Melhor Figurinista 2001 para Mission Kashmir; IIFA Best Costume Design Award 2000 para a Taal. Ela é extremamente versátil e tem projetado tanto peças indianas, bem como roupas ocidentais, mas de alguma forma sempre foi a coleção nupcial indiana a mais procurada.

A moda possui uma linguagem universal, assim como a música, e observando a variedade que a Índia oferece de ambos, aumenta o desejo de visita a este país em busca de maiores informações, conhecimento e descobertas acerca.

Like what you read? Give Thais Fagundes a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.