#8 de 365

Hoje descobri o significado de “efêmero”. Apenas por um dia. O que foi para você apenas por um dia? O que você queria que fosse só por um dia? Eu queria que a depressão fosse efêmera. Que eu desejasse e, rapidamente, ela fosse embora. Queria que os problemas que ela me trouxe fossem efêmeros. Não é. E entender isso é iniciar esse dia e torná-lo efêmero depois da cura.

Há tantas coisas que eu queria que não fossem efêmeras, mas são. Eu sou efêmera. Eu vivo em constante mudança e aquilo que eu fui ontem, só fui ontem. Por que dessas reflexões aqui? É a música escolhida para hoje. Escute com atenção.

Trabalhei. Eu trabalhei e fui útil. Eu sou útil e trabalho bem. Mesmo que tenha passado tanto tempo sem ver isso. Fui à universidade. Assistir aula com sono é a pior coisa. Mas vamos resolver uma coisa por vez. Depois fui trabalhar de novo. Lá na Feira de Estágio.

É especial ser especial para as pessoas. E eu sei que sou. Mas é tão especial ser especial para mim. Sorrir sem ter um motivo. Só a felicidade querendo sair do peito. Para falar a verdade, não lembro bem do meu dia. Estou escrevendo um dia após, por alguns motivos. Só sei que sorri e fiz pessoas sorrirem. Pensei até em um Stand-Up.

Cheguei a casa super tarde e após fazer xixi, meu celular descarregou. Ao chegar ao quarto para deitar, a energia acabou e eu me desesperei. Imagina você só de calcinha, sem enxergar um ponto na sua frente, escutando barulhos externos e com o celular descarregado. Eu quase mijo uma segunda vez. Dei meu jeito mas foi difícil dormir. E aí eu senti a solidão novamente. A solidão aparece junto com o medo. E eu estava apavorada. Pensei em ligar para alguém mas não havia alguém para ligar. Então fiquei sozinha e esperei. Esperei o pior acontecer. Alguém invadir minha casa e tentar algo contra mim. E apesar do medo e do calor, adormeci.


A música é especial. Escute e analise sua letra: https://youtu.be/Bo8Gg6dGIIQ