Resumo de uma semana intensa — 1

Começa com uma viagem para Porto Alegre durante o feriado, continua com uma ideia para uma noveleta que surgiu do nada e acaba indo para uma pesquisa sobre a comunidade judaica ortodoxa na Nova York década de 40 (Por que diabos, ó, musa inspiradora, tu não me pergunta sobre coisas que eu já sei?). Aí, entre google e um tapa em “Uma Estranha Entre Nós”, foram 40.000 caracteres no domingo.

Segunda teve correção de dissertação e monografia, tarde, reunião com o editor, bolo de morango e chegada da HQ Le Chevalier nas Montanhas da Loucura. Tá uma beleza a querida. Terça partiu para a UFRGS para a Jornada de Estudos em Histórias em Quadrinhos no Campus do Vale. Recordar é viver. Foi ali que fiz o mestrado e onde conheci a minha esposa. De manhã, teve Cesar Alcázar, Artur Vecchi e Fred Rubim. De tarde, Demétrio Alves Paz comandou uma mesa redonda que participei. Não sei se gostaram, mas eu o Gustavo Melo Czekster rimos tanto durante nossa mesa redonda que acho que ninguém entendeu nada.

De noite, toca para o Prêmio Minuano de Literatura, promovido pelo Instituto Estadual do Livro. Teve eu (Sherlock e os Aventureiros — Juvenil) e o Gustavo (Não há amanhã — Contos) levantando os prêmios, assim como o Brasiliense (Roupas Sujas — Romance) e o Artur Vecchi, pegando na categoria Quadrinhos (Infância do Brasil) pela editora. De lá, parte para um hambúrguer tamanho família que o Gustavo, que é um cara que tem um sorriso e um estômago tamanho família, quase não conseguiu traçar. Fred Rubim, o menor grande ilustrador brasileiro, remou uma hora com o dito cujo.

No dia seguinte, toca para Santa Maria, chega em casa, carrega cimento com os pedreiros, pois tinha acabado, lê mais dissertação, corrige trabalhos, noite, abre champanhe para comemorar. Champanhe explode. Cabelo. Roupa. Geladeira. Chão. Teto. Gato correndo. Giliane chorando de rir. Barrichello passa vergonha.

E a semana nem terminou.