Clovis Bueno de Azevedo, um estudante determinado

As ruas têm história

Helen Araújo
As ruas têm história
3 min readApr 9, 2019

--

No ano de 1957 uma pequena rua do Ipiranga foi renomeada, e atualmente chama-se Rua Clovis Bueno de Azevedo. Nesta rua estão a Rádio Conectados e o Quixote — Unidade VII da Fundação N. S. Auxiliadora do Ipiranga FUNSAI. Além disso, há um edifício histórico em frente a essas unidades: o antigo Noviciado N. S. das Graças, que já foi campus da Universidade São Marcos e que faz parte das “12 Maravilhas do Ipiranga”. Mas… quem foi Clovis?

Rua Clovis Bueno de Azevedo, Ipiranga — SP

Clovis Bueno de Azevedo nasceu no ano de 1938 e sempre viveu com sua família no Ipiranga. Estudou o curso primário no antigo Grupo Escolar São José, fundado por seu avô, o Conde José Vicente de Azevedo, e o ginásio também em terrenos doados pelo Conde: no Colégio São Francisco Xavier — SANFRA, mesmo lugar em que estudou seu primo Carlos Eduardo Franceschini Vecchio, atual 1º vice-presidente da FUNSAI. Seu colegial foi no Colégio São Luís.

Clovis eleito Presidente da UESP, com 92% dos votos, déc. 1950. Acervo Museu Vicente de Azevedo.
O Farol — jornal editado em sua casa, na Av. Nazaré, nº 582. 1954. Acervo Museu Vicente de Azevedo.

Desde cedo mostrava interesse pela vida política e jornalística. Participou de diversos grupos estudantis, como a Sociedade dos Amigos do Alto do Ipiranga, e foi Presidente da União dos Estudantes Secundaristas Paulistanos — UESP, eleito com 92% dos votos. Fundou o Movimento Acadêmico Renovador — MAR, que deu origem ao jornal O Farol, com sede na sua casa, no nº 582 da Avenida Nazaré! Mas este não foi seu primeiro trabalho como repórter: desde os 15 anos já escrevia no jornal A Tribuna da Imprensa. Foi fundador e redator do jornal A Terceira Força — de maior tiragem na região de Araraquara, e correspondente da capital para o Diário da Região de Rio Preto.

Clovis, um “são-paulino roxo”. Coleção particular / Acervo Museu Vicente de Azevedo.

Clovis era “são-paulino roxo” e cozinhava muito bem, fato que naquela época não era comum. Segundo relatos de seu primo, o Dr. Manoel Antonio V. A. Franceschini, Clovis, nos fins de semana, fechava a rua que hoje leva seu nome para jogar futebol com amigos. Nesses momentos, era montado também um ringue de boxe, esporte popular entre os jovens. Com essa atitude, ele foi precursor da ideia das “Ruas de Lazer”.

Clovis faleceu aos 17 anos, em um acidente no mar, na cidade de Itanhaém.

Nomeação da rua em homenagem ao estudante, 1957. Acervo Museu Vicente de Azevedo

A rua Clovis Bueno de Azevedo é uma homenagem àquele jovem que, em pouco tempo de vida tornou-se um líder destacado na política, com empenho no trabalho social relacionado à juventude e aos estudantes.

Museu Vicente de Azevedo

Rua Dom Luis Lasanha, 300 — Ipiranga, SP.

Visita às exposições: de terça a sexta-feira, das 9h00 às 17h00. Grátis!

Atendimento a pesquisadores: sempre às segundas-feiras, com agendamento prévio pelo agendamentomva@funsai.org.br

Helen Araújo, historiadora e técnica em museologia.

Ana Silvia Bloise, museóloga.

Museu Vicente de Azevedo

--

--