Conversas em série — Emmi Pikler # 2

Movimentos livres

Bebê que cresce com liberdade para movimentar-se constrói suas posições e desenvolve conexões neuronais no corpo integrado

Por Josiane Del Corso*

O bebê que cresce com liberdade para movimentar-se e construir todas as posições a partir de pontos de equilíbrio; o bebê que descobrirá no dia a dia, experimentando e repetindo os movimentos que lhe asseguram confiança para se deslocar de um espaço para outro…

Esse processo complexo depende um contexto bem preparado por sua cuidadora, garantindo espaço, um piso firme e pontos de apoio para o equilíbrio, assim como objetos que possibilitem investigação do ponto de vista da materialidade.

Lucca, então com 8 meses, nos mostra, nesta sequência de imagens, a complexidade dos gestos e a qualidade de sua postura, que foi construída por ele mesmo.

Rolar é o movimento mais complexo e fundamental, quase um fio condutor para os demais que virão a seguir.

O corpo cresce, os músculos se fortalecem, os ossos se fortificam, o pescoço se firma no tempo certo, sem antecipações.

A rolagem é a engrenagem que dá ao bebê a possibilidade de sair em busca de novos cenários, novos pontos de vista, ampliando a perspectiva topológica, fundamental para o seu desenvolvimento.

Ficar equilibrado em quatro apoios -mãos e joelhos-; a postura que anuncia o engatinhar e a que o fará encontrar a segurança para sentar. Ficar em quatro apoios e depois se arrastar para iniciar uma investigação com uma pequena bacia de inox…

A cada movimento, o corpo de bruços permite a postura perfeita para pesquisar; o equilíbrio do corpo permite que uma das mãos seja usada na pesquisa, alternando com a outra para apoio.

A força dos braços e o apoio da cerca de madeira oferecem a segurança para novas conquistas -e ficar em pé é uma delas.

A cada movimento, Lucca amplia sua capacidade de consciência corporal, percebe seus pontos de apoio e equilíbrio, muitas conexões acontecem nesse momento, tudo está interligado.

A conquista motora está intimamente ligada à conquista intelectual do bebê, muitas linguagens. Um corpo integrado -e não fragmentado- cresce: ao mesmo tempo sentindo-se forte e potente para ir sempre em busca do novo.


Josiane Del Corso é diretora e fundadora da Ateliê Carambola Escola de Educação Infantil e do Ateliê Centro de Pesquisa e Documentação Pedagógica. Pedagoga, especialista em Linguagens da Arte pela USP, estuda há 10 anos tanto a abordagem da médica húngara Emmi Pikler quanto a do pedagogo italiano Loris Malaguzzi, de Reggio Emilia.


Este post é o segundo da série sobre a abordagem de Emmi Pikler para a primeiríssima infância. Enfoca um dos aspectos mais fundamentais da concepção pikleriana, o movimento livre. O primeiro post você pode ler aqui.