Biblioteca da OCA, um polo de leitura para toda a população da comunidade da Aldeia de Carapicuíba (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)

Aprendendo na Oca

Texto da voluntária Nathalia Silva e fotos da voluntária Isabel Praxedes

Ensinando com a arte: foi assim que começou a Oca — Escola Cultural, há 20 anos, na Aldeia de Carapicuíba, localizada no Patrimônio Histórico Aldeia Jesuítica, de 1580. A ideia inicial surgiu do professor de frevo Fofão em parceria com uma escola da região, que atendia as crianças da Aldeia.

Segunda é dia de brincadeiras para as crianças (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)
“Sentíamos a necessidade de aproximá-las um pouco mais da cultura por meio de um trabalho de qualidade que envolvesse arte, leitura, música, dança e cultura”, conta.

O trabalho envolve um repertório musical, plástico, gestual, artesanal e literário da cultura brasileira. Assim a Oca busca o desenvolvimento de crianças e adolescentes mostrando a arte e a cultura brasileira, valorizando a riqueza desse lugar, habitado predominantemente por imigrantes.

Antes, a Oca atendia em uma casa chamada Oficina da Criança, onde realizava suas atividades, que na época envolvia dança, capoeira e frevo. “Entre altos e baixos o trabalho foi acontecendo e foi além, até surgir à possibilidade de realmente transformar o trabalho em escola”, lembra Fofão.

Desde 1996, formando cidadãos com arte e cultura (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)

O nome da escola surgiu de uma brincadeira, quando Fofão junto às crianças da Aldeia Tupi Guarani montavam uma oca. Em um determinado momento, um jornalista que estava acompanhando os chamou de Grupo Oca, e eles adotaram para si.

Atualmente, o trabalho da Oca é desenvolvido somente para a comunidade, atendendo 150 crianças e adolescentes, entre 5 a 18 anos, diariamente. Indiretamente, outras 1000 crianças também são atendidas por meio do programa de extensão do projeto em escolas públicas. As crianças recebem acompanhamento pedagógico e aqueles que têm maior dificuldades têm reforço escolar. O envolvimento com a escola regular é um dos pontos fortes do trabalho realizado, a Oca faz questão de saber sobre o rendimento escolar dos alunos.

Com o Centro de Estudos e Irradiação da Cultura Infantil, a OCA registrar e fomentar as brincadeiras infantis (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)

Boa parte de todo o material utilizado é adquirido por meio de doações e parcerias, desde os livros da coleção da vasta biblioteca, que é aberta para todas as pessoas da comunidade, e instrumentos musicais com as vertentes do Maracatu, até as refeições oferecidas para os alunos, que conta com o parceiro Mesa Brasil, um dos programas do Sesc São Paulo. O espaço hoje, além da biblioteca, conta com sala de música, teatro, espaço das rendeiras, pátio em que as crianças fazem as refeições, e um campo aberto onde elas podem brincar à vontade.

O Grupo de Mãe auxilia na manufatura das fantasias usadas em eventos culturais (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)

As mães das crianças fazem parte do grupo das rendeiras, chamado de Renda Renascença. Durante as atividades dos filhos, elas aproveitam para aprender e ensinar as técnicas do bordado de renda.

A intenção da Oca hoje é expandir o trabalho realizado, tentando alcançar o espaço da Aldeia, onde tudo começou, há poucos metros da atual localização. O funcionamento é de segunda á sexta-feira e eventualmente há atividades aos finais de semana.

Conheça a Oca — Escola Cultural
Rua Xapuri, 600
Jardim Colonial — Cotia (SP)
Contato: (11) 4146–8719
Siga no Facebook.

A OCA atende a população da Comunidade da Aldeia de Carapicuíba (Foto: Isabel Praxedes/Comunicadores Atados)